Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Início
especiais
Resident Evil: Revelations 2

Resident Evil: Revelations 2 - Episódio 3 Análise

Agora no penúltimo capítulo, Revelations continua a mostrar muita ambição.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Como parte de uma nova política de análises que estamos ainda a implementar, os capítulos individuais de jogos com formato episódico vão passar a ser 'analisados' sem uma nota no fim. Acreditamos que a nota só deve ser atribuída ao conjunto total e não a uma parte singular.

Como se trata da análise a um episódio intermédio, o texto pode incluir pequenos spoilers. Podem ler a análise ao primeiro episódio aqui e ao segundo aqui.

-------------------------------------------------------------

A nossa estimativa inicial, de que cada episódio de Revelations 2 iria rondar as duas horas (no que à campanha diz respeito), começa a sair furada. O segundo episódio ultrapassou bem as duas horas de jogo e este terceiro episódio é o maior dos três libertados até ao momento. Vão percorrer várias salas e edifícios com múltiplos andares, num episódio onde as duas campanhas começaram finalmente a divergir no estilo visual.

Como referimos nos capítulos anteriores, Revelations é como uma combinação dos vários ritmos e mecânicas que foram introduzidas na série ao longo dos anos. Existem momentos de exploração e resolução de puzzles que lembram os clássicos de outrora, que intervalam secções com grandes números de inimigos, mais próximas dos últimos jogos da série. Resolver um puzzle, encontrar uma chave, desbloquear uma porta, desbastar mutações - é este o ritmo com que se desenrola Resident Evil: Revelations 2.

Neste ponto da história o jogo presume que já aprenderam a dominar as mecânicas da jogabilidade e que exploraram a árvore de habilidades. E é nesse ponto que nos encontramos, confortáveis com as armas que carregamos e com as habilidades das personagens. Com o avançar do terceiro episódio, encontrámos novas adições para o arsenal, que obrigaram a alguma experimentação, sobretudo porque só é possível carregar quatro armas de cada vez.

Resident Evil: Revelations 2

É uma escolha importante, porque existem várias ameaças novas neste terceiro capítulo. Ainda assim, com exceção para um momento particular na campanha de Barry, não sentimos uma oscilação tão grande na dificuldade como nos dois capítulos anteriores. O jogo é bastante insistente numa lição que pretende passar ao jogador, de que os inimigos abatidos e estendidos no chão, não estão necessariamente mortos - alguns até regressam à vida pouco depois como bombas caminhantes. E acreditem, existem muitos produtores sádicos na Capcom, ou pelo menos é essa a ideia que o jogo passa, considerando a forma como nos 'explode' sem remorso.

A mudança de ares para os edifícios marca uma nova mudança de ritmo no jogo. Tem sido agradável perceber que a Capcom fez um esforço para que cada capítulo tivesse um ambiente e uma estrutura única. Gostámos particularmente do facto de que as duas campanhas começam finalmente a mostrar grandes diferenças visuais entre si, quando em momentos das anteriores, foram excessivamente semelhantes.

Quanto a preferências entre as duas campanhas, para já estamos a gostar mais da aventura de Barry e Natalia, embora as duas sejam emocionantes neste capítulo, com boas sequências de ação e interligações. Cada campanha tem também um encontro único com um Boss, mas também aqui inclinamos mais no sentido da aventura de Barry, já que deixa o Resident Evil tradicional para trás e entra um pouco no território dos filmes de John Carpenter. Quanto à história, existem alguns comentários memoráveis de Moira e Claire, mas é a relação de Barry e Natalia que nos mantém interessados.

Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2

Um elemento que nos despertou a curiosidade no início da aventura foram as pulseiras que medem o ritmo cardíaco e a condição mental do utilizador, capazes de acionarem uma mutação se forem consumidos pelo medo. Pareceu-nos um conceito interessante, mas que até ao final do terceiro capítulo tem sido desaproveitado.

É uma pequena queixa, mas numa abordagem geral, estamos satisfeitos com a experiência de Resident Evil: Revelations 2. O final deste terceiro capítulo deixa tudo em aberto para o quarto e último episódio, que estamos ansiosos para jogar na próxima semana.

Cada episódio custa € 5.99 avulso, ou € 24.99 com Season Pass. Se preferirem comprar a versão de retalho, terão de pagar € 39.99. Podem ver o trailer em baixo e os primeiros vinte minutos de jogabilidade do terceiro episódio aqui.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte