Português
Gamereactor
análises
Doom Eternal

Doom Eternal - Análise Switch

Custou esperar por Doom Eternal na Switch, mas felizmente valeu a pena.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Quando Doom Eternal chegou a todas as outras plataformas em março passado, rapidamente conquistou críticos e fãs, assumindo-se como uma sequela meritória para o já excelente Doom de 2016. Mas enquanto jogadores de PC, PS4, Xbox One, e Stadia desfaziam demónios com o Doomslayer, os que estavam na Switch tiveram de ficar à espera por tempo indeterminado (bem, pelo menos também tiveram o fenomenal Animal Crossing: New Horizons em março).

Mas a espera terminou, e Doom Eternal está finalmente disponível na Nintendo Switch, novamente adaptado pela Panic Room que ja tinha feito um excelente trabalho na adaptação do Doom anterior. É sobretudo o trabalho de adaptação, e as características da versão Switch que vamos rever nesta análise, o que significa que se quiser um olhar mais profundo ao jogo em si e às mecânicas da jogabilidade, aconselhamos a espreitar a nossa análise original.

Convém desde já esclarecer o que provavelmente já sabe, mas que é preciso dizer na mesma. Se procura a versão mais bonita de Doom Eternal, com a jogabilidade mais fluída, não vai encontrá-la na Switch. O hardware inferior da Switch obrigou a vários sacríficos para colocar Doom Eternal na consola, não só em termos de grafismo, mas mais importante ainda, em termos de fluidez. Enquanto todas as outras versões do jogo correm a 60 frames por segundo, a versão Switch está bloqueada aos 30 frames por segundo, sendo por isso menos fluída.

A resolução é também menor, as texturas estão mais borradas, e a iluminação não é tão impressionante. Ou seja, a nível técnico, esta é a pior versão do jogo, mas isso já era esperado. O que realmente importa saber é se, apesar destes sacrifícios, Doom Eternal continua a ser um jogo capaz na Switch, e a resposta é positiva. Doom Eternal continua a ser um fenomenal jogo de ação na primeira pessoa, mesmo na Switch, e vai certamente divertir-se a dizimar demónios na consola da Nintendo.

O que é realmente impressionante é o modo portátil, onde a resolução de 720p é mais que suficiente para apresentar um grafismo de qualidade no ecrã da Switch. Ter a oportunidade de jogar um jogo como Doom Eternal numa portátil é algo realmente especial, que nos impressionou sobremaneira. Estamos a falar de um jogo altamente ambicioso, que mistura ação intensa, puzzles, plataformas, e vários inimigos, tiros, e explosões a acontecer em simultâneo no ecrã. Ter tudo isso em modo portátil é incrível, e adorámos jogar Doom Eternal desta forma, mais até do que esperávamos.

Doom Eternal

Em termos de controlos, testámos os Joy-Cons e o Pro Controller, e a experiência manteve-se excelente em ambos. No modo TV preferimos o Pro Controller, e aqui tivemos controlos praticamente idênticos ao de uma Xbox ou PS4. No modo portátil, os Joy-Con funcionaram perfeitamente, e nunca sentimos problemas para lidar com a ação intensa e sequências desafiantes que Doom Eternal apresenta. Para quem é fã desse tipo de controlos, Doom Eternal também suporta sensor de movimentos na Switch, algo que não existe em mais plataforma nenhuma. Honestamente, preferimos jogar com controlos tradicionais, mas experimentámos o sensor de movimentos, e a resposta foi excelente. Se aprecia este tipo de controlos, não vai ficar desiludido.

Adorámos jogar Doom Eternal quando saiu em março, e adorámos repetir a aventura na Switch em modo portátil, mas é preciso referir um problema significativo que encontrámos. Tratou-se de um bug péssimo, que aconteceu quando morremos longo depois de apanharmos o lança-mísseis. Isto prendeu-nos na sala ao mesmo tempo que gravou, o que nos impediu de continuar o jogo, porque não conseguimos encontrar forma de sair da sala. Pelo que verificámos, parece ter sido mais azar da nossa parte do que algo que aconteça a muita gente, mas de qualquer forma é importante relatar o que ocorreu. Fora isso, não encontrámos bugs dignos de referência.

Também é preciso referir que a expansão Ancient Gods: Part One, já disponível nas outras plataformas, ainda não chegou à Nintendo Switch. O estúdio ainda não revelou quando irá lançar a expansão na consola híbrida, deixando apenas a indicação de que será "em breve". O que está disponível, contudo, é a oferta de Doom 64, para todos os que comprarem Doom Eternal na Switch até 22 de dezembro. Comprado avulso, Doom 64 custa € 4,99 na eShop (pode ler a análise aqui).

Doom Eternal é um dos melhores jogos de 2020, um fantástico jogo de ação na primeira pessoa com uma campanha empolgante, ação intensa, e excelente design de níveis. Isto tudo continua a ser verdade na Nintendo Switch, que embora perca em termos de grafismo e fluidez comparativamente às outra versões, ganha em portabilidade e no suporte para sensor de movimentos. Uma compra obrigatória para quem gostou do Doom anterior, e uma recomendação alta para quem aprecia o género em geral.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
Doom EternalDoom Eternal
Doom EternalDoom Eternal
09 Gamereactor Portugal
9 / 10
+
Era excelente quando saiu em março, e continua a ser excelente agora na Switch. É incrível que seja jogável numa portátil. Permite controlos por movimento.
-
Encontrámos um bug péssimo. As expansões ainda não chegaram à Switch,.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

Doom EternalScore

Doom Eternal

ANÁLISE. Escrito por Mike Holmes

Gostou de Doom 2016? Então vai adorar a sequela.



A carregar o conteúdo seguinte


Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.