Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Início
análises
Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX

Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX

Uma nova geração de fãs pode finalmente apreciar um dos jogos mais peculiares de Pokémon.

Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX

Talvez não saiba, mas Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX não é um jogo original criado de raiz. É antes a reunião de Pokémon: Red Rescue Team e Pokémon Blue Rescue Team, lançados originalmente para Game Boy Advance e Nintendo DS, não no seu formato original, mas através de um remake com grafismo novo, melhoramentos gerais, e o refinamento da jogabilidade. É também uma proposta diferente do habitual para a série, já que aqui irá controlar diretamente um pokémon, num mundo 'pintado' a aguarelas.

O jogo arranca com um questionário, onde irá responder a perguntas como "o que faria durante uma invasão de extra-terrestres?" e "quantas vezes boceja por dia?". A sua resposta a estas perguntas irá determinar que pokémon irá controlar durante a aventura, mas não é obrigado a assumir o seu controlo, já que pode dispensar o teste e simplesmente selecionar o seu pokémon e o seu parceiro entre as escolhas disponíveis.

Lembra-se quando em cima referimos que irá jogar com um pokémon? Bem, não é totalmente verdade, já que na verdade está a assumir o controlo de um humano aprisionado no corpo de um pokémon. O problema é que perdeu a memória, e nem sequer sabe como foi parar a esta situação. Ao ser acordado pelo seu parceiro, ouve o pedido de ajuda de um Butterfree, e é assim que ganha a sua primeira missão: resgatar Catepie, a cria de Butterfree, que caiu numa enorme crateras. Isto acaba por dar uma ideia ao protagonista, o de formar uma equipa de resgate formada por outros pokémons.

É a mesma narrativa que estava presente nos originais, que já na altura pintava os pokémons com tremenda personalidade, permitindo um vislumbre raro ao mundo dos pokémons, incluindo o funcionamento da sua comunidade quando não estão a ser obrigados a combater por ordens dos treinadores.

Durante a aventura irá também explorar várias masmorras, normalmente geradas de forma automática. Isto significa que nunca irá saber onde estão escondidos inimigos, colecionáveis, e segredos, o que torna ainda mais desafiante a gestão da equipa. É que a fome e o estatuto de cada membro da sua equipa irá piorar com cada passo e ação, e se não tiver atenção a esse fator, eventualmente irão desmaiar de fome ou sofre com condições prejudiciais.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Se os pokémons opostos gostarem do seu estilo de combate, podem aceitar juntar-se à equipa, e até os que são efetivamente derrotados, podem ser recrutados, desde que lhes ofereça os mantimentos adequados. Para que eles se unam, contudo, precisa de ter o acampamento correspondente, que pode ser adquirido na loja de Wigglytuff, já que os pokémons tendem a ser específicos para cada masmorra. Embora aqui não esteja realmente a "apanhá-los todos", este sistema de recrutamento é uma alternativa interessante, que nos ocupou durante várias horas extra. É um leque bastante generoso, já que inclui as criaturas de Red Rescue Team e Blue Rescue Team.

O nosso maior problema com o jogo prende-se com alguma falta de profundidade em certas áreas, como a exploração que pode ser dispensada por completo com o sistema de auto-piloto, e o sistema de combate, que podia estar num jogo mobile. O combate é feito por turnos e decorre num sistema em grelha, com cada ação - defensiva ou ofensiva - a tomar um turno. É preciso ter em conta as características dos adversários e as habilidades dos seus pokémons, e como melhor os contrariam, mas é um sistema pouco profundo, com poucas opções, onde a interação do jogador acaba por ser algo limitada.

Além da história principal existem outras missões secundárias que pode aceitar nos correios ou na sua caixa postal, e ainda existe um dojo na cidade que permite participar em desafios que melhoram a força do grupo. Ou seja, vai encontrar uma boa dose de conteúdo opcional para realizar, mas não é muito interessante, limitando-se a ir buscar um item, ou resgatar um pokémon. Os próprios desafios no dojo não são muito interessantes, com propostas como derrubar o maior número de pokémons possíveis dentro de um tempo especificado.

Não podemos deixar de referir a qualidade visual de Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX, que apresenta um evidente melhoramento em relação aos originais. É estilo encantador, que simula uma pintura em aguarelas, e que distingue de imediato este jogo dos restantes Pokémons. Falta alguma variedade, sobretudo ao nível das masmorras, mas de resto, adorámos o grafismo de Rescue Team DX.

A Spike Chunsoft fez um belo trabalho de modernização destes dois clássicos, mas a não ser que fizesse tudo de novo, era difícil escapar das limitações dos mesmos. Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX está longe de ser obrigatório, e não tem a qualidade dos outros jogos Pokémon, mas tem os seus pontos de interesse. Uma boa proposta para quem está mais interessado em explorar o mundo dos pokémons do que numa experiência de jogabilidade profunda.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DXPokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX
Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DXPokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DXPokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX
07 Gamereactor Portugal
7 / 10
+
Grafismo encantador. Permite ver o mundo dos pokémons noutra perspetiva. Inclui bastante conteúdo.
-
Torna-se repetitivo. Falta profundidade à experiência de jogo.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte