Português
Gamereactor
análises
Death Stranding Director's Cut

Death Stranding Director's Cut

Kojima apresenta uma versão mais recheada e equilibrada da sua obra-prima.

HQ
HQ

Death Stranding, de Hideo Kojima, dividiu muitas pessoas quando foi lançado em 2019, e entendemos perfeitamente porquê. É um videojogo atípico, que se apresenta como algo que nunca foi feito antes e que talvez nunca mais venha a ser feito. Em sua essência, é um jogo sobre ir de A a B a C e de volta a A, com pouco ou nenhum combate pelo meio. Alguns jogadores pessoas acharam isso aborrecido e até o apelidaram de "o verdadeiro simulador ambulante". Num nível superficial isso não está errado, mas há muito mais em Death Stranding debaixo da superfície.

Death Stranding é acima de tudo um jogo sobre ligação. Há uma história aqui, que gira em torno da união das cidades da América após um evento devastador chamado Death Stranding. É um enredo complicado, com exposição exagerada e sequências cinemáticas longas, mas qur também apresenta ótimas atuações, incrível construção de mundo, e reviravoltas alucinantes. Hideo Kojima clássico, basicamente. Gostamos da narrativa e das personagens, e a construção do mundo está entre as mais originais e brilhantes que já vimos. Não vamos explicar nada, mas a forma como "praias", Bridge Babies, tecnologia quiro, DOOMS, voidouts, e todas as outras coisas malucas, funcionam en Death Stranding e são integradas na história e na jogabilidade... não podemos sequer começar a compreender como é que alguém pensa em tudo isto, é de génio.

Dito isso, não é por isso que consideramos Death Stranding uma obra-prima. Embora o enredo seja sobre ligação, a ligação real em Death Stranding acontece entre os jogadores - jogadores desconhecidos com quem nunca irá interagir diretamente ou até ver, mas cuja ligação é verdadeiramente sentida e apreciada. A função de ir de A a B é propositadamente difícil, penosa, e dura, e como tal é encorajado a tornar sua vida um pouco mais fácil, criando estruturas, construindo estradas, e posicionando escadas, cordas e outros objetos. Essa é, no entanto, uma tarefa hercúlea para um jogador solitário, e é aqui que entra em cena o multijogador assíncrono.

Death Stranding Director's CutDeath Stranding Director's Cut

O melhor exemplo disso são as estradas, e é aí que o jogo realmente "clica" para a maioria dos jogadores, mais ou menos a meio do terceiro capítulo. Não pode construir estradas onde quiser - precisa de 'alimentar' uma série de máquinas de construção espalhadas pelo mapa, que construirão partes específicas da estrada. Essas máquinas exigem grandes quantidades de materiais, e alimentar todas essas máquinas sozinho exigiria muito tempo e esforço. Mas, como todos os jogadores vão contribuindo para isso, o trabalho torna-se mais fácil e todos beneficiam. Esse é realmente o ponto de Death Stranding - tornar sua vida e a dos outros mais fácil, com todos a contribuírem.

Não espere, contudo, entrar no jogo e ter tudo já feito. Antes de beneficiar das construções e de ajudas de outros jogadores numa área, precisa primeiro de alcançar os habitantes dessa zona e, em seguida colocá-los online, conectando as sua base à rede quiral geral. Depois disso sim, pode começar a beneficiar das construções de outros jogadores e vice-versa. Não temos certeza de como funciona o código do jogo, mas supomos que exista algum tipo de algoritmo a funcionar, já que apenas uma parte das construções de outros jogadores será disponibilizada - vai precisar de preencher o resto, numa espécie de estrutura "irás receber tanto quanto deres".

Death Stranding é também um jogo sobre feedback positivo, já que pode deixar "Gostos" aos outros jogadores. Digamos que encontra a corda de outro jogador, e que realmente facilitou a sua vida - pode parar uns segundos e deixar-lhe alguns gostos como agradecimento. É uma sensação ótima entrar no jogo e ver os relatórios de que recebemos dezenas e centenas de gostos de outros jogadores, e que as nossas construções foram úteis para muitos.

É por isso que Death Stranding é uma obra-prima dos videojogos.

Death Stranding Director's CutDeath Stranding Director's Cut

Embora o enredo seja bom, poderia ser adaptado a filme, série de televisão, ou até livro, como aliás acontece com as histórias da maioria dos videojogos, mas a mensagem que passa - e como a passa - só poderia ter sido transmitida de forma tão eficaz como videojogo. É preciso passar pelas partes difíceis e frustrantes de Death Stranding para vir a realmente apreciar a ligação e a ajuda de outros jogadores. Claro, pode ler sobre isto neste e noutros artigos, mas para realmente entender a mensagem que Kojima está a passar, só mesmo jogando Death Stranding, e é por isso que é uma obra-prima dos videojogos - usa o meio ao máximo do seu verdadeiro potencial, e não resultaria em mais nenhum tipo de entretenimento.

Claro que o enredo, o desempenho dos atores, a construção do mundo, os soberbos valores de produção, o grafismo, a música... tudo isso contribui para engrandecer a experiência, melhorada nesta transição para a PlayStation 5. A maior diferença para a versão PS4 é a possibilidade de jogar a 60 frames por segundo. Existe uma opção para jogar a 30 frames, com gráficos um pouco melhores, mas o modo de 60 frames tem um impacto muito maior na experiência geral.

A edição Director's Cut também tem vários extras e ajustes, que tornam Death Stranding numa experiência mais equilibrada e robusta. Na versão original o segundo capítulo é bastante difícil e doloroso, e é onde a maioria dos jogadores abandona o jogo. Isso ainda é verdade nesta edição, mas a introdução de uma nova arma, um novo exoesqueleto para movimentos mais rápidos, um modo de treino, e melhores tutoriais, contribuem para uma experiência mais equilibrada e suave. Ainda pode ser uma experiência de jogo dura, como deve ser, mas já não é tão esmagador como no original. A mensagem ainda é passada ao jogador, mas sem obrigá-lo a passar por tantas dificuldades.

O mesmo é verdade para o resto do jogo, com a introdução de novos tipos de pontes, catapultas de pacotes, corridas, e equipamento. Além disso também terá os extras da versão Steam, incluindo as missões e itens relacionados com Half-Life e Portal, e colaboração com Cyberpunk 2077 (a bicicleta inspirada em Cyberpunk é fantástica). Há também uma nova área você pode explorar dentro de um complexo, promovendo uma jogabilidade a lembrar Metal Gear Solid com um foco maior em furtividade. No entanto, vai precisar de ir regressando a este local, já que o acesso às áreas da instalação é feito de forma gradual. Há uma história para desvendar nessa área, mas vamos deixá-la para descobrir sozinho.

Death Stranding Director's CutDeath Stranding Director's CutDeath Stranding Director's Cut

Director's Cut também inclui rampas para saltos e pistas de corrida com tabelas de classificação incluídas, caso decida trazer à tona o seu lado mais competitivo (a condução é razoável nas estradas, mas terrível fora delas). Tratando-se de uma versão PS5, esta edição também usa as características do Dual Sense e do áudio 3D Tempest, que acrescentam uma maior sensação de imersão, mas confessamos que esperávamos melhor aproveitamento destas funções. Returnal e Playroom ainda são os melhores exemplos de como usar essas características.

Quanto aos jogadores de PS4, sim, é possível passar o save da versão PS4 para a PS5, mas precisará de importar o save a partir da versão PS4. Não é o processo mais gracioso, mas pelo menos está lá. Quanto à transição entre versões, se tiver o jogo na PS5 terá de pagar 10 euros a mais para transitar para a versão PS5, embora acabe por receber a edição Digital Deluxe.

Realmente acreditamos que Death Stranding é uma obra-prima, e esta edição Director's Cut é de facto a edição definitiva do jogo, embora ainda tenha falhas. Como tantos outros jogos de Kojima, há um exagero de exposição, que se pode tornar chata e algo esmagadora. Alguns momentos podem ser mesmo frustrantes, com interrupções constantes de outras personagens, por vezes para repetir algo ou para constatar o óbvio. O jogo podia ter sido editado de forma mais eficiente, mas isso também ser dito de todos os Metal Gear, pelo que os os fãs de Kojima já devem saber ao que vão. A IA dos inimigo humano também podia ser bem melhor e, como dissemos acima, a mecânica de condução fora das estradas é realmente atroz.

Uma obra-prima defeituosa portanto, mas uma obra-prima. Não existe nenhum outro jogo como Death Stranding, mas apesar disso, só poderia realmente funcionar como videojogo. Este Director's Cut eleva a obra de Kojima, proporcionado uma experiência mais equilibrada, fantástica jogabilidade a 60 frames por segundo, mais conteúdo, e novas ferramentas que aumentam as formas como os jogadores podem abordar cada situação. Pode ser frustrante e "entediante" para alguns jogadores, mas se eventualmente decidir dar uma hipótese a Death Stranding (especialmente considerando que o segundo capítulo é agora um pouco mais fácil), faça-o com o conhecimento de que só irá provavelmente perceber o jogo durante o terceiro capítulo. É um compromisso exigente, sem dúvida, mas que é recompensado de várias maneiras.

HQ
Death Stranding Director's CutDeath Stranding Director's CutDeath Stranding Director's Cut
Death Stranding Director's CutDeath Stranding Director's CutDeath Stranding Director's Cut
Death Stranding Director's CutDeath Stranding Director's CutDeath Stranding Director's Cut
Death Stranding Director's CutDeath Stranding Director's CutDeath Stranding Director's Cut
Death Stranding Director's CutDeath Stranding Director's Cut
09 Gamereactor Portugal
9 / 10
+
É uma obra-prima dos videojogos. As adições apresentam mais opções e proporcionam uma experiência mais equilibrada. Jogar a 60 frames é uma delícia.
-
Por vezes exagera na exposição. Embora o equilíbrio da jogabilidade tenha sido melhorado, as sequências de vídeo e os textos continuam excessivos.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte


Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.