Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor Portugal
antevisões
Destiny 2

Destiny 2: Forsaken

Jogámos na Gamescom ao novo modo que vai chegar com Destiny 2: Forsaken, Gambit, e estudámos-lo com atenção.

A nova expansão chega dentro de poucos dias e muito há para falar sobre Destiny 2, mas de momento vamos-nos ficar pelo modo Gambit e os motivos pelos quais este vai mudar a experiência Destiny de uma forma profunda.

Pela primeira vez na série da Bungie, o shooter vai receber um modo onde PvP está misturado com PvE - denominado Gambit - e podemos afirmar que é ultra-divertido. Depois de andarmos na Gamescom de um lado para o outro sem parar, tivemos finalmente a oportunidade de nos sentarmos confortavelmente para jogarmos a Gambit, e embora a Bungie tenha introduzido novos modos no passado (como Prison of Elders, Archons Forge e Escalation Protocol) estamos agora perante algo num patamar diferente.

Se ainda não ouviram falar deste novo modo, aqui têm um resumo: duas equipas de quatro apresentam-se uma à outra (nós optámos por uma dança extremamente cativante) e depois são teletransportadas para partes do mapa onde não se conseguem ver uma à outra. É um modo de jogo baseado em pontos, pelo que de forma a suceder e a pontuar vão ter de eliminar inimigos e bosses, para apanharem os 'motes' que largam uma vez aniquilados.

Soa fácil, certo? Com esses 'motes' começa a parte realmente interessante, na medida em que vos é possível sabotar a equipa oposta ao enviar-lhes blockers, enquanto amealham os vossos 'motes'. Blockers são basicamente inimigos de diferentes níveis que vocês lhes podem enviar de forma a que eles sejam obrigados a lutar, e sempre que um blocker estiver ativo, eles não podem ganhar pontos. Os blockers pequenos equivalem a 5 pontos, os médios a 10 e os grandes a 15. A meta é acumular 75 pontos para ativarem um boss - chamado de Primeval -, e a equipa que matar o boss em primeiro lugar ganha.

Mas esperem, de que forma é isto PvE com PvP? Bem, por cada 25 'motes' que a vossa equipa acumular abre-se um portal que vos permite invadir a outra equipa, e um dos jogadores pode teletransportar-se de forma a provocar o caos entre as pobres almas. Isto é muito importante por duas razões. Primeiro, se conseguirem eliminar os Guardians da oposição, eles perdem todos os 'motes' que estão a carregar naquele momento - o que pode ser devastador para toda a equipa; segundo, se a equipa que estiverem a invadir tiver depositado todos os seus 'motes' e despoletado um Primeval, então por cada morte que consigam conferem ao boss um bocado de energia.

Imaginem a seguinte situação: a equipa adversária está em vantagem e têm já o seu Primeval com metade da energia quando o vosso boss aparece. Enviem um Guardian furtivo com uma espingarda, deixem-no eliminar os quatro jogadores adversários e vão fazer com que o seu Primeval recupere a energia, pelo que as probabilidades vão ficar de novo a vosso favor. Isto irá dar origem a momentos de grande aflição e a disputas fantásticas, com momentos de grande risco e maiores recompensas.

A equipa que estiver a eliminar adversários e der uso aos blockers com maior eficácia vai ter a vantagem. É claro, tudo isto assenta num bom trabalho de equipa, num excelente sentido de coordenação e na capacidade de priorizar alvos. Por exemplo, andámos a aniquilar inimigos enquanto mantivemos um dos membros da equipa a fazer patrulha, de forma a defender o nosso campo de jogo e a estar preparado para desferir um ataque frontal uma vez que acumulássemos 'motes' suficientes. Quando o nosso Primeval apareceu, encontrámos-nos no centro do mapa e lançámos tudo o que tínhamos contra ele, e acabámos por ganhar o jogo por 2-0.

A preocupação constante em depositar 'motes' mais depressa que a equipa adversária, ao mesmo tempo que procurávamos por invasores e eliminávamos inimigos é o que torna Gambit tão divertido. É multifuncionalidade pura e revela o quão forte são os pilares de jogabilidade de Destiny 2. O misto de PvP e PvE funciona extremamente bem e o patamar de elementos estratégicos é algo que não testemunhámos em Destiny anteriormente. Com este modo vêm quatro mapas, cada qual com inimigos distintos, o que permite alguma diversidade e combinações diversas.

Gambit parece ser o tipo de modo que irá continuar a evoluir com Destiny 2 e conhecendo a Bungie, de certeza que têm algumas algumas ideias na manga para prolongar a sua existência. É PvP para os fãs de PvE e vice-versa, e estamos ansiosos que setembro chegue para lhe metermos as mãos em cima, aquando do lançamento de Forsaken. Existem muitas mais coisas para falar sobre esta expansão - como novos supers, mudanças nos slots das armas, entre outras - e em breve explicaremos isso, mas por agora fiquem com a certeza de que Gambit vai testar a vossa equipa de formas diferentes a cada partida.

Destiny 2
Destiny 2