Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor
análises
Crysis Remastered

Crysis Remastered

Crysis já não impressiona como noutros tempos, mesmo em versão remasterizada.

HQ
HQ

Já se passaram 13 anos desde que Crysis chegou ao PC, causando um enorme estrondo por vários motivos. O mais relevante, contudo, dizia respeito ao grafismo, e durante vários anos, Crysis foi visto como o padrão para classificar a qualidade de um PC. Esta situação até resultou na expressão "Mas pode correr o Crysis?", já que esse era - de longe - o jogo mais exigente da altura em termos de hardware. Para se ter uma noção, o jogo foi construído de forma a que fossem necessários pelos menos mais cinco anos de evolução de hardware para que surgisse o primeiro computador capaz de correr Crysis com definições Ultra a 60 frames por segundo.

Mas quando o jogámos há 13 anos, ficámos impressionados, e não apenas por causa do grafismo. A inteligência artificial dos inimigos, a liberdade do design do mapa, a física realista dos objetos, e claro, o inevitável Nanosuit, abriram caminho para uma experiência de jogo memorável, focada em extra-terrestres, forças especiais, e terrorismo norte-coreano.

Existia por isso natural curiosidade para ver como estava este Crysis Remastered, já que as mudanças - no papel - eram muitas. Esta nova versão está a correr na versão 5 do Cryengine, e inclui uma série de pormenores modernos, como Ray Tracing, mas agora que experimentámos a versão PC e a versão PS4 Pro, somos infelizmente obrigados a partilhar a nossa desilusão relativamente a este remaster.

A verdade é que a nível visual, notam-se poucas diferenças. Sim, existem vários detalhes melhores, mas são coisas tão pouco relevantes, que dificilmente reparará nas novidades a menos que esteja à procura delas. Ray Tracing, por exemplo, acrescenta alguns reflexos reais a algumas superfícies, mas ver um bidon vermelho refletido na água pouco ou não acrescenta ao jogo. Diríamos até que em alguns pormenores específicos preferimos o original, já que a versão remasterizada altera a iluminação e até as cores.

Crysis Remastered

Pelo menos isto significa que os jogadores de consolas podem finalmente desfrutar de Crysis mais próximo da experiência original... até certo ponto. É que o jogo só corre a 30 frames por segundo, ao contrário dos potenciais 60 frames da versão PC original. Existe uma opção nas versões PS4 Pro e Xbox One X que permite sacrificar resolução e qualidade gráfica para o jogo correr acima dos 30 frames por segundo, mas isso é ainda pior, porque a fluidez da jogabilidade acaba por oscilar constantemente entre 40 e 50 (raramente chega aos desejados 60).

Dito isto, Crysis continua a ser um jogo divertido, mesmo depois de todos estes anos. Ao contrário de Crysis 2 e 3, que apresentaram níveis relativamente lineares, Crysis destacou-se por mapas mais abertos e livres à exploração, o que também permitia abordar os inimigos de formas muito diferentes. Os controlos funcionam bem, até com comandos, incluindo na versão PC, para quem preferir comando a jogar com rato e teclado.

Embora divertido em alguns momentos, é impossível esconder a jogabilidade datada de Crysis Remastered. Os jogos de ação na primeira pessoa foram dos que mais evoluíram nos últimos 13 anos, e isso inclui em termos de como funciona ação furtiva, sensação das armas, e comportamentos dos inimigos. Crysis pode ser um jogo difícil e frustrante, mas isso deve-se à pontaria incrível dos oponentes, que conseguem ver o protagonista deitado na relva a 200 metros, e não por causa do seu comportamento inteligente.

Acreditamos que houve muito trabalho posto nesta remasterização de Crysis, e que o jogo tem realmente um mar de melhoramentos gráficos e técnicos, mas o resultado final simplesmente não revela esse esforço. Existe aqui interesse para quem nunca o jogou e possa estar interessado, sobretudo nas consolas, mas se já tem o Crysis de PC, não nos parece que valha a pena investir nesta remasterização.

HQ
Crysis RemasteredCrysis RemasteredCrysis Remastered
Crysis RemasteredCrysis RemasteredCrysis Remastered
06 Gamereactor Portugal
6 / 10
+
Design aberto oferece muitas possibilidades. Jogabilidade permite momentos empolgantes.
-
É muito exigente com o CPU. Melhoramentos não são suficientemente evidentes. Experiência de jogo datada.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

1
Crysis RemasteredScore

Crysis Remastered

ANÁLISE. Escrito por Petter Hegevall

Crysis já não impressiona como noutros tempos, mesmo em versão remasterizada.



A carregar o conteúdo seguinte