Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Início
análises
Rune 2

Rune 2

Uma despedida digna ou um sinal do porquê do estúdio ter fechado portas?

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Lembra-se de Rune, um jogo de ação e aventura lançado em 2000? Na altura acabou por ter algo sucesso, combinado combate, puzzles, e plataformas, mas não o suficiente para garantir uma sequela... até agora. A Human Head Studios, estúdio que nos trouxe o Prey original, decidiu encarregar-se de produzir essa sequela, que foi agora lançada para PC. Infelizmente, o resultado não foi o desejado, muito longe disso.

Os jogadores vão mais uma vez interagir com Thor, Freya, Odin, Loki, e muitas outras referências da mitologia nórdica, numa sequela que chegou a ser referenciada como Rune: Ragnarok, mas que mais recentemente foi alterada para simplesmente Rune 2.

O primeiro Rune foi um projeto conduzido por Chris Rhinehart, que admitiu ser algo que tinha realmente muito interesse pessoal em produzir. O jogo foi construído com o primeiro Unreal Engine, incluía um modo história e multijogador, e destacou-se em vários departamentos, desde o design dos níveis à capacidade gráfica. Foi um jogo que nos encantou, mas infelizmente não podemos dizer o mesmo desta sequela, que é um dos piores jogos que jogámos em 2019.

Ragnarok, que é o fim do mundo na mitologia nórdica, chegou, e tudo ficou em ruínas. É assim que começa esta aventura, com os deuses ainda em caos devido à catástrofe causada por Loki. O jogador vai assumir o papel de um Viking chamado Heimdal, que tem cerca de duas horas para reunir pontos de experiência e equipamento antes de ser invocado para uma dimensão paralela criada por Loki. Nessa realidade alternativa, o jogador pode escolher um deus como seu companheiro, na forma de Thor, Hel, ou Odin. Cada um destes deuses representa o sistema de classes do jogo, e no papel parece uma ideia interessante, mas a sua implementação prática é terrível.

Infelizmente isso é algo que se aplica a quase todos os elementos do jogo, a começar pela própria história, que nunca consegue manter-se interessante. Pelo contrário, é uma premissa que nunca vai realmente a qualquer ponto de viragem, e tudo é simplesmente vazio e oco. Em Rune 2 terá de procurar relíquias antigas que foram embutidas com poder mágico, de forma a ajudar Heimdal a inverter o sucedido, mas uma série de problemas técnicos, péssimas mecânicas de jogo, e um grafismo muito abaixo da média, rapidamente tiraram o pouco interesse que tínhamos na história.

Rune 2

A Human Head Studios fechou portas recentemente, com os elementos do estúdio a serem contratados pela Bethesda, que entretanto fundaram o novo estúdio Roundhouse Studios. Isso faz todo o sentido, já que Rune 2 mostra ser o trabalho de um estúdio que estava com poucos recursos. O mais curioso desta história é que a editora de Rune 2, Ragnorok Game LLC, afirmou nunca ter tido conhecimento de que a Human Head Studios estava em apuros, e diz ter sido apanhada completamente desprevenida nesta situação. Ainda assim, a editora promete apoiar e melhorar Rune 2, apesar de neste momento já não contar com o auxílio do estúdio que produziu o jogo.

É uma situação complicada entre Human Head Studios, Bethesda, e Ragnorok LLC, mas ao qual o jogador é completamente alheio. O facto de God of War ter aparecido com uma temática e um estilo de jogo semelhantes - além de ser vastamente superior - terá sido outro problema, já que esse lançamento terá motivado a algumas mudanças de planos no jogo. Ao nível de jogabilidade, Rune 2 é também um desastre, com uma câmara instável, controlos trapalhões, e um deteção de impacto simplesmente atroz.

E depois há os bugs, problemas técnicos de vários graus de gravidade que mostram bem que o jogo ainda precisava de vários meses de trabalho. Desde inimigos que simplesmente aparecem ou desaparecem à frente dos nossos olhos, a animações que não são ativadas, passando por efeitos sonoros que não tocam e texturas que desaparecem, existe um longo reportório de problemas técnicos para suportar. E mais grave ainda, o jogo tem tendência para ir abaixo com frequência alarmante.

God of War é claramente a inspiração para Rune 2, com um estilo de combate relativamente semelhante, um posicionamento semelhante da câmara, e a mesma temática. Irá explorar localizações semi-abertas, encontrar segredos, e enfrentar bosses, até chegar ao final da aventura... se tiver paciência para terminar o jogo. Rune 2 é a sequela que Rune não merecia, um jogo terrível que tem uma campanha de história péssima e um modo multijogador que não vai cativar ninguém. Infelizmente, Rune 2 é um jogo que deve evitar a todo o custo.

Rune 2Rune 2
Rune 2Rune 2
03 Gamereactor Portugal
3 / 10
+
Design razoável. Muitas armas.
-
Grafismo crude. Mecânicas de jogo péssimas. Mundo de jogo aborrecido e repetitivo. História sem interesse. Muitos problemas técnicos.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

Rune 2Score

Rune 2

ANÁLISE. Escrito por Petter Hegevall

Uma despedida digna ou um sinal do porquê do estúdio ter fechado portas?



A carregar o conteúdo seguinte