Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Início
antevisões
Gears 5

Gears 5 - Impressões de Escape

Experimentámos um novo modo que promete dar que falar em Gears 5.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Gears of War não tem hoje o peso de outrora, mas convém lembra que o jogo criado pela Epic Games (agora na The Coalition), foi um dos melhores jogos de ação da geração passada, dando uma contribuição tremenda para a solidificação das mecânicas de cobertura em jogo com tiroteios. Com a sequela, a Epic apresentou um produto superior em todos os campos, incluindo ao nível de online, onde se destacou o modo Horde. Infelizmente, Gears of War não voltou a conseguir alcançar o mesmo nível desde então.

As expetativas não são por isso muito altas para Gears 5 (perdeu o "of War" por algum motivo). Todos esperam no mínimo um jogo de ação sólido, online e offline, mas poucos estarão à espera de algo entre os melhores do ano. Isto, segundo o que tem sido o passado recente da série, o que não significa que a The Coalition não nos possa surpreender a todos.

O facto de ainda não ter sido mostrada grande jogabilidade nos trailers é outro sinal que não inspira confiança, mas se a Microsoft não mostrou muito do jogo em vídeos, pelo menos deixou-nos jogar na E3. A campanha continua fechada a sete chaves, sem uma única amostra, mas a demo do evento permitiu-nos experienciar uma das novidades, o modo cooperativo Escape. Existe aqui algumas semelhanças com Horde, mas a essência de Escape é que três jogadores ajam em conjunto para sobreviverem a uma enchente de inimigos controlados pela inteligência artificial. Se em Horde é preciso sobreviver a vagas de oponentes até não dar mais, em Escape vão encontrar um objetivo mais claro - completar o nível sem morrer.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Enquanto conceito é intrigante, e parece-nos uma adição que faz sentido segundo o que tem sido o legado da saga. A execução, contudo, é algo diferente, pelo menos para já. A demo apenas tinha um nível disponível, que se revelou como uma tremenda desilusão. O cenário em si era completamente desinspirado, uma área industrial sem cor ou vida, em que as salas pareciam excessivamente similares entre si. Mais, o que vimos de Gears 5 a correr em tempo real neste modo é menos impressionante a nível técnico do que já vimos em trailers.

Pelo menos a jogabilidade continua muito sólida, com personagens pesadas, armas com excelente impacto, e um sistema de cobertura fantástico. Continua a ser uma experiência muito parecida com a do primeiro Gears of War, mas enquanto funcionar, não nos queixamos. Se graficamente não ficámos impressionados, a nível de fluidez não temos nada a apontar, com respostas excelentes aos comandos.

Como referimos no início do texto, não esperamos que Gears 5 seja um jogo fantástico, e o que jogámos na E3 não fez nada para mudar a nossa opinião, pelo contrário, mas ainda é cedo para um veredicto, muito cedo. Se os outros modos online cumprirem com o que é exigido deles, se o modo Escape apresentar maior qualidade e variedade, e sobretudo se a campanha de história impressionar com sequências dinâmicas de ação e momentos memoráveis, Gears 5 pode perfeitamente ser algo mais do que esperamos. Agora resta esperar pelo lançamento a 10 de setembro.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
Gears 5
Gears 5