Português
Gamereactor
análises
FTL: Faster Than Light

FTL: Faster Than Light - Advanced Edition

Quando jogámos Faster Than Light pela primeira vez, em 2012, tornou-se de imediato evidente que poderia ser um fantástico jogo para Tablets.

HQ

Lançada em simultâneo com a Advanced Edition para PC, a versão de iPad de FTL: Faster Than Light inclui todas as atualizações e melhoramentos encontradas na nova versão de PC. Existem muitas pequenas alterações e ajustamentos, além da introdução de novos eventos e mais conteúdo, que só reforça o que já era um excelente jogo. Se já éramos fãs, agora ainda o somos mais.

Caso nunca tenha prestado muita atenção a FTL (e devem começar a presta atenção), trata-se de um RPG espacial, que recria brilhantemente a fantasia de comandar uma nave espacial. Vão saltar entre sistemas solares, encontrando desafios aleatórios e combatendo inimigos através de batalhas táticas. Isto enquanto desenvolvem a vossa nave e expandem a tripulação. A narrativa que liga estes eventos aleatórios é uma missão crucial; a federação está sob ameaça e o jogador tem informação vital que deve chegar ao destino antes que seja tarde.

Como existem duas versões novas do jogo, vamos primeiro abordar a funcionalidade da versão de iPad, e depois falar da forma como o jogo conseguiu a transição do monitor para o Tablet. Por fim, abordaremos o novo conteúdo específico da edição Advanced.

FTL: Faster Than Light
Publicidade:

O Salto para o Tablet

Se já conhecem bem os sistemas de FTL, vão sentir-se como peixe na água com esta versão de iPad. Trata-se de uma adaptação muito positiva e intuitiva, que aproveita bem o ecrã tátil do Tablet da Apple. Jogámos no iPad Mini e, apesar de ser um ecrã mais pequeno, pareceu-nos uma dimensão suficiente para o jogo. Nenhuma das nossas mortes se deveu a problemas de controlos ou de interface (como sempre, deveu-se sobretudo à falta de oxigénio).

Pressionar num dos sistemas - as armas são obviamente o mais utilizado - apresenta a informação e permite aceder facilmente aos subsistemas (neste caso específico, armas secundárias). Arrastar o dedo pelo subsistema revela mais detalhes, como o dano causado e potenciais efeitos alternativos. Quando eventualmente combaterem contra outras naves, o que acontece com grande frequência, podem pressionar na vossa nave ou na do inimigo, permitindo identificar com maior facilidade várias características. É tudo muito intuitivo e de fácil utilização. Até existe um tutorial prático que facilita a vida de novatos ou veteranos.

Cada nave tem as suas fraquezas e forças e cada modelo (vão desbloqueando naves conforme avançam no jogo) inclui armas e sistemas distintos. Existem vários tipos de táticas que podem empregar, dependendo da nave, mas existe uma verdade universal para todas elas, que é a necessidade de tomar atenção ao que se passa na batalha, de ajustar e adaptar às peripécias de cada combate. Também essencial é a atualização das naves sempre que houver oportunidade. Existem quatro tipos de recursos que podem recolher durante o jogo: combustível, mísseis, peças de drones e sucata. A sucata serve tanto como moeda de troca, como uma forma de melhorar a nave. Podem gastá-la em tripulação peças ou reparações, nas várias lojas que povoam a galáxia, ou podem usá-las diretamente para melhorar sistemas da nave e o consumo de energia.

Publicidade:

O que vão encontrar com cada salto pelo espaço é aleatório. Às vezes não existe nada e têm de dar outro salto. Noutras ocasiões vão entrar em batalha perto de um sol ardente, forçados a defenderem-se de mísseis inimigos enquanto rajadas solares queimam a vossa nave. Como nunca sabem o que vão encontrar, é fundamental que se preparem antes de cada salto. As batalhas contras outras naves não são visualmente impressionantes ou frenéticas. É um jogo que privilegia estratégia e táticas em vez da ação, mas existem várias camadas de profundidade na jogabilidade que só se tornam evidentes passadas várias horas de jogo.

Durante os conflitos, a vossa tripulação - inicialmente composta por três membros - obedece às vossas ordens. Podem reparar danos a sistemas individuais, mas não podem reparar o exterior da nave. Isso só é possível numa loja. Conforme avançam no jogo vão encontrar novos elementos para a tripulação e estas personagens (que podem renomear) podem assumir posições específicas na nave, o que confere vantagens adicionais a esses sistemas, como armas e escudos.

FTL: Faster Than Light
FTL: Faster Than LightFTL: Faster Than LightFTL: Faster Than Light

O que há de novo para o PC?

Esta Advanced Edition inclui novo conteúdo que pode ser ativado para as duas versões do jogo (se quiserem podem jogá-lo tal e qual como era quando foi lançado em 2012). Todas as áreas foram aumentadas, acrescentando a longevidade e conferindo maior variedade aos sistemas, aos eventos e às possibilidades.

Existe um novo setor no mapa e uma seleção de novos eventos que podem experienciar. Este conteúdo foi escrito por vários argumentistas diferentes e apresenta um bom nível de qualidade, espalhado por todo o jogo e garantindo uma maior profundidade à narrativa.

Este novo setor chama-se "Abandond Sector" e é a casa de uma nova espécie. Os Lanius são, pelo menos na nossa opinião, inimigos particularmente difíceis, graças à sua capacidade de roubar oxigénio. As suas naves vão obrigar a empregar táticas novas e apresentam um nível estético que os distingue das restantes espécies. Felizmente, também podem desbloquear algumas naves Lanius para a vossa coleção.

Também existem alguns sistemas novos que podem explorar. Controlo da mente e hacking são agora opções táticas viáveis (e para os vossos inimigos também), permitindo aos jogadores afetarem as naves opositoras de novas formas. Também existe uma nova área de clonagem que substitui a área médica da nave, que em vez de curar as personagens, simplesmente as clona se morrerem em combate. Cada um destes novos sistemas obriga a uma ajuste de estratégia por parte de jogadores veteranos.

FTL: Faster Than Light
FTL: Faster Than LightFTL: Faster Than LightFTL: Faster Than LightFTL: Faster Than Light

Mudanças

As alterações ao jogo vão além da introdução dos sistemas mencionados em cima, embora muitas sejam subtis. Agora podem definir áreas específicas para a tripulação e enviá-los para lá se for necessário (o que dá jeito se forem invadidos por um inimigo e quiserem interceptá-los antes que causem danos). Também existe um modo de dificuldade ainda mais difícil, para os masoquistas, e a opção de verificar que planetas estão ligados entre si, permitindo planear com maior eficácia os saltos entre setores. São mudanças subtis, mas que na nossa opinião melhoram o jogo. O facto de que este conteúdo é gratuito para quem já tem a versão de PC, é ouro sobre azul.

A versão de iPad é também soberba e o preço não vos deve impedir de o comprar, porque justifica-o bem. Esta Advanced Edition representa um salto de qualidade apreciável e oferece uma experiência genuinamente completa. Se já o têm, merece ser revisitado, e se não o têm, mas parece interessante, então podem comprá-lo à confiança, porque vale bem a pena.

FTL: Faster Than Light
HQ
09 Gamereactor Portugal
9 / 10
+
Mais sistemas e variedade. Fantásticas banda sonora. Combate intenso. Eventos e situações melhoradas.
-
Normalmente é encantador, mas alguns elementos visuais podem ser sem graça.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte