Português
Gamereactor
especiais
The Elder Scrolls Online

The Elder Scrolls Online: Entrevista com o Diretor Criativo

Depois da sessão de jogo, conversámos com uma das mentes responsáveis pela adaptação de Elder Scrolls ao género MMORPG - Paul Sage.

O nosso colega Philip Lauritz Poulsen teve a oportunidade de jogar mais um pouco de The Elder Scrolls Online (podem ler as suas impressões aqui), numa visita à Bethesda e ainda aproveitou para conversar com Paul Sage, o Diretor Criativo do jogo, uma entrevista que podem ler em baixo.

The Elder Scrolls Online

Anteriormente afirmaram que o vosso objetivo passa por atrair jogadores de Elder Scrols e fãs do género MMO. Como tem sido a busca para encontrar uma forma de corresponder às expetativas dos dois públicos?

Penso que temos uma exigência tão alta para nós próprios como equipa de produção, e representamos os dois públicos internamente, por isso houve uma série de passos que tomamos: "O que queremos fazer, enquanto produtores, para produzir um excelente RPG Elder Scrolls e quais são as expetativas que serão comuns entre os fãs de MMO."

Por isso fizemos um exercício, onde escrevemos o que queríamos do jogo enquanto jogadores de MMO e o que queríamos enquanto fãs de Elder Scrolls, e foi fantástico ver onde esses elementos se cruzaram. Não sei se tem sido difícil, diria antes interessante, tentar encontrar o jogo que queríamos e a partir daí, fazer com que os objetivos se cruzassem.

Foram obrigados a fazer algum compromisso, de forma a permitir que certas mecânicas fossem incluídas na jogabilidade?

Existem alguns elementos que não funcionam num ambiente multijogador, que são mais indicadas para jogabilidade a solo. Por exemplo, não podemos permitir que matem qualquer NPC no mundo de jogo. Não diria que são compromissos, mas são elementos normais numa experiência a solo de Elder Scrolls que não podem estar no MMO.

Também fomos obrigados a ser muito mais rígidos com a economia do jogo, ou seja na forma como introduzimos itens e ouro no jogo. Outro elemento ausente é o motor de física em tempo real, que é muito mais difícil de colocar em prática com centenas de jogadores online ao mesmo tempo. São o tipo de situações que temos de ponderar quando estamos a lidar com um RPG de proporções massivas como este.

The Elder Scrolls Online

Como tem sido o processo de levar o MMORPG para a PlayStation 4 e a Xbox One?

Primeiro vou dar a minha opinião, e basicamente penso que está fantástico nas consolas por vários motivos.

Em relação à produção, existem dois grandes desafios. Um passa pro conseguir que a comunicação entre jogadores funcione bem, já que esse é um elemento essencial dos MMO. Como fazemos para que centenas de jogadores comuniquem uns com os outros? O outro desafio é certificarmo-nos de que os controlos funcionem bem na plataforma em que estão, seja PC ou consolas. Não queremos que ninguém pense algo como "Estes controlos foram obviamente produzidos para a outra plataformas." Temos de nos certificar que se joga bem, independentemente de ser consolas ou PC. Penso que estes têm sido os nossos dois maiores desafios.

Originalmente pensou-se que TESO seria um título free-to-play. Agora que já foi confirmado que o jogo terá um sistema de subscrições pagas, pensam que será capaz de competir com outros jogos gratuitos no mercado, especialmente nas consolas de nova geração?

Não quero parecer irreverente, mas penso que as pessoas estão dispostas a pagar e preferem jogos de qualidade. Não estou a dizer que não existem jogos free-to-play de qualidade, o que quero dizer é que o nosso compromisso com o jogo tem muito valor, em relação ao dinheiro que os jogadores vão pagar. Penso que, quando começarem a ver as atualizações que vamos lançar após o lançamento do jogo, e a nossa vontade de proporcionar um serviço de qualidade e conteúdo de qualidade, as pessoas vão perceber que estão a receber o que pagam.

The Elder Scrolls tem uma história de fundo muito rica e os fãs da série estão habituados a encontrar livros nos jogos com a história de Tamriel. Já que o jogo decorre depois dos eventos de TESIV: Oblivion, vamos presenciar eventos sobre os quais lemos em Skyrim?

Claro que sim! Vão ver várias localizações mencionadas nos livros, de todos os Elder Scrolls, e até algumas coisas que só foram referenciadas como rumores. Uma das minhas referências favoritas é a batalha de Glenumbra Moors, que os jogadores podem experienciar em TESO. Mannimarco também vai aparecer no jogo. Será uma das personagens principais, e apesar de não ser uma referência direta dos livros, essa história vai influenciar o jogo. Tem sido fantástico, poder pegar nessas histórias e incluí-las no jogo.

The Elder Scrolls sempre ofereceram fantásticas experiências a solo, e embora o conceito de poder experienciar isso com amigos seja promissor, como vão assegurar que outros jogadores não vão estragar a experiência?

Como produtores, procuramos evitar colocar sistemas que possam ser abusados. Temos mecânicas, como trocas seguras, que não eram muito comuns nos primórdios dos MMO, e como mencionámos antes, os jogadores não podem matar NPC importantes para estragar a experiência de outros jogadores.

Também estamos a trabalhar em outros elementos, que atualmente começam a ser comuns no género e que reduzem a capacidade de outros jogadore estragarem propositadamente a nossa experiência.

Em relação às comunicações, sempre que iniciarem uma conversação, podem aparecer indivíduos que podem tentar provocar outros jogadores. Podem escolher ignorá-los e, se chegar a esse ponto, teremos um departamento de apoio ao consumidor que estará ativo a partir do dia de lançamento para lidar com jogadores problemáticos. Acreditamos que uma comunidade saudável ajudar a manter o jogo saudável, por isso estamos muito empenhados em lidar com isso.

O sistema de escolhas e consequências parece muito interessante, mas como se certificaram que não vai quebrar a imersão? Por exemplo se eu salvar um grupo de pessoas os meus amigos também os vão ver, mesmo que tenham feito outra escolha?

Fazer com que os jogadores fiquem imersos no mundo de jogo é crítico para que a história possa brilhar, por isso nestas áreas onde vocês não tomaram as mesmas decisões que outros jogadores, penso que as consequências serão fortes o suficiente para terem um impacto, mas ao mesmo tempo não serão importantes ao ponto de dizerem algo como: "Bom, vamos lá ter com os refugiados que salvámos mais cedo." Existe obviamente alguma dissonância, mas está lá de forma a atrair ainda mais os jogadores e fazer com que sintam que as suas decisões contam, que é extremamente importante para um jogo de Elder Scrolls.

The Elder Scrolls Online

Existem consequências maiores para as escolhas que fazemos, como destruir uma aldeia e salvar outra?

Podem ver algo dessa magnitude, mas quando o virem, vão vê-lo no final do ciclo dessa área. Queremos mostrar um grande impacto pelas escolhas, mas também não queremos abusar na separação entre jogadores. Confessamos que em momentos, os jogadores estarão separados, mas acreditamos que é melhor assim.

Que tipo de masmorras vamos encontrar em TESO? Vão existir Raids para grupos maiores?

Existem dois tipos de masmorras, as Public, para dois jogadores, e as Instances, para quatro pessoas. Depois temos as Adventure Zones, para grupos de doze elementos, mas só vamos revelar detalhes sobre essas zonas mais tarde. Estas podem ser comparadas a Raids, mas são um pouco diferentes do que as pessoas conhecem de outros MMOs.

Existem elementos cooperativos entre as três facções

Neste momento as fações são muito restritivas, por isso duvido que vejam muita cooperações entre as três facções, pelo menos para já.

Como é que TESO vai lidar com os atributos no equipamento? Serão os números que vão determinar o sucesso de uma personagem, ou vai depender mais da gestão dos recursos?

É suposto ser uma combinação de ambos, incluindo a vossa própria habilidade para se posicionarem e movimentarem em combate. E claro, bloquearem. Existe um elemento em tempo real, seja bloquear, correr, desviar... esse tipo de situações e depois devem gerir os recursos, com a saúde, a magia e a energia. Por fim, existem os atributos do equipamento. Estes três elementos vão determinar o combate.

Por fim, a pergunta mais importante: Vão aparecer dragões?

[risos] Não, não vão aparecer dragões. Embora existam no mundo de Tamriel, nunca era em específico não estavam vivos.

Textos relacionados

The Elder Scrolls OnlineScore

The Elder Scrolls Online

ANÁLISE. Escrito por Oskar Nyström

Depois de vários dias intensos com The Elder Scrolls Online, sentimo-nos confortáveis para classificar o primeiro MMO de Elder Scrolls.



A carregar o conteúdo seguinte


Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.