Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Início
análises
Cuisine Royale

Cuisine Royale

Pode ter começado como uma piada de 1 de abril, mas é divertido que se farta.

Cuisine Royale

Por vezes existem boas ideias que surgem de brincadeiras e piadas, como é o caso deste Cuisine Royale. Em 2018 foi apresentando pela Gaijin Distributions como uma piada de 1 de abril, na altura apresentando através de outro jogo, Enlisted. Mas a ideia perdurou, manteve-se em acesso antecipado de ontem saiu agora, e os servidores continuam bem recheados de jogadores. Decidimos então analisar este curioso battle royale com formato free-to-play.

No centro está o conceito típico dos battle royale, ou seja, um único mapa que vai encolhendo e aproximando jogadores até que surja um vencedor. O jogo inclui modos solo, duo, e esquadrões, e permite jogar na terceira ou na primeira pessoa. O que distingue Cuisine Royale de outros jogos do género está precisamente no nome - cozinha. Existem vários elementos culinários à solta neste battle royale, e todos os itens cosméticos circulam em torno desse tema.

Os jogadores podem escolher uma de quatro personagens, que começam o jogo praticamente em roupa interior. Depois, em vez de procurarem armaduras e armas, os jogadores irão encontrar panelas, potes, sacos de compras, e outros itens semelhantes que as personagens usam para se cobrir. As loot boxes assumem a forma de frigoríficos, e a comida permite recuperar saúde, mas o humor não termina aqui. Pantufas em forma de coelhos aumentam a velocidade do jogador, e sacos de soro regeneram a saúde ao longo do tempo, por exemplo.

O jogo acaba por também ter um bom sistema de progressão, que permite desbloquear máscaras e roupa interior diferente, itens que normalmente trazem consigo pequenos benefícios. Também existem sinais místicos que pode pintar no mapa, e que garantem certas vantagens ou ativam armadilhas para os outros jogadores. Apreciámos este sistema dos sinais místicos, ainda que os melhores exijam uma quantidade exagerada de trabalho para desbloquear. Estes sinais mais poderosos permitem invocar zombies ou transformam as casas de banho portáteis em portais, por exemplo. Em cima de tudo isto, cada personagem tem também o seu próprio poder especial, como um modo besta ou um ataque estrondoso com um martelo. Para usar estas habilidades e os sinais místicos precisa de recolher almas, que consegue conforme elimina jogadores durante a partida.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Devido às suas origens como parte de Enlisted, Cuisine Royale também tem alguns mapas com temática de Segunda Guerra Mundial, incluindo veículos, bunkers, e outros acessórios. Também existe um deserto mexicano e uma selva com templos, entre outros. Mais importante
e que todos os mapas são divertidos e eficazes como arenas de combate num battle royale, combinado campo aberto, exploração, edifícios, cobertura, e outras estruturas que garantem boa variedade.

Jogámos sozinho e acompanhados por amigos, e divertimos-nos imenso das duas maneiras. Gostámos de ver que Cuisine Royale não inclui qualquer salto de um avião ou helicóptero ao início de uma batalha, o que permite partir rapidamente para a ação. Jogar a solo tende a ser emocionante, mas se jogar acompanhado, vai precisar de comunicar bastante bem com o seu ou seus parceiros. Uma boa cooperação e utilização de todos os elementos será necessária para ganhar Cuisine Royale. Dito isto, é um jogo bastante acessível, que não vive tanto das peças e equipamento recolhido no campo de batalha. Isto significa que um jogador mais sorrateiro e lento, que demore a apanhar armas e equipamento, continua a ter uma hipótese de vitória.

O mais importante é que a jogabilidade nunca fica refém da premissa ridícula do jogo. As armas parecem relativamente equilibradas (existem algumas mais poderosas que outras, mas não por muito), e no fundo, Cuisine Royale continua a ser tão eficaz quanto qualquer outro jogo do género.

Apesar de só exigir perto de GB do disco rígido, e de ser relativamente suave em termos de requisitos, Cuisine Royale surpreende pela qualidade gráfica, pelo divertido sentido de humor, e pela jogabilidade empolgante. A experiência é depois enriquecida com várias camadas de profundidade, como os sinais místicos, e tudo culmina bum battle royale que recomendamos vivamente a qualquer fã do género.

Cuisine RoyaleCuisine RoyaleCuisine Royale
Cuisine RoyaleCuisine RoyaleCuisine Royale

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Tem melhor aspeto do que esperávamos. Está recheado de humor. O sistema de sinais místicos é particularmente interessante.
-
Os melhores sinais místicos exigem imenso tempo de grind. Câmara apresenta alguns problemas.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

Cuisine RoyaleScore

Cuisine Royale

ANÁLISE. Escrito por Marco Vrolijk

Pode ter começado como uma piada de 1 de abril, mas é divertido que se farta.



A carregar o conteúdo seguinte