Gamereactor follow Gamereactor / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands / 中國 / Indonesia / Polski
Gamereactor Close White
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
antevisões
Spider-Man

Spider-Man

Não é Batman: Arkham disfarçado, é um jogo desenhado à medida para o herói da Marvel.

  • Texto: Sam Bishop

Facebook
TwitterRedditGoogle-Plus

Existe grande entusiasmo em torno deste Spider-Man da Insomniac Games, sobretudo porque, depois de muitos jogos medíocres, este parece ser 'o' jogo que vai finalmente oferecer uma experiência digna de um dos mais amados super-heróis da Marvel. O jogo será lançado a 7 de setembro, o que significa que está já num estado próximo de final, e por isso mesmo, tivemos a oportunidade de o experimentar durante a E3.

A demo permitiu explorar um pouco de Nova Iorque e das atividades que estarão disponíveis ao jogador. Antes de começarmos a partir as cabeças de bandidos, passámos por um tutorial de navegação. Com o R2 começamos a balançar, e o com X ganhámos velocidade, e gradualmente, mais ações foram desbloqueadas. A Insomniac prometeu acessibilidade, e cumpriu. Em cinco minutos já estávamos a navegar por Nova Iorque com facilidade, e a sensação é fantástica.

Isto é básico da navegação, e do que o Homem-Aranha pode fazer com as teias, mas podem fazer muito mais. Podem puxar objetos, ganhar impulso, 'colar' objetos diferentes, e usar uma série de truques em combate. Rodopiar objetos, atirá-los, prender inimigos, e muito mais. Tal como o sistema de navegação, o combate é também bastante intuitivo. O quadrado ataca, o triângulo atira teias, e o círculo evita o perigo, devidamente alertado pelo sentido de aranha. Basta utilizar estas três ações básicas para derrubarem os inimigos menores, mas existem outras opções.

Esta versão de Peter Parker já é o Homem-Aranha há alguns anos, e durante esse período trabalhou numa série de acessórios para o auxiliarem em combate, incluindo minas e bombas de teias, por exemplo. Estes acessórios permitem uma maior abordagem tática, não só durante os combates, mas também nos momentos de ação furtiva. Também existe um medidor especial do fato que vai enchendo durante o combate, e que pode ser usado para curar o herói ou executar um golpe especial.

Tudo isto lembra, naturalmente, a série Batman Arkham, mas a verdade é que não são tão parecidos como os vídeos podem sugerir. Por exemplo, em Spider-Man não podem contra-atacar, apenas evitar ataques e depois atacar - e os contra-ataques são um dos pilares do combate de Batman. Outras grandes diferenças estão na agilidade de Homem-Aranha, nos movimentos com teias, e na sua facilidade para se deslocar pelo cenário. Spider-Man não é Batman: Arkham disfarçado, é um jogo desenhado à medida para recriar e potenciar as características do herói da Marvel.

Depois de nos habituarmos às bases dos controlos, de tal forma que nos sentimos como o verdadeiro Homem-Aranha, decidimos finalmente experimentar um pouco da estória. Nesta missão, Shocker fugiu da prisão e tentou de imediato roubar um banco. Não vamos entrar em pormenores sobre o que acontece, mas podemos dizer que os motivos de Shocker envolvem mais do que simplesmente arrecadar uns trocos. O que podemos dizer é que eventualmente tivemos de enfrentar Shocker, o nosso primeiro Boss.

Não esperem nada de revolucionário neste campo. A batalha em si é visualmente impressionante, e bastante divertida, mas obedece a fórmulas bastante práticas de videojogos. Shocker segue padrões de ataque, que depois decorar e evitar, para depois atacarem nos momentos certos. Foi simples, mas divertido, e o mais importante aqui é transmitir a sensação de ser o Homem-Aranha, e esse objetivo foi conseguido com nota máxima.

Acreditamos que terão de enfrentar muitos bosses e mini-bosses durante a campanha, mas a maioria das atividades de Spider-Man não serão tão excitantes e explosivas. Spider-Man terá muito conteúdo extra e secundário, desde a procura e recolha de colecionáveis, a crimes aleatórios, passando por vários missões opcionais. Estas missões podem envolver ajudar ou salvar cidadãos, e por vezes até podem levar a encontros com outras personagens da Marvel (sobretudo vilões).

Spider-Man é um jogo graficamente impressionante, e isso é óbvio para quem já viu os trailers, mas agora podemos dizer que o jogo é também lindíssimo a correr em tempo real numa PS4 e numa TV. Nova Iorque esta estupenda, cheia de vida e de detalhe, incluindo vários marcos reais da cidade. Ainda assim, a Insomniac reconheceu que mudou alguns elementos para tornarem a jogabilidade mais divertida, como prédios mais altos que o real, e mais árvores nos parques.

Se os vídeos já tinham deixado excelentes indicações, esta pequena amostra da jogabilidade e do mundo de Spider-Man encantaram-nos. Desde as mecânicas cuidadosamente ajustadas à realidade da personagem, à fluidez de movimento e polimento da jogabilidade, Spider-Man parece ter todos os ingredientes certos. Agora resta perceber por quanto tempo consegue o jogo manter o encanto, e isso vai recair sobretudo na qualidade e variedade de objetivos e missões. Para já, é sem dúvida um jogo a manter debaixo de olho, não só por fãs do herói, mas também por quem aprecia o género em mundo aberto.

Spider-Man
Spider-ManSpider-ManSpider-Man