Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor
especiais

TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016

Jogaram-nos a todos?

HQ

10º Stardew Valley
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"A gestão da quinta é o núcleo da experiência de Stardew Valley, e é dessa capacidade neste campo que vai resultar o quão bem sucedidos vão ser no jogo. Vão precisar de lucros para adquirirem novas ferramentas, construírem estruturas melhores, e aumentarem os lucros. Outro elemento importante da experiência é a comunidade local, que organiza eventos em que podem participar, e até podem construir algumas amizades. É neste aspeto que a influência de Animal Crossing é mais evidente. Cada habitante tem a sua personalidade, os seus horários, e as suas rotinas, e podem escolher entre tentar criar uma relação, ou ignorá-los por completo. Se optarem pela primeira escolha podem receber informações privilegiadas ou até pedidos. Ao todo são mais de 30 as personagens que podem conhecer e tentar socializar."
Ler análise completa.

HQ
TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016

9º Titanfall 2
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Conforme avançam pela campanha vão desbloqueando novos tipos de Titãs que podem usar, e quase todas as opções são interessantes. Gostámos particularmente de Ronin, equipado com uma espada, Scorch, que tem ataques devastadores, e Northstar, que utiliza uma arma de longo alcance. São excelente escolhas, que gostaríamos de ter tido a oportunidade de explorar numa campanha mais longa ou com maior profundidade. Gostaríamos de ter tido a opção New Game Plus para explorarmos o jogo noutro contexto, ou a introdução de opções especiais como é costume em Halo, para que existissem mais incentivos para repetir a campanha, mas infelizmente não existe."
Ler análise completa.

HQ
TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016

8º Battlefield 1
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"As armas, antiquadas, estão entre as mais satisfatórias que disparámos num jogo. Os modelos em si são super-detalhados, e as animações estão soberbas. Uma das nossas opções favoritas foi a espingarda semi-automática, que é preciso recarregar bala-a-bala. Porquê? Porque a animação de recarregamento é uma delícia. Mais importante ainda, o coice que a arma dá é convicente, e são naturalmente mais exigentes do que as contra-partes modernas. Em comparação com os tempos modernos, esta é uma era muito limitada tecnologicamente, e essa sensação oferece um sentido de novidade a um jogo de ação na primeira pessoa."
Ler análise completa.

HQ
TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016

7º Civilization VI
Plataformas: PC

"É fácil perceber que a Firaxis dedicou muito trabalho a Civilization VI, sobretudo no sentido de tornar cada ação mais importante para o jogador. Agora existe menos micro-gestão, mas também menos automatização, e cada escolha tende a ser significativa. A mudança no Builder (anteriormente conhecido como Worker/Engineer) é provavelmente a mais importante. Esta unidade está limitada a melhoramentos para apenas três azulejos (os padrões em grelha que cobrem o mapa), o que torna os melhoramentos mais preciosos. Considerando os novos tipos de distritos (já lá vamos), vão precisar de melhorar menos azulejos do que é habitual."
Ler análise completa.

HQ
TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016

6º Dark Souls III
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Visualmente, este é o jogo mais bonito da saga, o que não é surpreendente considerando que é o primeiro criado de raiz para a nova geração. Mas mesmo comparando com Bloodborne, exclusivo PS4 dos mesmos produtores, Dark Souls III leva vantagem. O jogo parece ter melhor qualidade visual, e a experiência em si decorre de forma mais fluída do que em Bloodborne. Também ficámos surpreendidos com a quantidade de cor que algumas áreas do mundo mostram, embora o tema por trás de Lothric seja evidente - chamas, brasa, e cinzas. A beleza dos cenários é de tirar a respiração, mas não se deixem enganar durante muito tempo, porque chegámos a ser empurrados para a morte enquanto estávamos distraídos com a beleza de Dark Souls III."
Ler análise completa.

HQ
TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016

Continua na página seguinte.

5º Xcom 2
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Se ainda não ficou evidente, adorámos Xcom 2. Enemy Unknown já era um jogo fantástico, e esta sequela melhorou todos os elementos da experiência. É um jogo ainda mais entusiasmante, viciante, imersivo e recompensador. Neste texto, que nem é pequeno, só falámos de alguns dos elementos mais importantes, mas existe muito mais para explorarem no jogo em si, opções que vão assegurar muitas horas agarradas ao teclado se gostarem deste género. Mesmo considerando que beneficiaria de mais algum tempo a ser limado, Xcom 2 é um dos melhores, senão o melhor, jogo de estratégia por turnos que já jogámos."
Ler análise completa.

HQ
TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016

4º Overwatch
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Também é necessário aplaudir o excelente design visual das personagens, o que não é de estranhar considerando o passado da Blizzard. Cada um dos 21 heróis tem uma personalidade muito vincada, em termos de aspeto, postura, animações e voz, o que as torna facilmente identificáveis. Depois de algumas horas de jogo vão identificar cada personagem com um mero vislumbre. Aliás, Overwatch é um triunfo técnico, porque o jogo corre bem em todas as plataformas - PS4, PC e Xbox One - mantendo sempre uma jogabilidade bastante fluida. O jogo está de tal forma optimizado, que mesmo um PC mediano pode correr Overwatch com grande facilidade."
Ler análise completa.

HQ
TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016

3º Inside
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Tal como Limbo, Inside não inclui qualquer diálogo. Mesmo os efeitos sonoros e as músicas são escassas e subtis. É o exemplo perfeito de que, por vezes, menos pode ser mesmo mais. O som dos passos nos salões industriais, ou das gotas da chuva a baterem em chapa arruinada, podem passar despercebidos em muitos jogos, mas quando aqui é tudo o que ouvem, acabam por ter um impacto esmagador. Já a música tenta acompanhar as ações do jogador com melodias electrónicas, mas passa quase sempre despercebida. O departamento sonoro da Playdead sabe exatamente quando é preciso uma música para aumentar a intensidade de uma cena, ou o silêncio para deixar que seja o cenário a falar por si. Tudo isto acrescenta para uma experiência que, acima de tudo, transmite solidão."
Ler análise completa.

HQ
TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016

2º Dishonored 2
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Como no anterior, terão de usar runas mágicas para desbloquearem os poderes místicos de cada personagem. Um dos acessórios que carregam é um coração mecânico que pulsa na direção de runas e outros objetos, permitindo identificar a sua posição. Existe uma lista impressionante de habilidades para escolher, se optarem por evoluir o lado sobrenatural de Corvo ou Emily, desde abrandar o tempo, ver através das paredes, possuir corpos, ou ligar o destino de duas personagens (se uma sofrer dano ou morrer, a outra sofre o mesmo). Mais impressionante ainda é a facilidade com que podem combinar habilidades, e se realmente explorarem as capacidades do que é possível, podem criar situações altamente criativas e satisfatórias."
Ler análise completa.

HQ
TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016

1º Uncharted 4: A Thief's End
Plataformas: PS4

"Grande parte do investimento do jogador nesta aventura grandiosa vem das personagens, do argumento e das interpretações brilhantes dos atores. Os já habituais Nolan North, Richard McGonagle e Emily Rose regressam nos seus papéis como Drake, Sullivan e Elena, mas são acompanhados por interpretações fantásticas de Troy Baker, Laura Bailey e Waren Kole, na pele das novas personagens Sam Drake, Nadine Ross e Rafe Adler. Essas interpretações ganham força graças a magnífica direção, excelente técnicas de captura de movimentos, e uma qualidade gráfica impressionante. Uma palavra ainda para a localização portuguesa, que embora positiva, não está ao nível do comportamento dos atores originais. A melhor forma de jogar, na nossa opinião, é mesmo com vozes em inglês e legendas em português."
Ler análise completa.

HQ
TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016


A carregar o conteúdo seguinte