Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor
análises
Lost Judgment

Lost Judgment

Voltámos às ruas de Tóquio para tentar resolver uma nova onda de crimes.

HQ
HQ

Com a série Yakuza virada para um novo capítulo e combates por turnos, via Yakuza: Like a Dragon, é em Judgment e Lost Judgment que os fãs mais tradicionais do estúdio Ryu ga Gotoku Studio pode encontrar uma jogabilidade mais semelhante aos Yakuza anteriores. Existem contudo muitas diferenças, a começar pelo facto de estar do lado certo da lei, em vez de estar a controlar um membro de uma organização criminosa.

O protagonista desta sequela é novamente Takayuki Yagami, antigo advogado e atual detetive privado, que terá de investigar uma nova série de casos - por vezes disfarçado em diferentes locais, incluindo escolas de dança e clubes de boxing. A narrativa é novamente um dos pontos fortes, embora caia no mesmo erro que vários jogos Yakuza e também do Judgment original, apresentando longas sessões de exposição via sequências cinemáticas e texto. A história é interessante, mas parece-nos que o guião podia ser mais conciso de forma a não esmagar o jogador com tanto diálogo. Nota ainda para a presença de vozes em inglês e em japonês, algo que nem sempre existiu nos títulos do Ryu ga Gotoku Studio.

Quanto à base da narrativa principal, envolve um homicídio misterioso. Um jovem professor foi encontrado morto, e as pistas levam diretamente a uma escola secundária local. Como deve calcular a situação começa complicada e só piora a partir daí. Takayuki Yagami decide então trabalhar na escola sob disfarce, o que irá motivar a interação com alunos e professores - bullying escolar é também um dos tópicos abordados por Lost Judgment, e mostra como isso afeta não só indivíduos, como as instituições envolvidas.

Lost Judgment apresenta a sua história quase como uma série de televisão, dividida em capítulos. No início de cada capítulo pode ver uma sequência cinemática a resumir os eventos anteriores, e ao ser apresentando a uma personagem nova poderá participar numa pequena história secundária que irá revelar mais detalhes sobre o passado e o contexto dessa personagem - mesmo que não tenha qualquer ligação à história principal. Â semelhança do que acontece com os outros jogos de Ryu ga Gotoku Studio, Lost Judgment é uma fantástica janela para o estilo de vida e a cultura do Japão.

Lost Judgment tem também um sistema de escolhas durante os diálogos, mas as decisões que irá tomar são uma mera ilusão, já que as escolhas serão inconsequentes ou não permitirão avançar na história até que tome a decisão "certa". Se a intenção era apresentar uma narrativa completamente linear sem interferência do jogador, teria sido preferível não incluir qualquer sistema de escolhas.

Lost Judgment

Tratando-se de um jogo do Ryu Ga Gotoku Studio, pode também contar com várias missões, tarefas, e objetivos secundários. Muitas destas atividades são já recorrentes, como as máquinas arcade com jogos antigos da Sega, mini-jogos de basebol, vários tipos de jogos de casino, e muito mais. Se é fã de títulos retro poderá gostar de saber que Yagami tem uma Master System no seu escritório, onde pode jogar alguns títulos desse sistema. Pode ainda contar com várias histórias secundárias estranhas, divertidas, e absurdas, incluindo OVNIs, produtores de videojogos desaparecidos, e até uma lendária barraca de ramen que só aparece durante a noite.

Quanto ao sistema de combate, funciona em tempo real e inclui vários estilos de luta. Se conhece os outros jogos de Ryu ga Gotoku Studio, sabe perfeitamente ao que vai, com combates à base de combinações de golpes, ataques algo absurdos e violentos, e a possibilidade de utilizar vários itens e acessórios do cenário. É tudo menos realista, pelo contrário, tenta ser exagerado, brutal, e por vezes até hilariante.

Visualmente são evidentes algumas melhorias, ainda que ligeiras. A grande diferença - sobretudo se tiver jogado Judgment PS4 ou Xbox One, é a possibilidade de jogar a 60 frames por segundo nas novas consolas, o que acrescenta muito mais fluidez à experiência de jogo. De resto, as personagens principais apresentam grande detalhe gráfico, tal como as localizações que irá visitar.

Agora, uma das principais dúvidas que deve ter é se deve jogar o antecessor antes desta sequela. Bem, não necessariamente. É uma história nova, com várias personagens originais, e como tal será perfeitamente capaz de acompanhar o que está a acontecer. Contudo, Judgment é um bom jogo por direito próprio, e como é óbvio, terá outro tipo de conhecimento das personagens, das localizações, e dos eventos se jogar o original primeiro.

Se espera algo de novo ou revolucionário em Lost Judgment, vai ficar profundamente desiludido. O jogo segue à risca a fórmula de Yakuza, e em particular de Judgment, apresentando muitas semelhanças com o antecessor - até em demasia. Por outras palavras, se não aprecia Yakuza ou Judgment, nem vale a pena considerar esta sequela. Pelo contrário, se é fã dos jogos da Ryu ga Gotoku Studio, e apreciou o primeiro Judgment, esta sequela é uma recomendação fácil.

HQ
Lost JudgmentLost Judgment
Lost JudgmentLost Judgment
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Grande foco em história. Mundo de jogo parece vivido. Inclui vozes em japonês e em inglês. Olhar curioso à cultura japonesa.
-
Exagera na exposição e no diálogo. Parece que vimos mais do que jogámos. Escolhas não são realmente importantes.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

Lost JudgmentScore

Lost Judgment

ANÁLISE. Escrito por Markus Hirsilä

Voltámos às ruas de Tóquio para tentar resolver uma nova onda de crimes.



A carregar o conteúdo seguinte