Português
Gamereactor
antevisões
Eldest Souls

Eldest Souls - Primeiras Impressões

Imagine Dark Souls, mas com uma perspetiva isométrica e gráficos 2D.

Nos últimos anos vimos muitos títulos como The Surge, Remnant: From the Ashes, e Code Vein, entre outros, a apresentarem as suas próprias abordagens ao chamado género "Souls-like", inspirados por Dark Soul, mas nenhum deles se parece com este Eldest Souls do Fallen Flag Studio. O estúdio não tem receio de mostrar as suas inspirações, e faz isso com um estilo de arte impressionante de 16 bits, e com a particularidade de só incluir combates com bosses. Com a data de lançamento a aproximar-se (29 de julho), o estúdio deixou-nos passar uma hora com o jogo, e gostámos do que jogámos.

Em vez do combate mais lento e metódico da série Dark Souls, a ação em Eldest Souls é muito mais rápida e, por vezes, correr riscos é a única forma de sobreviver. Ao realizar ataques carregados contra os inimigos, vai começar a encher um medidor de Sede de Sangue, que quando estiver a pulsar vermelho, permitirá recuperar a saúde de todos os golpes subsequentes. Como esta é a única forna de curar a personagem, isso significa que terá de arriscar para se curar, o que pode criar momentos verdadeiramente intensos quando o boss e o jogador estão ambos no seu último centímetro de saúde. Além disso os jogadores têm a capacidade de se desviarem três vezes sem sofrerem dano, mas cada desvio fica bloqueado por um cronômetro lento, o que significa que tem de considerar seriamente onde os irá usar.

Como Eldest Souls é um jogo que só inclui batalhas com bosses, convém que esses bosses sejam de qualidade. Ora, nesta hora de jogo tivemos a oportunidade de enfrentar três oponentes diferentes, que além de nos terem ensinado alguns pormenores da jogabilidade, proporcionaram uma luta desafiadora. O claro destaque aqui foi Azikel, Deus da Luz, o primeiro dos Velhos Deuses no jogo, que encontrámos dentro de uma velha igreja dilapidada. Azikel é um boss formidável que irá força-lo a mostrar o quão bem se desvia, já que dispara feixes de luz que não pode bloquear, e ainda consegue realizar um poderoso ataque horizontal usando os dois garfos brilhantes que tem nas mãos.

Eldest Souls

Existem três árvores de habilidades por onde pode evoluir a personagem - Counter, Windslide e Berserk Slash -, com perto de 25 habilidades desbloqueáveis ​​por ramificação. Cada uma dessas árvores de habilidades suporta estilos de jogo diferentes, com Counter (como o nome sugere) complementando quem gosta de arriscar e contra-atacar o oponente, Windslide indicado para quem gosta de estar em movimento e à distância, e Berserk Slash, que é a mais indicada para ataques diretos corpo-a-corpo. Se não ficar satisfeito, pode sempre reaplicar os pontos noutros sítios da árvore, mesmo que não seja possível mudar de árvore em si.

Embora possa ir direito aos bosses, existem missões secundárias que pode completar, além de itens colecionáveis ​​que ajudam a explicar o mundo de jogo. Conforme se aventura pelo cenário sombrio de Eldest Souls, irá encontrar personagens que irão pedir a sua ajuda, e que estarão dispostas a oferecer recompensas por isso. Uma dessas recompensas que recebemos foi Feather of the Dawn, um item que aumenta a velocidade em até 20%, depois de sair de combate. E por falar em velocidade, pode usar viagens instantâneas para qualquer área que tenha visitado.

Estamos entusiasmados com Eldest Souls, mas também temos algumas queixas a reportar. Em primeiro lugar, apesar do jogo ser puramente offline, não existe função de pausa, o que significa que não terá escolha a não ser abandonar o seu progresso caso receba uma chamada ou tenha de parar durante um combate. Online não há forma de evitar isso, mas forçar isso num jogo offline parece-nos absurdo - tanto aqui, como também o é em Dark Souls. Em segundo lugar, será forçado a comprometer-se com uma das árvores de habilidades logo no início do jogo. Parece-nos excessivo obrigar a essa escolha logo de início, quando ainda nem conhecemos minimamente cada estilo de combate.

A espera por Eldest Souls está quase a chegar ao fim, e mal podemos esperar para voltar a um dos "Souls" mais promissores do ano. O jogo oferece aos jogadores bastante flexibilidade por meio das suas três árvores de habilidades distintas, e a ação em ritmo acelerado garante uma grande sensação de risco/recompensa. Gostaríamos que a Fallen Flag Studio revisse algumas das decisões que parece ter tomado, como a ausência de pausa, mas de resto, estamos muito entusiasmados com Eldest Souls.

Eldest Souls
Eldest SoulsEldest Souls

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte


Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.