Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Início
especiais

Google Stadia: Perguntas e Respostas Essenciais

O que é? Que tipo de ligação é necessária? Onde posso jogar? Quando vai ser lançado? E muito mais...

O Stadia é a grande novidade do momento, a confirmação de que a Google vai apostar forte nos videojogos, não com uma consola, mas com um serviço de streaming, ou se preferirem, de cloud gaming. Ainda existem muitas questões por responder em relação ao Stadia, mas para algumas já sabemos as respostas, e é isso mesmo que partilhamos neste artigo.

O que é o Google Stadia?
A Stadia é a plataforma de videojogos da Google, um serviço que vai funcionar à base de streaming ou cloud-gaming. O objetivo é dispensar a necessidade de ter um PC ou consola para jogar, o que significa que podem, em teoria, jogar em qualquer dispositivo que permita streaming de vídeo.

O que é cloud-gaming?
Cloud-gaming é o conceito de jogabilidade remota. Por outras palavras, o jogo estará a ser processado, não na máquina do jogador, mas numa máquina exterior, neste caso, o Data Center da Google. O dispositivo do jogador envia o input do comando e recebe a transmissão da imagem, via internet. A grande vantagem do cloud-gaming é que, como o jogo está a ser processado externamente, podem jogar títulos muito mais avançados do que a vossa máquina poderia suportar. Podem jogar um jogo moderno num PC com 10 anos, por exemplo.

Isso quer dizer que tenho de estar sempre online?
Sim, uma boa ligação online é o maior requisito do Stadia. Se a internet falhar, não podem jogar.

Que tipo de ligação é necessária?
Ainda não existem dados concretos sobre o tipo de ligação necessária, mas o líder do projeto, Phil Harrison, afirmou que será necessária uma ligação superior a 25Mbps para jogarem a 1080p e 60 frames por segundo, e uma ligação superior a 30Mbps para jogarem a 4K e 60 frames por segundo. Estes números, contudo, não são finais, e podem mudar até ao lançamento.

Vai suportar 4K e HDR em qualquer dispositivo?
Não. Embora o Stadia suporte 4K e HDR a 60 frames por segundo, continuam a precisar de um ecrã que suporte uma resolução de 4K e HDR. Caso esta resolução não seja suportada, o Stadia vai adaptar automaticamente a transmissão às limitações do dispositivo. É o mesmo que ligar a PS4 Pro ou a Xbox One a uma televisão de 1080p. As consolas suportam 4K e HDR, mas não podem ir além dos limites do ecrã em si.

Onde posso jogar?
Em teoria, em qualquer dispositivo, mas na prática não é bem assim. Para jogarem na TV, por exemplo, precisam do acessório Chromecast da Google, ou se quiserem jogar a 4K e HDR, precisam do Chromecast Ultra. Algumas televisões já incluem Chromecast, mas não são muitas, e nenhuma lançada antes de 2016.

O Stadia também será compatível com qualquer PC e Laptop que corra o Google Chrome, e tenha uma capacidade de streaming de vídeo razoável.

Já em relação aos smartphones e aos tablets, a situação é um pouco mais confusa. Para já, parece que apenas os dispositivos da própria Google, os telemóveis e tablets Pixel, serão suportados. É provável que sistemas Android venham a ser suportados, mas a situação pode ser mais complicada com os sistemas iOS. Algo a esclarecer no futuro.

Preciso de comprar o Stadia Controller?
Depende de onde querem jogar. Num PC ou laptop, podem usar rato e teclado, ou um comando compatível, como o comando de Xbox e PS4, por exemplo. Noutros dispositivos, contudo, vão precisar de usar o Stadia Controller, que de momento ainda não tem preço.

Quando estará disponível?
Para já, tudo o que se sabe é que será lançado em 2019 para Estados Unidos da América, Canadá, Reino Unido, e "alguns países da Europa".

Vai chegar a Portugal ou ao Brasil?
Não sabemos se Portugal está ou não incluído nos países europeus que vão receber o serviço numa primeira fase. Quanto ao Brasil, não será um dos primeiros países a receber o serviço, mas Phil Harrison afirmou que o facto de terem mostrado o mapa do mundo na conferência não foi por acaso. O objetivo é lançar o Stadia em todo o mundo, o que significa que o serviço vai mesmo chegar ao Brasil... resta saber quando.

Quanto vai custar?
É uma das maiores incógnitas do Stadia. De momento não existem informações sobre a estrutura económica do serviço, mas alguns especulam que será uma espécie de "Netflix", que dará acesso a uma biblioteca de jogos a troco de uma mensalidade. Outros referem que será uma loja digital, em que terão de comprar jogos e expansões. Existem também rumores sobre modelos mais cómodos para jogadores casuais, com aluguer de jogos durante alguns dias, ou até algumas horas por dia. No verão esperamos ter todas estas questões respondidas.

O que são State Shares?
O State Share é uma das funções do Stadia, que permitirá partilhar momentos específicos de jogo através de um mero link de browser. Imaginem que terminaram uma corrida num jogo de condução, e querem motivar um amigo a tentar bater o vosso tempo. Podem transformar a vossa corrida num link, partilhar com o amigo, e ele, ao carregar no link, irá para a corrida em questão de imediato.

O Stadia vai incluir transmissões e gravações de jogos?
Sim, o Stadia estará diretamente ligado ao youtube, permitindo a transmissão em direto ou a gravação de vídeos, até 4K. Apenas está confirmada a partilha no youtube e nas redes sociais, ou seja, o Twitch não está nos planos do Stadia, pelo menos para já.

Os jogos do Stadia são versões PC?
Não. O Stadia é a sua própria plataforma, tal como o PC, a PS4, a Xbox One, e a Nintendo Switch. Isto significa que é uma versão do jogo adaptada de propósito às particularidades do Stadia, para tirar proveito das suas capacidades, e como tal, será uma versão diferente da versão PC.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Quais são as especificações técnicas do Stadia?
Uma unidade de processamento do Stadia tem as seguintes especificações:

GPU
- 10.7 teraflops
- 56 unidades de computação
- Memória HBM2

CPU
- Processador x86 personalizado
- 2.7 GHz
- Hiperrocessamento
- AVX 2

Memória
- 16 GB de RAM
- Até 484 GB/s de velocidade de transferência
- Cache L2+L3 de 9.5 MB

Isto significa que uma única unidade de processamento é mais poderosa que Xbox One X e PS4 Pro juntas, mas o que realmente distingue o Stadia, é que os jogos não serão obrigados a correr numa única unidade de processamento, podem correr em várias. Em teoria, isto significa que os jogos do Stadia não terão as limitações de hardware a que estamos habituados.

Vai incluir jogos com multiplayer?
Sim, vai incluir experiências multiplayer de todos os tipos, e segundo a Google, como tudo está a correr no Data Center, não existe limite para o número de jogadores. Podem criar jogos com centenas de jogadores, se quiserem, e tudo sem obrigar os estúdios a sacrificar capacidade gráfica.

E exclusivos? Vai ter exclusivos?
Sim. Todos os exclusivos do Stadia serão produzidos sob o departamento Stadia Games and Entertainment, que será liderado por Jade Raymond, diretora de Splinter Cell: Blacklist, co-criadora de Assassin's Creed, e produtora com passagens por Ubisoft e Electronic Arts no currículo. O Stadia Games e Entertainment também vai oferecer apoio e partilhar recursos e ferramentas com estúdios exteriores que queiram produzir jogos para o Stadia.

Para já, estas são as questões mais importantes para o qual temos alguma resposta, mas até ao verão, muitas mais serão respondidas, por isso continuem atentos ao Gamereactor se quiserem estar a par do Google Stadia.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade