Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
análises
Pokémon Sword/Shield

Pokémon Sword/Shield: Isle of Armor

Justifica-se o regresso a Sword/Shield para visitar a nova ilha?

Pokémon Sword/Shield

Pokémon Sword/Shield marcou uma série de mudanças para a série, incluindo o facto de ser o primeiro jogo da saga a receber uma verdadeira expansão, na forma de The Isle of Armor. Tipicamente o que acontecia era o lançamento de uma versão "definitiva", com conteúdo novo, mas neste formato os jogadores podem simplesmente adquirir o passe de € 29,99, que além de The Isle of Armor inclui também a próxima expansão, The Crown Tundra.

Um aviso, contudo, para o facto de cada jogo - Shield ou Sword - ter a sua própria versão do passe e das expansões. Se comprar o passe de Pokémon Shield, não conseguirá aceder a esse conteúdo com Pokémon Sword, por exemplo. Felizmente não existem grandes diferenças, já que ambas incluem os mesmos pokémons, e a única alteração relevante diz respeito ao rival.

Apreciamos o facto de ser possível aceder ao conteúdo de The Isle of Armor a qualquer momento do jogo, já que o nível dos pokémons que irá encontrar serão determinados pelos emblemas que apanhou. Isto garante que terá sempre uma experiência de jogo equilibrada. Também pode ser uma boa distração dos eventos do jogo base, além de permitir reforçar o elenco de criaturas. Estamos a falar da adição de 100 novos pokémons, recolhidos de todas as sete gerações, e entre eles, quatro completamente originais (cinco, se contarmos com Zarude que ainda não foi introduzido). Algo que vale a pena notar é que todos estes pokémons podem ser adquiridos com trocas, o que significa que não precisa necessariamente de comprar a expansão para os ter.

O que mais gostámos de Isle of Armor foi precisamente a ilha, uma nova área para explorar que é bastante expansiva e que é formada por vários tipos de ambientes, incluindo florestas, desertos, e cavernas. Apreciámos este design mais aberto e variado - tão aberto e variado que tivemos de espreitar o mapa em algumas ocasiões, o que foi refrescante. Os pokémons no mundo aberto também nos pareceram bem mais dinâmicos, como os Sharkpedos que nos perseguiram na água, ou o enorme Wailord imponente no horizonte.

A nossa maior queixa relativamente a Isle of Armor é a duração da história, que deve estar a rondar as duas horas. A história pede que o jogador viaje até à ilha para completar uma série de desafios, de forma a ganhar a aprovação do líder do dojo e o antigo campeão, Mustard. Estes desafios, infelizmente, resumem-se a missões muito básicas e desinteressantes, que culminam numa batalha desapontante com o novo rival.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Quanto terminar a história irá receber Kubfu, um do novos pokémons lendários, e depois irá embarcar numa visita pela ilha para construir a sua amizade com a criatura. A parte seguinte, contudo, pode ser bastante aborrecida, sobretudo para novatos, já que envolve evoluir Kubfu até nível 70. Isto não foi necessariamente difícil para nós, já que tínhamos uma mochila cheia de rebuçados de experiência, mas quem estiver a começar a sua aventura terá grandes dificuldades para evoluir Kubfu. Quando tudo o resto se ajusta ao estatuto do jogador, é estranho que esta parte seja igual para todos.

Os principais atrativos da expansão envolvem completar a história e enriquecer o Pokédex, mas existem outras distrações à sua espera. Pode tentar encontrar os 150 Alolan Diglett escondidos na ilha, por exemplo, o que lhe dará acesso a variantes regionais anteriormente indisponíveis. Também pode dedicar algum tempo a apanhar Watts e a melhorar as capacidades do Master Dojo, incluindo com a compra de uma máquina de vendas que oferece descontos, e até de um cabeleireiro.

Uma função que os fãs pediam para Pokémon Sword/Shield, e que foi agora introduzida com a expansão, é a opção para que o seu pokémon o siga pelo mundo de jogo. Infelizmente a execução não é a melhor, com o pokémon a ficar várias vezes para trás, obrigando-o a teletransportar-se sucessivamente para junto do jogador. Gostámos, contudo, da função Max Soup, que pode ser usada para transformar certos pokémons em formas Gigantamax especiais.

Esta primeira expansão de Pokémon Sword/Shield tem os seus altos e baixos. De forma geral gostámos de regressar ao jogo e de explorar o novo conteúdo, mas a história é desapontante e curta. A introdução dos novos pokémons é muito bem vinda, mas a verdade é que não precisa da expansão para os ter, pelo que isso não é exatamente um incentivo para comprar o passe. Em última análise não nos parece que Isle of Armor seja conteúdo obrigatório, pelo contrário. Resta esperar que Crown Tundra faça melhor e acabe por justificar plenamente os 30 euros do passe.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
Pokémon Sword/ShieldPokémon Sword/Shield
06 Gamereactor Portugal
6 / 10
+
Novo mapa porreiro para explorar. Adições sólidas ao elenco de pokémons.
-
Na realidade não precisa da expansão para receber os novos pokémons. Acaba muito rápido.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte