Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Dutch
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
especial

TOP 10: Melhor Jogo do Ano 2016

Jogaram-nos a todos?

5º Xcom 2
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Se ainda não ficou evidente, adorámos Xcom 2. Enemy Unknown já era um jogo fantástico, e esta sequela melhorou todos os elementos da experiência. É um jogo ainda mais entusiasmante, viciante, imersivo e recompensador. Neste texto, que nem é pequeno, só falámos de alguns dos elementos mais importantes, mas existe muito mais para explorarem no jogo em si, opções que vão assegurar muitas horas agarradas ao teclado se gostarem deste género. Mesmo considerando que beneficiaria de mais algum tempo a ser limado, Xcom 2 é um dos melhores, senão o melhor, jogo de estratégia por turnos que já jogámos."
Ler análise completa.

Publicidade:

4º Overwatch
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Também é necessário aplaudir o excelente design visual das personagens, o que não é de estranhar considerando o passado da Blizzard. Cada um dos 21 heróis tem uma personalidade muito vincada, em termos de aspeto, postura, animações e voz, o que as torna facilmente identificáveis. Depois de algumas horas de jogo vão identificar cada personagem com um mero vislumbre. Aliás, Overwatch é um triunfo técnico, porque o jogo corre bem em todas as plataformas - PS4, PC e Xbox One - mantendo sempre uma jogabilidade bastante fluida. O jogo está de tal forma optimizado, que mesmo um PC mediano pode correr Overwatch com grande facilidade."
Ler análise completa.

3º Inside
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Tal como Limbo, Inside não inclui qualquer diálogo. Mesmo os efeitos sonoros e as músicas são escassas e subtis. É o exemplo perfeito de que, por vezes, menos pode ser mesmo mais. O som dos passos nos salões industriais, ou das gotas da chuva a baterem em chapa arruinada, podem passar despercebidos em muitos jogos, mas quando aqui é tudo o que ouvem, acabam por ter um impacto esmagador. Já a música tenta acompanhar as ações do jogador com melodias electrónicas, mas passa quase sempre despercebida. O departamento sonoro da Playdead sabe exatamente quando é preciso uma música para aumentar a intensidade de uma cena, ou o silêncio para deixar que seja o cenário a falar por si. Tudo isto acrescenta para uma experiência que, acima de tudo, transmite solidão."
Ler análise completa.

2º Dishonored 2
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Como no anterior, terão de usar runas mágicas para desbloquearem os poderes místicos de cada personagem. Um dos acessórios que carregam é um coração mecânico que pulsa na direção de runas e outros objetos, permitindo identificar a sua posição. Existe uma lista impressionante de habilidades para escolher, se optarem por evoluir o lado sobrenatural de Corvo ou Emily, desde abrandar o tempo, ver através das paredes, possuir corpos, ou ligar o destino de duas personagens (se uma sofrer dano ou morrer, a outra sofre o mesmo). Mais impressionante ainda é a facilidade com que podem combinar habilidades, e se realmente explorarem as capacidades do que é possível, podem criar situações altamente criativas e satisfatórias."
Ler análise completa.

1º Uncharted 4: A Thief's End
Plataformas: PS4

"Grande parte do investimento do jogador nesta aventura grandiosa vem das personagens, do argumento e das interpretações brilhantes dos atores. Os já habituais Nolan North, Richard McGonagle e Emily Rose regressam nos seus papéis como Drake, Sullivan e Elena, mas são acompanhados por interpretações fantásticas de Troy Baker, Laura Bailey e Waren Kole, na pele das novas personagens Sam Drake, Nadine Ross e Rafe Adler. Essas interpretações ganham força graças a magnífica direção, excelente técnicas de captura de movimentos, e uma qualidade gráfica impressionante. Uma palavra ainda para a localização portuguesa, que embora positiva, não está ao nível do comportamento dos atores originais. A melhor forma de jogar, na nossa opinião, é mesmo com vozes em inglês e legendas em português."
Ler análise completa.

Publicidade: