Gamereactor Close White
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
antevisões
Lego DC Super-Villains

Lego DC Super-Villains

Joker, Lex Luthor, e Harley Quinn tomaram de assalto Lego Batman, e nós já vimos o resultado.

  • Texto: Sam Bishop
Facebook
TwitterReddit

O segundo Lego Batman foi um dos jogos mais importantes da série Lego, já que foi nesse jogo que a TT Games começou realmente a apostar em estória e vozes, e também foi aí que estreou uma estrutura de mundo aberto. O terceiro jogo, contudo, acabou por ser uma pequena desilusão, muito aquém de Lego Marvel Super Heroes, e para esta nova abordagem, a TT Games decidiu descartar os heróis e concentrar-se nos vilões da DC. Estamos a falar de Joker, Catwoman, Harley Quinn, Lex Luthour, Reverse Flash, e muitos outros.

Numa demo de E3, tivemos a oportunidade de jogar um nível do jogo, e experimentar Joker, Lex Luthour, Grundy, Cheetah, e Harley Quinn. Como acontece noutros jogos Lego, cada personagem apresenta características únicas baseadas nos seus poderes, ou personalidade. Enquanto Cheetah é muito ágil e veloz, Grundy é massivo e consegue mover objetos pesados. Luthor, com as suas armas, consegue destruir superfícies prateadas, e Joker... bem, é o Joker.

Um dos grandes destaques de Lego DC Super-Villains, é que não vão jogar apenas com estes vilões conhecidos, mas com um vilão que vão criar de raíz. Quando começam a aventura vão ter acesso a vasto leque de opções, não só cosméticas, mas também práticas, com muitas habilidades disponíveis. Como era uma demo, decidimos ir pelo caminho mais ridículo possível, e criámos um vilão de boxers, um fato de milho, óculos escuros, e uma barba roxa. Sabemos que também será possível evoluir a personagem ao longo da aventura, mas isso não foi possível ver na demo.

Embora o leque de habilidades disponíveis para esta personagem seja extenso, não vão conseguir ultrapassar os níveis sem ajuda, e terão de usar outros Vilões para prosseguirem pelo jogo, seja para desbloquear uma passagem, ou para resolver um puzzle.

Como acontece noutros jogos da TT Games, o estúdio pegou nas personalidades de cada personagem e levou-as ao extremo, sobretudo ao nível de ações e argumento. As picardias entre Joker e Harley Quinn são divertidíssimas, por exemplo, e reparámos que tanto o mundo de jogo, como as sequências de vídeo, estão recheadas de referências, umas óbvias, outras mais obscuras.

Lego DC Super-Villains

Não vamos entrar em grandes pormenores sobre a estória, mas podemos confirmar que o jogo não se resume apenas aos vilões - também vão aparecer os heróis. Aliás, quem melhor para enfrentar este bando de criminosos do que a Liga da Justiça? A questão é que este grupo de vilões está razoavelmente bem organizado, e não vai facilitar a vida a Batman, Super-Homem, Mulher-Maravilha, e companhia, e além disso, vão existir algumas surpresas na estória... mas não vamos revelar nada.

O jogo será composto por vários 'mundos' que servem de base, como Gotham e Metropolis, e depois os níveis decorrem em secções à parte. Este pode vir a ser um dos 'maiores' jogos da Lego em termos de mapas e níveis, e se souberem respeitar o material de origem, terão muito conteúdo de qualidade para apresentarem no jogo.

Não podemos esperar gráficos topo de gama de um jogo da Lego, mas atrevemos-nos a dizer que Lego DC Super-Villains tem melhor aspeto que qualquer outro jogo da TT Games. Desde os modelos das personagens, a logos e menus, tudo parece ter refinado e polido, e mais importante que isso, apresentam um grande nível de detalhe nos fatos e no cenário. Também apreciámos a forma como o jogo retrata o plástico das figuras, que mais do que nunca, se parecem com figuras reais de Lego.

Entre outros jogos de ação extremamente violentos, e muito espalhafato, soube bem visitar o mundo de Lego DC Super-Villains durante a E3. Foi uma sensação de conforto, quase como vestir um roupão quentinho num dia de inverno, mais ainda porque somos fãs da DC Comics (tal como da Marvel). A abordagem inversa, de focar a estória nos vilões e não nos heróis, pode apresentar muitas situações engraçadas, e ajudará a manter a experiência de jogo fresca. Tal como Suicide Squad no cinema, Lego DC Super-Villains tem o potencial para ser algo diferente e especial... resta esperar que cumpra, ao contrário do filme.

Lego DC Super-VillainsLego DC Super-Villains
Lego DC Super-Villains