Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Início
análises
Astral Chain

Astral Chain

Depois de Nier: Automata havia grande expetativa para o novo jogo da Platinum Games. Descubra na nossa análise se correspondeu.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Quem enfrenta monstros com frequência tem de ter cuidado para não se tornar num ele próprio. Talvez o melhor mesmo seja capturar os monstros em segurança e armazená-los numa pequena bola, para depois deixá-los lutar contra a sua espécie. Não, não estamos a falar de um novo Pokémon, mas de Astral Chain, um exclusivo de Nintendo Switch produzido pela Platinum Games, o estúdio de Bayonetta e Nier: Automata.

Astral Chain segue um conceito relativamente complexo, onde o jogador deve gerir duas personagens em simultâneo, e tudo em tempo real. Ao início não é fácil, mas a Platinum Games não é conhecida por jogar pelo seguro em termos de mecânicas de jogo, e aqui também não o fizeram.

Embora não seja idêntico a qualquer um dos seus outros jogos, é possível reconhecer o ADN da Platinum Games em Astral Chain, sobretudo no sistema de combate. Vai ter opção para Lock-on no adversário, dano à base de combinações de golpes, e um botão para evitar ataques - se executar no momento oportuno, a ação passa a câmara lenta durante uns segundos. O resto da experiência de jogo envolve explorar ambientes em mundo aberto relativamente pequenos, comprar acessórios, procurar recursos, e assim por diante.

Um dos aspetos mais interessantes de Astral Chain é a capacidade para invocar um Legion, seres de outra dimensão que estão ligados ao protagonista. Pode dar ordens ao Legion, ativar algumas das suas habilidades especiais, ou até assumir o seu controlo direto. Inicialmente é um processo um pouco estranho, que requer alguma habituação, mas eventualmente acaba por fazer sentido e por se tornar interessante.

Este companheiro não é uma mera mecânica de jogo, é também parte da história. A humanidade está à beira da extinção depois de ter sofrido ataques de monstro ao longo de vários anos, mas alguns destes monstros foram capturados e domados. É assim que terão acesso ao Legion. Quanto ao protagonista, será quem escolherem entre o irmão e a irmão Howard.

Ao longo do jogo terá de participar em várias batalhas intensas, mas Astral Chain não se resume a combate. Parte da experiência de jogo envolve secções de plataformas, alguns momentos leves de investigação, e encontrar soluções para puzzles. É um misto extremamente bizarro de ideias, que envolve trabalho policial, combate fantástico, e domação de perigos animais.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Esta mecânica, de controlo de duas personagens em simultâneo, acrescenta alguma complexidade ao jogo, mas também abre possibilidades interessantes de jogabilidade. A inteligência artificial tem um controlo razoável do Legion, mas por vezes vale a pena assumir o seu controlo e atacar inimigos específicos. Também podem tentar acionar algumas habilidades especiais, incluindo um "astral chain", uma técnica possível quando o protagonista e Legion estão em posições específicas de combate, e que permite apreender os inimigos.

O Legion não morre durante o combate, mas perde energia. Quando isso acontece tem de regressar à prisão que o jogador carrega, ficando fora de ação durante algo tempo. É preciso ter atenção à sua energia e aos inimigos que está enfrentar, ou podem ficar sem Legion em momentos de maior intensidade.

A Platinum Games surpreendeu-nos com Astral Chain, não por apresentar um sistema de combate eficaz e original, mas por tudo o que resto que o jogo inclui. Existe aqui um foco interessante noutros elementos do jogo, como a história, as investigações, e os puzzles, tudo elementos que abrandam o ritmo do jogo, algo atípico para a Platinum Games.

A localização dos monstros, entre outros mistérios, vão obrigar a trabalho de detetive, como interrogar testemunhas e investigar pistas. Cada Legion tem as suas próprias capacidades extra-combate. Um deles pode escutar personagens sem que elas se apercebam, enquanto que outro consegue cheirar e rastear itens escondidos, por exemplo. Estas secções de investigação não são fantásticas, mas ajudam a intervalar a ação e a manter o foco na narrativa.

Astral Chain

O mundo de Astral Chain é interessante, tanto visualmente, como tematicamente, e isso acabou por nos incentivar à sua exploração. Isto permitiu-nos encontrar atividades secundárias e missões opcionais que serviram como uma boa distração da história. Nada de muito memorável, mas tiveram um contributo razoável para a experiência geral de jogo. Pelo meio conhecemos uma boa galeria de personagens interessantes... pena que não tivessem com quem interagir.

A escolha por um protagonista silencioso foi muito infeliz na nossa opinião. O facto de não interagir verdadeiramente com o seu gémeo, ou até com os Legion de forma significativa, foi uma desilusão. O protagonista precisava de mais carácter, de maior desenvolvimento, e considerando as inspirações da Platinum Games - Ghost in the Shell, Neon Genesis: Evangelion -, torna-se ainda mais desapontante.

Uma desilusão, mas que não é suficiente para fazer grande mossa no geral. A Platinum Games conseguiu fazer jus à premissa do jogo, tanto a nível mecânico, como narrativo. O combate é bom, as investigações ajudam a variar o ritmo, o estilo visual impressiona, e os Legion são uma excelente forma de acrescentar profundidade à jogabilidade e até à narrativa. Em cima disso é preciso ainda lembrar que o jogo oferece uma boa dose de conteúdo, incluindo três níveis de dificuldade.

Astral Chain não é uma experiência falhada como Star Fox Zero, um golpe de génio como Nier: Automata, ou um jogo de ação extravagante como Bayonetta. É algo diferente, algo original, uma experiência muito sólida que é facilmente recomendável a quem tem uma Nintendo Switch e aprecia jogos de ação. E se gostarem de animação japonesa, melhor ainda. Talvez não seja o ponto alto da Platinum Games, mas continua a ser um jogo de grande qualidade.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
Astral ChainAstral ChainAstral Chain
Astral ChainAstral ChainAstral Chain
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Premissa interessante e bem desenvolvida. Bom sistema de combate e experiência de jogo versátil. Inclui mecânicas de investigação.
-
A narrativa não causa grande impacto. Muito que aprender nas primeiras horas de jogo.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

Astral ChainScore

Astral Chain

ANÁLISE. Escrito por Magnus Laursen

Depois de Nier: Automata havia grande expetativa para o novo jogo da Platinum Games. Descubra na nossa análise se correspondeu.



A carregar o conteúdo seguinte