Português
Gamereactor
antevisões
Marvel's Guardians of the Galaxy

Marvel's Guardians of the Galaxy - Impressões Finais

Jogámos o quinto capítulo de Guardiões da Galáxia, com o lançamento previsto para daqui a poucas semanas.

HQ
HQ

A Marvel está a apostar com força nos videojogos, apresentando títulos como Marvel's Spider-Man, Marvel's Avengers, e Marvel Ultimate Alliance 3: The Black Order Marvel em apenas alguns anos - e nem sequer estamos a contar com plataformas móveis. Mais estão já em produção, e o próximo lançamento será um jogo de ação na terceira pessoa dedicada aos Guardiões da Galáxia. Nos últimos meses tivemos a oportunidade de experimentar o jogo em algumas ocasiões, mas agora, a pouco mais de um mês do lançamento, a Eidos deixou-nos jogar o quinto capítulo, para apresentarmos umas últimas impressões antes da análise.

Este quinto capítulo arranca com os Guardiões em maus lençóis, já que tem uma multa pesada por pagar. O grupo decide ir a uma base próxima da Nova Corps para saldar as suas dívidas pendentes, mas quando chegam percebem que a base está completamente vazia. Parece que um grupo de soldados da Nova Corp tornaram-se rebeldes e mataram os seus próprios companheiros, mas porquê? É isso que os Guardiões pretendem descobrir.

Já tínhamos visto alguns exemplos de como as escolhas do jogador podem afetar a história imediata, e isso continua neste quinto capítulo. A certo ponto encontrámos um capacete da Nova Corps, que poderíamos ignorar ou usá-lo para tentar entrar em contacto com alguns dos soldados. Decidimos tentar chegar ao capacete, mas isso resultou numa emboscada por parte do inimigo. Se tivéssemos optado por ignorar o capacete, teríamos sido nós a ter o elemento de surpresa. Um exemplo do tipo de escolhas que pode ter, que embora não afetem a narrativa geral, apresentam ligeiras alterações na jogabilidade imediata.

Também gostámos de ver como a Eidos Montréal tomou liberdade criativa para apresentar a sua versão das histórias de fundo das personagens. Por exemplo, o estúdio criou um álbum inteiro de material para um grupo fictício conhecido como Star-Lord - grupo que acabou por inspirar Peter Quill a 'roubar' esse nome para si. Também existem muitos diálogos opcionais que revelam as origens de cada Guardião, e ainda pode interagir com vários objetos nos seus quartos na nave Milano.

Como já deve saber, em Marvel's Guardians of the Galaxy irá somente controlar Star-Lord, mas pode desencadear ataques especiais que motivam interações com os outros Guardiões. Estas diferentes habilidades especiais podem ser sincronizadas para causar sérios danos, mas depois de utilizadas só ficarão novamente disponíveis passado algum tempo. Rocket tem um ataque explosivo de área, enquanto que Groot pode imobilizar os oponentes, e ainda existem ataques ambientais que só podem ser acionados por guardiões específicos - Mantis consegue derrubar paletes suspensas com a sua mente, por exemplo.

Marvel's Guardians of the GalaxyMarvel's Guardians of the Galaxy

Cada Guardião tem também a sua própria árvore de habilidades, embora só possam ter quatro ações equipadas a cada momento. Também pode melhorar as ações de Star-Lord, coletando sucata que Rocket pode depois ajustar em bancas próprias. Uma das habilidades que desbloqueámos permitia examinar os inimigos de forma a identificar as suas fraquezas, enquanto que outra deixava-nos pairar no ar por um período mais longo. O estúdio assegurou-nos contudo que não existem habilidades necessariamente melhores que outras. É mais uma questão de ter novas opções do que ter habilidades melhores, já que o estúdio pretende que os jogadores possam avançar rapidamente na história sem perderem tempo a explorar conteúdo secundário, se assim o desejarem.

Um sistema curioso envolve motivar os guardiões com referências a músicas dos anos 80. Deve ter atenção ao guardião em questão e à situação, e se escolher a referência certa, poderá reanimar um colega ou acelerar o desbloqueio de habilidades, por exemplo. É uma mecânica altamente original, que apreciámos pelo humor e dinamismo que acrescenta ao jogo. Quanto mais variar o seus golpes, melhor será também o seu desempenho, e até pode acionar movimentos especiais à base de sequências de botões (QTE). Este tipo de mecânicas parece algo desatualizado em 2021, mas também não nos incomodou.

Em relação ao design de níveis, parece-nos que Marvel's Guardians of the Galaxy será um jogo bastante linear, com apenas alguns segredos aqui e ali para descobrir. A ação em si será intervalada por breves momentos de exploração, onde terá de ultrapassar alguns obstáculos e resolver alguns puzzles ligeiros. Nada de extraordinário, portanto.

As nossas impressões em relação a Marvel's Guardians of the Galaxy mantém-se relativamente idênticas ao que vimos anteriormente - parece ser um jogo de ação divertido, com muito humor, grande paixão pelo material de origem, e alguns momentos interessantes de história. Não estamos convencidos que venha a ser um grande jogo, mas parece ser certamente um jogo competente. Se será mais ou menos que isso, contudo, só saberemos com certeza quando chegar a 26 de outubro.

HQ
Marvel's Guardians of the GalaxyMarvel's Guardians of the Galaxy
Marvel's Guardians of the Galaxy

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte


Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.