Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
análises
Halo: The Master Chief Collection

Halo: Reach - Remastered

O último Halo produzido pela Bungie chegou finalmente ao PC, e pela maior parte, é um regresso triunfante.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Halo: Reach está próximo de completar uma década, mas jogando esta nova versão de PC (e Xbox One), ninguém o diria. Este foi o último jogo de Halo que a Bungie produziu, antes de entregar a série à 343 Industries, e ainda é estupendo jogo de ação na primeira pessoa, com uma campanha de qualidade, modo co-op à base de vagas de inimigos, e um multijogador que continua super viciante.

Trata-se de uma versão remasterizada, que apresenta a aventura que serve de prequela a toda a saga Halo. O resultado é uma experiência mais polida, um grafismo superior, e um desempenho significativamente melhorado em relação ao original de Xbox 360. É também o primeiro jogo da versão PC de Halo: The Master Chief Collection, que ainda inclui Halo: Combat Evolved, Halo 2, Halo 3, Halo 3: ODST, e Halo 4. Quando esses jogos serão lançados no PC? Ninguém sabe - e Halo 5: Guardians continua sem confirmação -, mas de momento pode adquirir Halo: Reach avulso por € 9,99, ou como parte da coleção, que custa € 39,99.

Como referimos, Halo: Reach é uma prequela, pelo que até faz algum sentido que seja o primeiro jogo a chegar como parte da coleção. Master Chief é pouco mais que uma referência nesta aventura, e o verdadeiro foco é a equipa Noble, um grupo de seis Spartan, que é o mesmo programa de super-soldados que criou Master Chief. O objetivo do grupo passa por proteger uma carga muito preciosa, que tem de sair do planeta antes que chegue às mãos dos Covenant.

São riscos elevadíssimos, já que os Covenant chegaram com uma força tremenda, e o caos causado pela sua invasão reflete-se na destruição do planeta. A história é contada através da perspetiva de Noble-6, que é a personagem central, mas através das várias missões da campanha irá conhecer melhor cada um dos membros do grupo. É uma história de verdadeiros irmãos de armas, intercalada com sequências de ação brilhantes, reforçadas por uma estupenda banda sonora.

Halo 3, que foi o jogo que a Bungie produziu antes de Reach, foi acusado de ter um ritmo excessivamente lento, algo que foi corrigido neste jogo. A introdução de uma opção de corrida, de jetpacks, e de um design mais imediato, elevaram e muito o ritmo de Halo: Reach em comparação ao jogo anterior. Em cima disso foram introduzidos novos acessórios para os jogadores usarem em combate, como hologramas que confundem os inimigos, e claro, os veículos continuam a ter uma tremenda importância.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

A campanha não é particularmente longa, mas é jogável em modo cooperativo com quatro jogadores, e cada nível foi construído com valor de repetição em mente. Além disso, existe um outro modo específico para quatro jogadores, Firefight, onde o grupo deve tentar sobreviver a ataques gradualmente mais difíceis de Covenants. Não é um modo particularmente profundo, mas é divertido com um grupo de amigos.

Ou seja, Halo: Reach tem uma campanha de grande qualidade e um modo cooperativo divertido, mas o melhor, na nossa opinião, é o multijogador online. Mesmo considerando tudo o que saiu ao longo da última década em termos de jogos online, Halo: Reach continua a ser uma experiência estupenda para quem aprecia partidas multijogador. Existem vários tipos de modos, desde o clássico Captura a Bandeira, ao confronto de todos contra todos, e tudo isto corre a uma fluidez impecável. Halo: Reach tinha um excelente multijogador na altura em que saiu, e a idade praticamente não o afetou. Uma referência ainda para o sistema de progressão online, que permite desbloquear vários itens cosméticos para as personagens.

Halo: Reach também está disponível para Xbox One, mas acabámos por o testar num PC, e aqui é preciso referir que não existem muitas opções para personalizar a experiência. Não é um jogo muito exigentes, e até pode alternar entre a experiência clássica de Xbox 360 ou a versão melhorada, mas gostaríamos de ter visto mais formas de afinar e modificar o jogo no PC. Também ficámos um pouco desiludidos com a falta de cuidado no trabalho de algumas texturas. Ainda que o jogo apresente melhoramentos gráficos, e continue a ser um espetáculo visual, alguns elementos mostram bem a sua idade.

Uma grande diferença da versão PC é o suporte para rato e teclado, e o jogo é perfeitamente jogável nessa configuração, mas Halo sempre foi construído com o comando em mente, e Reach não foi exceção. Joga-se bem com rato e teclado, mas preferimos o comando, de preferência o de Xbox One ou Xbox 360.

Halo: Reach - Remastered é uma conversão positiva, ainda que não seja nada de extraordinário, mas o jogo em si continua a exibir grande qualidade. É um jogo de ação na primeira pessoa com excelente jogabilidade, uma boa história, modos cooperativos, e um fantástico multijogador. Seja através de compra avulso, em conjunto com a Halo: Master Chief Collection, ou através de Game Pass, Halo: Reach é uma recomendação elevada para qualquer fã do género.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
Halo: The Master Chief Collection
Halo: The Master Chief CollectionHalo: The Master Chief Collection
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Campanha fantástica. Modo Firefight oferece várias opções. Multijogador continua excelente. Ainda tem um grafismo e uma jogabilidade fantásticas.
-
Gostaríamos que a versão PC tivesse mais opções gráficas. Algumas texturas não foram trabalhadas. Falta ainda o resto da coleção.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

Halo: Reach - RemasteredScore

Halo: Reach - Remastered

ANÁLISE. Escrito por Mike Holmes

O último Halo produzido pela Bungie chegou finalmente ao PC, e pela maior parte, é um regresso triunfante.



A carregar o conteúdo seguinte