Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Início
análises
Darkest Dungeon

Darkest Dungeon

Alguns problemas técnicos prejudicam o lançamento PS4 de um excelente RPG tático.

Um ataque cardíaco nunca é coisa boa, independentemente da situação, mas um ataque cardíaco numa masmorra escura cheia de perigos, é particularmente grave. Essa é uma das particularidades de Darkest Dungeon, um RPG tático onde podem sofrer várias lesões relacionadas com stress, incluindo ataques cardíacos.

Darkest Dungeon é um jogo estilo Roguelike, o que implica mortes permanentes das personagens e masmorras geradas proceduralmente. Apesar dos muitos perigos que vos esperam, poucos nos frustraram tanto como a ocorrência de ataques cardíacos, sobretudo quando caíam para o lado a meio de um combate. Tudo isto acontece porque o jogo utiliza o stress como mecânica de jogo, com efeitos esmagadores para o desempenho físico e mental das personagens. De forma geral é uma ideia interessante e bem implementada, mas torna-se frustrante quando personagens relativamente saudáveis morrem de ataque cardíaco durante um combate que estava a nossa favor. Tivemos equipas totalmente desbastadas devido a estes incidentes.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Percebemos que um jogo como Darkest Dungeon se quer exigente, difícil, mas é mais difícil de aceitar estas ocorrências quando não estão de acordo com o que se está a passar no jogo, ou quando chocam com a narrativa. Deixa um sabor amargo no que é de resto uma excelente mistura de vários ingredientes.

Darkest Dungeon tem um visual fantástico, com grafismo 2D e excelente design das personagens. Vão atravessar masmorras macabras enquanto enfrentam grupos de inimigos, tudo através de um ambiente pesado e sombrio. Até o local onde preparam o grupo para as batalhas é deprimente e privado de luz. Darkest Dungeon é um jogo deliciosamente sinistro, com uma personalidade vincadamente macabra.

A morte é uma presença comum em Darkest Dungeon, e não é incomum perder um, dois, ou mais membros da equipa durante uma missão. Felizmente podem recrutar novos parceiros, cada um com um conjunto de habilidades e capacidades diferentes. Existem várias classes por onde escolher (incluindo um lobisomem!), que podem ser evoluídas de várias formas - desde que se mantenham vivas. Enquanto navegam as masmorras, o grupo mantém-se lado-a-lado, e permanecem em conjunto quando as batalhas começam.

O sistema de combate funciona à base de turnos, divididos entre a nossa equipa e o grupo adversário. Cada personagem tem acesso a quatro habilidades especiais que podem usar durante os combates, fora outras capacidades disponíveis quando estão a descansar (algumas até baixam os níveis de stress). Gostámos da intensidade tática que o sistema de combate inclui, e que dá importância a escolhas como a personagem que ataca primeiro, que tipo de ataca usa, quem deve ser curado primeiro, e outras decisões semelhantes. O combate é tão satisfatório que podem perder horas em Darkest Dungeon à procura de tesouro.

Também existem muitas estatísticas para considerar, e se forem fãs de números vão adorar a complexidade que oferecem ao combate. Se analisarem devidamente uma situação, podem fazer uma diferença real baseada em dados que descobriram. Existe também o reverso da medalha, que é o facto do jogo ser um pouco esmagador durante as primeiras horas. Se procuram algo mais direto, que não exija a considerar números de ataque, defesa, vida, e afins, Darkest Dungeon não é para vocês.

Um toque engraçado é a capacidade para personalizar e melhorar a base de operações com estruturas novas, e que permitem reforçar o equipamento, treinar a equipa, e baixar o nível de stress das personagens com várias atividades - desde passar algum tempo numa igreja, a visitar um bordél. Mas qual é o propósito narrativo de tudo isto? Em resumo, herdaram uma mansão diabólica, e agora têm de contratar aventureiros para limparam os muitos perigos que a habitam e os seus arredores.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Darkest Dungeoun tem várias mecânicas interessantes a funcionarem em conjunto, mas o sistema de stress é a que mais se destaca. Apesar das críticas que apontámos aos ataques cardíacos, parece-nos evidente que a Red Hook Studios perdeu o seu tempo a pensar nas melhores formas de utilizar o stress. Existem várias ocorrências possíveis, que muitas vezes obrigam a reavaliar a situação e agir em conformidade - às vezes obrigando a uma retirada estratégica. Honestamente, o nosso único problema são mesmo os ataques cardíacos, e teríamos apreciado Darkest Dungeon ainda mais se a opção para desligar os ataques (que estava disponível no Acesso Antecipado) ainda estivesse presente.

Jogámos a maior parte do jogo no PC, mas também tivemos a possibilidade de experimentar a versão de PS4. Em termos de jogabilidade e controlos, a adaptação é positiva, mas encontrámos mais problemas técnicos do que no PC - incluindo o jogo ir abaixo repetidamente. No momento em que esta análise foi escrita, a versão PS4 de Darkest Dungeon estava demasiado instável para ser recomendada, mas acreditamos que a situação pode ser melhorada com uma atualização. Se isso acontecer, Darkest Dungeon é facilmente recomendado a quem gosta do género RPG, e não se importa com tons mais negros que o habitual.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
Darkest DungeonDarkest DungeonDarkest Dungeon
09 Gamereactor Portugal
9 / 10
+
Excelente design gráfico e sonoro. A mecânica de stress é muito interessante. Excelente profundidade tática e estratégicas.
-
A versão PS4 sofre de alguma instabilidade.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor