Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Início
antevisões
Star Wars Jedi: Fallen Order

Star Wars Jedi: Fallen Order - Impressões Finais

Tudo indica que a Força será bem poderosa neste jogo da Respawn.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Star Wars Jedi: Fallen Order tem sido um jogo envolto em algum secretismo, tendo sido revelado de forma algo comedida ao longo dos últimos meses. A quantidade de trailers, entrevistas, e eventos do jogo, parece algo reduzida considerando que estamos a falar de uma grande produção da Electronic Arts e da Respawn, baseada numa história original de Star Wars. Era preciso mostrar mais do jogo, e foi isso que fizeram num evento recente em que o Gamereactor marcou presença.

Visitámos o estúdio, conversámos com os produtores, e mais importante que isso, passámos algo como quatro horas com o jogo. Assumimos o papel do protagonista Cal Kestis, um Padawan (aprendiz de Jedi) que sofreu ao terrível ataque de Palpatine no final de Star Wars: Episódio III, que resultou na morte da maioria dos Jedi e dos Padawans. Mas o agora Imperador sabe que nem todos morreram nesta investida, e criou uma nova força de elite conhecida como Inquisição para procurar e eliminar todos os Jedi e Padawans que permaneçam vivos.

Como referimos, Cal é um Padawan, não é um Jedi, o que significa que o seu treino não foi concluído e o seu domínio da Força não é completo. Cal terá de evoluir as suas capacidades durante o próprio jogo, mas com a dificuldade acrescida de estar a ser procurado pela Inquisição. Quando começamos a jogar - depois de um curto tutorial - encontrámos Cal a caminho do planeta Zaffo, um mundo coberto de neve com várias ruínas para o jogador explorar.

É o tipo de ambiente que esperaríamos encontrar num Tomb Raider, algo que é ainda mais significativo considerando que Fallen Order é um jogo de ação na terceira pessoa, exploração, e aventura, com secções de plataformas e puzzles pelo meio. Cal é bastante ágil, conseguindo correr pelas paredes na horizontal, executar saltos duplos, e trepar obstáculos. Em locais menos iluminados, serve-se do seu Lightsaber para iluminar o caminho, e consegue usar poderes da força para vários propósitos. Em cima de tudo isto, tem também um pequeno companheiro andróide chamado BD-1. Ferramentas não faltam no arsenal de Cal Kestis.

Como referimos em cima, a nossa aventura começou no planeta Zaffo, mas podia ter começado noutro, já que o jogo oferece alguma liberdade para abordar a progressão da história. A Respawn não quis fazer um jogo muito linear, preferindo entregar ao jogador várias opções em termos de caminho a seguir, de evolução da personagem, e até de diálogos, embora não seja exatamente um RPG.

Ainda assim, ficámos surpreendidos com a quantidade de bifurcações, caminhos alternativos, e áreas secretas que descobrimos durante o nosso tempo com o jogo, além de uma boa variedade de ambientes. Também nos pareceu claro que Star Wars Jedi: Fallen Order terá uma estrutura estilo Metroidvania, no sentido em que algumas áreas só podem ser acedidas depois de serem desbloqueados outros poderes e upgrades. Um exemplo disso é o poder Force Push, que permite empurrar objetos e inimigos com a Força, mas também partir certas paredes mais fracas.

Ficámos realmente impressionados com a variedade de situações que encontrámos, e em quatro horas deslizámos através de zonas de gelo, saltámos entre esferas de metal, exploramos uma floresta, desviámos mísseis, e corremos pelas paredes com um autêntico Prince of Persia. O design mostra grande diversidade, mas sempre de forma muito orgânica e com bom ritmo, oferecendo vários incentivos para o jogador explorar todos os cantos - encontrámos modificações para a aparência de Cal, para o Lighsaber, e até para Mantis, a sua nave.

O sistema de combate é surpreendentemente visceral e exigente, quase a lembrar um Sekiro, embora com maior agilidade. Enfrentámos a fauna de Zaffo, derrubámos soldados muito agressivos, e abrimos caminho por centenas de Stormtroppers, mas o mais importante foi ver como os inimigos apresentaram diferentes comportamentos e habilidades, obrigando sempre a uma adaptação por parte do jogador.

Correr despreocupado na direção dos oponentes será meio caminho andando para a morte, e metralhar o Lightsaber não será suficiente para chegar à vitória. Por exemplo, num jogo como Star Wars: Force Unleashed, a personagem desvia os disparos de forma automática, mas em Fallen Order terá de fazer o bloqueio manualmente no momento certo - e isto apenas para o bloquear, se quiser desviar o disparo de volta para o inimigo terá de executar também um contra-ataque.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Os inimigos são inteligentes e têm muitas ações à sua disposição. Podem bloquear, contra-atacar, e normalmente esperam por uma boa oportunidade para atacarem. E nem estávamos a jogar nas dificuldades mais difíceis. Dito isto, Cal não é um pobre coitado indefeso. Ele bloqueia, contra-ataca, desvia-se, tem combinações de ataques leves e fortes, e ainda consegue usar vários poderes da Força. Cal é poderoso e isso sente-se na jogabilidade, mesmo que os oponentes também o sejam.

Cada ataque que atinge um bloqueio do inimigo (ou vice-versa), baixa a sua defesa, e se forem dados golpes suficientes, esse oponente deixará de conseguir bloquear momentaneamente. Essa é uma boa oportunidade para causar grande dano, ou para acabar de vez com o adversário aplicando-lhe um Finisher.

Durante a aventura, Cal Kelsis irá evoluir as suas capacidades, embora só o possa fazer em áreas de meditação que estão espalhadas pelo mapa. Estas áreas lembram-nos das fogueiras de Dark Souls, já que permitem recarregar as unidades de saúde que BD-1 carrega consigo, e servem como ponto de ressureição em caso de morte. Tal como em Dark Souls, os inimigos renascem sempre que descansa nestas áreas, e tal como em Dark Souls, ao morrer irá perder a experiência que tinha acumulado até aí. Para a recuperar terá de regressar ao inimigo que o matou, e matá-lo. Só depois recuperará a experiência perdida.

Vimos bastante de Star Wars Jedi: Fallen Order, mas parece-nos que nos faltou ver muito mais. O jogo da Respawn pode ter passado um pouco despercebido até aqui, mas não se equivoque - estamos a falar de um jogo com grande potencial, sobretudo no género de ação, exploração, e aventura. Isto além de ser também uma nova história de Star Wars, que faz parte da História global da saga. Estamos com grandes esperanças para este Fallen Order.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
Star Wars Jedi: Fallen OrderStar Wars Jedi: Fallen OrderStar Wars Jedi: Fallen Order
Star Wars Jedi: Fallen OrderStar Wars Jedi: Fallen Order
Star Wars Jedi: Fallen OrderStar Wars Jedi: Fallen Order

Textos relacionados

Star Wars Jedi: Fallen OrderScore

Star Wars Jedi: Fallen Order

ANÁLISE. Escrito por Jonas Mäki

O estúdio de Apex Legends e Titanfall já provou que sabe criar os seus mundos de ficção científica, mas será que consegue repetir o sucesso com uma licença como Star Wars?



A carregar o conteúdo seguinte