Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands /
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
especiais

João Lopes e o futuro da PlayStation em Portugal

"Estamos a preparar um grande 2018."


Não é novidade para ninguém que a PlayStation é a marca mais popular de consolas em Portugal, e se alguém tinha dúvidas, provavelmente ficou convencido pelo meio pavilhão que estava reservado à editora no Lisboa Games Week. A Sony voltou a apostar forte no maior evento português de videojogos, apresentando alguns títulos que só vão sair em 2018, destacando o PlayLink e o PlayStation VR, e disponibilizando uma série de consolas para que os visitantes pudessem experimentar vários títulos de PS4.

No evento estava também João Lopes, o PR Manager da PlayStation em Portugal, que aceitou conversar com o Gamereactor. Considerando que a realidade virtual estreou no nosso país há um ano com o PSVR, questionámos João sobre o sucesso do dispositivo em Portugal.

"Estamos muito satisfeitos com os resultados do PlayStation VR em Portugal, porque estão dentro das nossas expetativas para este primeiro ano. Agora o foco está no conteúdo, em lançar experiências que possam somar às mais de 100 que já estão disponíveis para o PlayStation VR. É por exemplo o caso do Bravo Team, que vem em 2018, e o The Impatient."

"Alguns retalhistas costumam fazer períodos de experimentação do PlayStation VR, mas em todos os eventos em que a PlayStation participa, fazemos questão que o PlayStation VR tenha uma presença muito forte. Estes serão os sítios mais interessantes para que o público possa experimentar o PlayStation VR."

Outra grande presença no evento foi o PlayLink, outra aposta de peso para a Sony. Através de uma aplicação gratuita para smartphones, a Sony pretende abrir os jogos a um público mais amplo, através de vários jogos de caráter social. Mais tarde, contudo, a ideia é abrir o PlayLink a outras experiências mais profundas, como Erica, que também esteve no evento.

"Com o PlayLink pretendemos chegar a um público diferente, um público que não pertence à categoria do jogador assíduo. Debaixo da tutela do PlayLink vamos lançar uma série de jogos sociais, que têm uma natureza muito casual, e que são sobretudo desenhados para serem jogados em família, ou num serão com amigos. Existem várias experiências divertidas, incluindo quiz, uma reedição do Singstar, o És Tu!... mas o plano depois é também oferecer experiências mais imersivas, com narrativas mais complexas, como é o caso do Erica."

"Acreditamos muito nesta novidade de ser possível jogar com o smartphone, o que dispensa um dos principais obstáculos dos jogos para algum público, o comando. Neste caso, qualquer pessoa tem um 'comando' dentro do bolso, e sabe manipular perfeitamente o smartphone, além de que com a aplicação é possível desenhar, tirar fotografias, gravar vídeos... basicamente o Playlink abre todo um novo potencial gigante de possibilidades."

"Acho que seria interessante ver um jogo que misturasse o PlayLink e o PlayStation VR, que unisse o melhor desses dois mundos, porque são ambos duas apostas da Sony que acreditamos terem o potencial para serem muito bem sucedidas."

Não foi só o PSVR que estava de parabéns - a PlayStation 4 Pro também está a celebrar um ano, uma consola especificamente desenhada para jogabilidade 4K e HDR... mas será que os portugueses já estão prontos para aderirem a um patamar de videojogos que requer televisões topo de gama?

"Nós acreditamos que o público português está pronto para a jogabilidade 4K, e a nível mundial, os dados que temos é que uma em cada cinco consolas PlayStation vendidas, são uma PS4 Pro. Para nós tem sido um êxito enorme, e sentimos que é uma proposta muito valorizada pelos jogadores. Não é exatamente a nossa área na PlayStation, mas os dados que temos indicam que o mercado das televisões 4K e UHD está a crescer exponencialmente em Portugal, ainda que a PS4 Pro traga também vantagens para quem não uma televisão 4K."

A PlayStation Portugal ostenta com orgulho a iniciativa do PlayStation Talents e dos Prémios PlayStation, um programa que é exclusivamente ibérico, e que já vai na terceira edição. Segundo João Lopes, a qualidade e a quantidade dos Prémios PlayStation tem aumentado de ano para ano.

"Os Prémios PlayStation é algo muito importante para nós, e sentimos que esta terceira edição foi claramente a melhor. Foi a melhor em termos da quantidade de projetos que nos foram apresentados, mas também em termos da qualidade desses projetos. Acho que isso se deve a dois fatores: ao facto da indústria estar a crescer em Portugal, e também pelo crescimento da própria iniciativa, que estará a motivar os produtores a apresentarem projetos com maior qualidade. Percebem qual é o caminho da iniciativa, e percebem que os seus jogos podem realmente ser publicados na PlayStation 4. O programa PlayStation First tem também sido determinante para isso, e nesta edição tivermos sete universidades que apresentaram projetos através do PlayStation First. Deste sete, quatro passaram aos 10 finalistas, logo sentimos que a iniciativa está a correr bastante bem."

Nem tudo foram boas notícias durante a entrevista. João Lopes confirmou que, para já, não existem planos para trazer o PlayStation Now para Portugal, nem tão pouco o sistema de pontos da PS Store americana.

"Para já, essa oferta dos PlayStation Rewards é exclusiva da Store americana, e neste momento não sabemos se, ou quando, irá chegar à Europa. O mesmo acontece com o PlayStation Now, que não tem qualquer previsão para lançamento em Portugal."

Tal como já o tínhamos feito durante a nossa entrevista com Adam Williams, de Detroit: Become Human, questionámos João Lopes sobre a polémica do vídeo de The Last of Us 2, durante o Paris Games Week.

"Acho que é bastante claro que o The Last of Us 2 é um título para adultos, e conhecendo a Naughty Dog, tenho a certeza que toda aquela sequência foi desenhada tendo como base a narrativa do jogo. É pesado, mas é para adultos, e como é óbvio é um jogo que só deve ser desfrutado por quem tem maturidade para ele."

A Nintendo foi uma das empresas que regressou ao Lisboa Games Week, e logo com um stand impressionante. Isso deve-se sobretudo ao grande sucesso da Nintendo Switch, algo que satisfaz João Lopes.

"Penso que é óptimo para a comunidade e para a indústria. É bom que haja inovação, e que haja crescimento na indústria, e é bom que todos os participantes da indústria continuem a apostar na mesma. Da parte que nos toca, continuamos a apostar muito forte nesta indústria, e estamos a preparar um grande ano de 2018 para a PlayStation 4, além de estarmos muito satisfeitos com 2017."

Para terminar, uma questão sobre a PlayStation 5, que alguns acreditam poder aparecer daqui a dois anos. João Lopes, contudo, está apenas focado na PS4.

"Ainda não temos nada a anunciar em relação a uma eventual PlayStation 5, e penso que a quantidade de jogos que estamos a preparar é prova de que a nossa aposta na PlayStation 4 vai continuar. Penso que esta consola ainda tem muitas experiências para receber no futuro, e ainda temos muitos objetivos preparados para os próximos anos."

Esperamos que tenham gostado desta nossa conversa com João Lopes, mas temos ainda mais conteúdo relacionado com o Lisboa Games Week que partilharemos nos próximos dias, incluindo uma entrevista com Jorge Vieira, o novo Gestor de Produto da Nintendo em Portugal.