Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
Batman: The Enemy Within

Batman: The Enemy Within - Episódio 1

Resolvemos o Enigma e descobrimos o que a Telltale tem planeado para a segunda temporada de Batman.

Batman: The Enemy Within

Se leram a nossa análise à primeira temporada de Batman: A Telltale Game Series, sabem que não somos os maiores fãs dessa abordagem à personam. Além de algumas liberdades criativas algo difíceis de aceitar, a primeira temporada de Batman: A Telltale Series sofreu de problemas técnicos, grafismo abaixo da média, um ritmo excessivamente parado, e uma ausência lamentável de jogabilidade concreta.

Com tão pouco tempo de produção entre a primeira e a segunda temporada, não esperávamos que este The Enemy Within viesse resolver todos os problemas do passado, e tínhamos razão. Muitas das nossas queixas mantém-se, pelo menos do que vimos neste episódio inaugural, mas ainda assim, a qualidade do guião e do trabalho dos atores, juntamente com a introdução de algumas peças novas, foram suficientes para manter o nosso interesse.

Como podem facilmente adivinhar pelo título do primeiro episódio - Enigma -, é esse o vilão principal desta segunda temporada, ou pelo menos do primeiro episódio. À semelhança do que aconteceu com outras personagens na primeira temporada, Enigma surge em Batman: The Enemy Within com várias alterações relativamente ao que conhecemos da banda desenhada, sobretudo ao nível do passado. Enigma não é contudo a única personagem nova. Amanda Waller, responsável pela "Agência" (e o Esquadrão Suicida, que ainda não foi mencionado no jogo), promete introduzir novas dificuldades a Bruce Wayne e a Batman, e estamos curiosos para ver até onde irá evoluir esta relação. Uma palavra ainda para o regresso de "John Doe", uma personagem que certamente terá uma grande importância nos próximos episódios.

No primeiro jogo, Bruce Wayne acabou por ser uma personagem tão ou mais importante que o próprio Batman, e o mesmo acontece neste primeiro episódio. A forma como a Telltale trata o alter-ego de Batman é bastante interessante, e mais credível do que estamos normalmente habituados a ver. Como dono de uma das empresas mais ricas do mundo, Bruce Wayne acaba por ter de lidar com várias inconveniências causadas pelo facto de ser Batman, algo que não é muito aprofundado na banda desenhada - ou pelo menos não com o nível de profundidade que é aqui.

Batman: The Enemy Within

Algumas dessas inconveniências surgem como resultado das escolhas que tomámos durante a primeira temporada. Nada do que fizemos nos episódios anteriores causou ainda grande impacto, mas existiram várias referências. Quanto a novas decisões, não nos apercebemos de nenhuma que fosse muito significativa, mas várias deixaram-nos incertos quanto às escolhas que tomámos, e podem aparecer mais tarde para nos assombrar.

Durante as duas horas de jogo (talvez mais?), achámos que este primeiro episódio fluiu bastante bem, melhor que alguns dos episódios da temporada anterior. Os seis atos que formam Enigma incluem eventos significativos, e um em particular vai deixar marcas profundas na estória. Isto deve-se sobretudo à qualidade do guião e do desempenho dos atores, já que em termos de jogabilidade há pouco para ver.

Na maioria dos atos, tudo o que fizemos foi tomar decisões de diálogo e executar algumas sequências de botões (QTE), o que é pouco para quem gosta de ter mais liberdade de exploração, ou opções para retirarem mais contexto da experiência, mas é assim que a Telltale funciona, e por esta altura ou já desistiram dos seus jogos, ou já fizeram as pazes com a forma como desenham os seus projetos.

Batman: The Enemy Within tem defeitos, alguns já habituais aos jogos da Telltale. O grafismo apresenta grandes inconsistências, existem situações pouco naturais que servem convenientemente a estória, e a jogabilidade é reduzida a um mínimo. Ainda assim, a qualidade do guião, dos atores, e da forma como a estória fluiu, deixou-nos interessados para ver o que vem a seguir. Como tem sido habitual neste formato, voltaremos a publicar uma análise completa quando os cinco episódios estiverem disponíveis.

Batman: The Enemy WithinBatman: The Enemy Within
07 Gamereactor Portugal
7 / 10
+
As decisões da primeira temporada são importantes. Eventos prosseguem com bom ritmo. É provavelmente o Bruce Wayne mais credível que já vimos.
-
Algumas conveniências forçadas na estória. Inconsistências gráficas. Oferece pouco ao nível de jogabilidade.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor