Português
Gamereactor
análises
The Last Faith

The Last Faith

Castlevania e Bloodborne têm um filho apaixonado, e o novo jogo de ação e aventura The Last Faith faz jus ao brilho de seus pais do início ao fim.

HQ

Não é incomum que os desenvolvedores ostentem quais outras obras tentaram emular na esperança de atrair um público já convertido, mas a questão é se alguém supera o orgulho que The Last Faith exibe quando se trata de honrar suas inspirações. Como medalhas de honra polidas, indícios de Castlevania e Bloodborne pairam sobre o peito aceso desta nova aventura indie, e não há absolutamente nenhuma dúvida de que Fromsoftware e Konami foram olhados uma ou duas vezes. No entanto, não há nada de errado em mirar alto, e no caso de The Last Faith, não há necessidade de ficar constrangido por um segundo na companhia de seus irmãos mais populares, pois eles fazem muito bem entre esses pilares de ancoragem de conceitos comprovados.

The Last Faith

É difícil não mencionar o visual, pois é isso que se destaca à primeira vista. Os pixels bem coloridos são brilhantemente colocados na tela para criar ambientes que não pareceriam fora de lugar nas ruas escuras de Yharnam ou no castelo arruinado de Drácula. Há uma beleza sombria em tudo, desde os objetos que surgem ao fundo até os personagens que operam na vanguarda das cenas, e em conjunto com as animações suaves, cada quadro se torna uma pequena obra-prima para o jogador saborear. A variedade também é de extrema qualidade, pois podemos visitar tudo, desde mansões em ruínas a criptas assombradas, e no meio também temos tempo para desvios para pântanos tranquilos e passagens de montanha congeladas, onde tudo, desde cores quentes suaves a tons frios gelados, competem por espaço.

The Last Faith
Publicidade:

Tudo isso é então acompanhado por uma trilha sonora triste e sutil que adiciona um cobertor de melhoria de humor a toda a experiência, e o resto da paisagem sonora faz um trabalho brilhante de inserir passos ecoantes ou gritos gelados para aumentar a intensidade. Em seguida, adicione o fato de que os dubladores fazem um trabalho impecável de dar vida a todos os personagens e, mesmo que a maioria do elenco tenha uma performance arrastada e obscura, eles o fazem com uma sensação de equilíbrio e confiança que suga você como jogador para o mundo que você está tentando pintar.

The Last Faith

Em termos de jogabilidade, The Last Faith entrega uma mistura bem composta entre os já mencionados Castlevania e Bloodborne, mas deve-se esclarecer que ele atrai significativamente mais para Symphony of the Night em comparação com as aventuras mais modernas de Souls de Miyazaki. Há simplesmente mais foco em velocidade e ritmo, e você raramente precisa rastejar por salas e cavernas cheias de monstros enquanto se sente rapidamente forte e ágil como Alucard ou Simon Belmont. Aliás, esta é uma abordagem relativamente nova em um gênero que geralmente quer bater suas pernas de vez em quando, e eu aplaudo os desenvolvedores por não irem cegamente para uma experiência difícil e frustrante, mas encontrarem um meio termo mais acelerado sem solavancos de velocidade constantes.

Mas não pense que The Last Faith não é desafiador, porque é. No entanto, o desafio está em momentos individuais, como certos inimigos ou chefes, e é nesses momentos que você tem que parar e analisar sua estratégia para sair vitorioso. Falando em chefes, por sinal, aqui estão alguns dos melhores exemplos do gênero quando se trata de retratar um design de jogo difícil, mas justo. Você não tenta fazer muito ao mesmo tempo, mas a maioria dos oponentes tem padrões de ataque claros que nunca parecem injustos, então você sempre tem uma chance de ter sucesso desde a primeira tentativa.

Publicidade:
The Last Faith

Nem tudo são florestas de ouro e verde, no entanto, e há algumas falhas que pelo menos prejudicam o quadro geral e lhe dão uma vantagem. Por exemplo, você pode escolher uma das quatro classes diferentes no início do jogo e, embora elas venham com atributos diferentes, seu equipamento inicial é idêntico entre si. É estranho poder escolher se você quer ser um mago ou um atirador, mas você não pode começar com nenhuma ferramenta além de uma espada baseada na categoria Destreza. Muito estranho mesmo. Outra coisa irritante é que você morre imediatamente se pular da tela ou cair em um poço de espinhos. Na maioria dos outros jogos deste tipo, você geralmente é penalizado com pontos de saúde perdidos, mas aqui é um jogo sobre a tela imediatamente se você der um passo errado. Pode parecer uma coisa muito trivial e, para ser honesto, raramente incomoda, mas ainda estraga um pouco a aventura quando você não se atreve a procurar passagens escondidas ou tesouros escondidos porque sabe que pode ter que reiniciar no último ponto de salvamento se cometer um erro.

The Last Faith

Em última análise, porém, The Last Faith oferece uma aventura de ação altamente competente que não tem vergonha de tentar imitar seus ídolos. Pode não oferecer nada de novo sob o sol, mas se você gosta da jogabilidade deliciosa de Castlevania e do pensamento de design gótico de Bloodborne, The Last Faith não o deixará decepcionado por um único segundo.

The Last Faith
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

0
The Last Faith Score

The Last Faith

ANÁLISE. Escrito por Joakim Sjögren

Castlevania e Bloodborne têm um filho apaixonado, e o novo jogo de ação e aventura The Last Faith faz jus ao brilho de seus pais do início ao fim.



A carregar o conteúdo seguinte