Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor Portugal
análises
Phoenix Wright: Ace Attorney Trilogy

Phoenix Wright: Ace Attorney Trilogy

Será que consegue defender o seu caso em tribunal?

Phoenix Wright: Ace Attorney Trilogy

Phoenix Wright: Ace Attorney Trilogy é uma remasterização curiosa por parte da Capcom, no sentido em que pegou numa saga antiga, lançada originalmente para GameBoy Advance e normalmente associada a consolas Nintendo, e libertou-a para PC, PS4, e Nintendo Switch. Como o nome indica, são três os jogos aqui incluídos, todos baseados num conceito de jogo único.

Trata-se de uma série dividida em episódios, com foco muito grande em narrativa, e com mecânicas de jogo que lembram os clássicos de aventura "aponta e clica". Os jogadores vão acompanhar o advogado Phoenix Wright, através de uma série de casos que terão de resolver, com um leque excêntrico de personagens para defender. O seu primeiro caso, contudo, é bastante pessoal, já que envolve defender o seu melhor amigo de uma acusação de homicídio.

O primeiro capítulo de Ace Attorney é acessível, e serve sobretudo para introduzir o jogador às particularidades do jogo. Mia, a patroa de Phoenix, oferece uma série de dicas úteis que vos irão ajudar nos processos de interrogação às testemunhas, apresentação de provas, e escolhas de diálogos, entre outros.

A premissa é simples, e a jogabilidade também, mas não se deixem enganar. Precisam de tomar muita atenção aos testemunhos, à procura de incoerências e de momentos em que devam intervir para os pressionar ou desmentir. No segundo capítulo, Phoenix Wright deixa de ser apenas um advogado de tribunal e passa a assumir também o papel de detetive, mas não vamos revelar de que se trata o caso.

Em algumas situações, o jogo mostra ao jogador quem cometeu o crime antes de irem a tribunal, através de uma sequência de vídeo, mas preferimos quando isso não acontece, e o culpado é um verdadeiro mistério. Algo que apreciamos é o facto de não ser uma mera questão de encontrar os itens certos, é também preciso usar senso comum, atenção, e conhecimento para triunfarem.

As vossas ações, contudo, estão limitadas ao que Phoenix Wright sabe, e isso depende das provas que encontram e das testemunhas que interrogaram. Embora passe bastante tempo no escritório, em centros de detenções, e o tribunal, vão explorar outras localizações, como cenários de cinema e quartos de hotel, por exemplo. Aqui surge uma particularidade frustrante do jogo, já que para visitarem uma localização, precisam de percorrer uma lista, e se quiserem um quarto específico dentro de uma localização, têm de navegar para outra lista. Este processo devia ser mais simples e imediato, mas embora seja chato, não é grave.

Phoenix Wright: Ace Attorney TrilogyPhoenix Wright: Ace Attorney Trilogy

A jogabilidade ao longo dos três jogos é muito semelhante, embora existam algumas particularidades de jogo para jogo. No segundo, por exemplo, são introduzidos os Psyche-Locks, mecanismos que servem de metáfora para a verdade, e que só são destrancados quando apresentam as provas necessárias. Quanto ao terceiro jogo, recorre imenso a flashbacks, sobretudo da antiga patroa de Phoenix e dos seus anos iniciais de carreira.

A ausência de inovações reais no terceiro jogo foi motivo de crítica na altura do lançamento, mas a sua história foi elogiada, e apresentada desta forma, como uma trilogia seguida, não parece tão crucial essa necessidade de inovação.

Uma constante ao longo dos três jogos é a qualidade da escrita e dos diálogos, o que é crucial num jogo deste género, já que uma grande fatia da experiência é passada a ler. Só há a lamentar a ausência total de vozes, o que torna as sequências mais difíceis de seguir, mas ainda assim, a qualidade da história, das piadas, e dos acontecimentos, são suficientes para manter o jogador interessado e atento.

Ao longo dos três jogos também vão encontrar uma série de personagens interessantes, como Edgeworth, o advogado que adora subornar casos; Gumshoe, o detetive adorável e trapalhão; ou Maya Fey, que tem poderes místicos e consegue invocar espíritos. Além de serem bem escritas, estas personagens também evidenciam grande personalidade através dos seus desenhos. Aliás, toda a arte do jogo foi bem adaptada à resolução das novas consolas, e apresentam bué aspeto mesmo numa grande TV.

Phoenix Wright: Ace Attorney Trilogy é uma experiência divertida e imersiva, recheada de conteúdo. A qualidade da escrita, a beleza da arte, e a forma como desafia o intelecto do jogador, são elementos que tornam esta trilogia numa recomendação para quem aprecia desafios deste género e jogos baseados em narrativa e diálogo. Alguns elementos podiam estar melhores, a ausência de vozes é lamentável, e o ritmo pode ser excessivamente lento para alguns dos jogadores, mas Phoenix Wright: Ace Attorney Trilogy é ainda assim uma coleção com grande valor.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
Phoenix Wright: Ace Attorney TrilogyPhoenix Wright: Ace Attorney Trilogy
Phoenix Wright: Ace Attorney TrilogyPhoenix Wright: Ace Attorney TrilogyPhoenix Wright: Ace Attorney Trilogy

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
07 Gamereactor Portugal
7 / 10
+
Visualmente continua apelativo. Excelentes diálogos. Desafio o intelecto do jogador.
-
Podia e deveria ter sido mais modernizado. Poucos momentos de ação torna a experiência muito lenta.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor