Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor
análises
PUBG: New State

PUBG: New State

O novo PUBG de mobile não tem grandes pontos de interesse.

HQ

Quando a equipa de produção de Playerunknown's Battlegrounds começou a trabalhar no jogo, dificilmente terá pensado que se tornaria num dos jogos mais populares e mais influentes dos últimos tempos. Mas aqui estamos, e PUBG é hoje uma verdadeira força na indústria de videojogos. Entretanto assistimos a atualizações, expansões, e novos lançamentos, como é o caso deste PUBG: New State para Android e iOS.

O conceito passa por pegar em PUBG e levá-lo para um cenário mais futurista, ou para ser mais específico, para 2051. O mundo tornou-se num enorme campo de batalha anarquista, e no meio de tudo isso, 100 maníacos assassinos com cabelo esquisito e calças estranhas saltam constantemente de um avião para lutarem num mapa chamado Troi.

Apesar da nova premissa, PUBG: New State é praticamente idêntico a PUBG Mobile. A interface é a mesma, e o layout e o mapa diferem pouco do que já vimos no lançamento anterior para plataformas mobile. Para sermos honestos, não vimos muito que se pareça com uma abordagem "futurista", já que os edifícios, os veículos, as armas, o terreno, e as personagens, são muito parecidas com o que já vimos. Isso confundiu-nos um pouco, sobretudo porque o material de arte que serviu para promover o jogo apontado para algo saído de Blade Runner e Robocop.

PUBG: New State

A principal diferença é que agora existe uma espécie de Safe House móvel no mapa, para onde pode tentar saltar se tiver timing e habilidade para isso. Se conseguir terá mais facilidade para abater inimigos, protegido por vidro seguro. Mas tudo o resto funciona como PUBG Mobile. É uma pena que a Krafton não tenha aproveitado esta oportunidade para melhorar a jogabilidade, sobretudo considerando que já vimos bem melhor feito por Call of Duty: Mobile. E continua a ser lamentável que o ecrã se encha com ícones e informação desnecessária, atrapalhando ainda mais a experiência de jogo.

Também ficámos algo desiludidos com o grafismo, que não apresenta melhorias em relação a PUBG Mobile. Considerando o orçamento do estúdio e todos os lucros que têm feito com PUBG, esperávamos uma aposta mais forte em PUBG: New State. Ainda assim, funciona bem que chegue - a jogabilidade é fluída se tiver hardware para isso, está bem optimizado até para sistemas mais antigos, e carrega as partidas com relativa rapidez. Mas esperávamos mais, se não a nível técnico e mecânico, pelo menos em termos de design e temática. Pode ser divertido, mas não existem muitos motivos para recomendar PUBG: New State a menos que já seja um grande fã de PUBG Mobile.

HQ
PUBG: New StatePUBG: New State
PUBG: New StatePUBG: New State
06 Gamereactor Portugal
6 / 10
+
Battle Royale continua a ser uma proposta divertida. Fundação muito sólida. Enorme catálogo de armas.
-
Está datado em vários aspetos. Não apresenta quase nada de novo. Controlos trapalhões.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte