Gamereactor follow Gamereactor / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands / 中國 / Indonesia
Gamereactor Close White
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
antevisões
The Elder Scrolls Online: Summerset

The Elder Scrolls Online: Summerset

As ilhas de Summerset abriram as suas fronteiras, mas nem tudo é o que parece na região natal dos High Elves.

  • Texto: Sam Bishop
Facebook
TwitterRedditGoogle-Plus

Imaginem isto: depois de criarmos uma personagem, acordamos num mundo estranho guiados pela voz de um espírito, que nos acompanha através do pesadelo que nos rodeia, ensina-nos como equipar-nos com itens, a atacar e a usar habilidades. Tudo se encontra banhado por uma luz roxa e há monstros atrás de nós, e até um misterioso orbe voador que parece deter alguma espécie de poder neste espaço.

Ao voltarmos à realidade, acordamos com um membro da Psijic Order de pé junto a nós. A Order é uma organização antiga sedeada em Artaeum, uma ilha que aparece e desaparece do espaço e do tempo de acordo com os desejos da Order. Mas agora, a Order está de volta para investigar alguns mistérios, e o facto de termos sido aprisionados num pesadelo é apenas um dos muitos espalhados pelas ilhas de Summerset.

Esta é a região natal dos High Elves, mas desde que eles abriram as suas fronteiras as coisas não estão a correr tão bem como deveriam. As autoridades estão a levantar suspeitas, existem rumores de práticas Daedric no reino, os novos imigrantes que chegam à zona estão a ser transportados para locais desconhecidos e, o pior de tudo, os High Elves não gostam das outras raças com que agora partilham as suas ruas.

The Elder Scrolls Online: SummersetThe Elder Scrolls Online: Summerset

É neste ponto que entramos no próximo capítulo de The Elder Scrolls Online, apelidado de Summerset, durante um evento de antevisão organizado pela Bethesda em Londres. Após escaparmos do pesadelo e conversarmos com o nosso novo amigo Psijic, recebemos liberdade para explorar a nova região que vai chegar a este MMO e descobrir o novo conteúdo em oferta, tudo isto a partir da perspetiva de um relativo novato.

Tal como Morrowind, este "Capítulo" (a Bethesda clarifica que é diferente de uma expansão, tanto em âmbito como em estrutura) é dedicado aos novatos e aos veteranos, por isso se ainda não compraram o jogo podem fazê-lo com facilidade, criar uma personagem e entrar em ação, tal como fizemos nesta antevisão. Não se trata de conteúdo "end-game", mas já o devem saber se exploraram Vvardenfell no ano passado.

Esta abordagem é apreciada. Aqui no GR somos grandes fãs de Elder Scrolls, mas muitos jogadores não conhecem a história e a mitologia da série - especialmente a história de Summerset, que surgiu pela última vez num videojogo em The Elder Scrolls: Arena, em 1994 - por isso receber uma introdução gentil a este novo mundo torna a experiência menos assustadora. Até uma das personagens favoritas de ESO, Razum-dar, regressa como conselheiro da rainha, embora necessite da nossa ajuda para obter informações e desvendar o que se passa.

Jogámos cerca de uma hora e durante esse tempo deixámo-nos envolver pelos eventos da ilha, tanto no que diz respeito aos seus líderes como aos cidadãos normais, e apesar de não querermos estragar nenhuma surpresa, existe muita intriga com homicídios, desaparecimentos, corrupção e o oculto, tudo isto aberto a investigação pelos jogadores. É óbvio que não avançámos muito, mas esta primeira secção acabou por captar todas as nossas atenções.

The Elder Scrolls Online: Summerset

Estruturalmente, as coisas não mudaram muito: falam com personagens que precisam de ajuda, cumprem as suas missões e pelo caminho derrotam uma série de inimigos, incluindo criaturas novas como grifos (que nos fizeram lembrar mais Harry Potter do que Elder Scrolls, para sermos sinceros). Enquanto novatos, não explorámos a fundo o combate mais avançado, optando antes por nos concentrarmos no mundo e nos seus habitantes.

Ao falarmos com pessoas no poder percebemos que existe uma grande diferença de opiniões quanto à abertura das fronteiras, com os High Elves mais orgulhosos e altivos a revelarem a sua aversão relativamente à mistura com outras raças. Como tal, todas as pessoas no poder com quem falamos tratam-nos com algum desprezo, o que significa que temos de obter a verdade com a ajuda de espionagem e subterfúgio. Numa missão, por exemplo, tivemos de utilizar umas vestes elaboradas para nos disfarçarmos e participar numa reunião secreta.

Existem muitas novidades que não tivemos oportunidade de explorar a fundo, mas podemos referi-las aqui. O novo sistema de criação de joias, por exemplo, promete apelar aos artesãos mais dedicados e acrescenta ainda novos atributos, mas também existem elementos como a linha de habilidades da Psijic Order, um novo Cloudrest Trial, o desafio de grupo Abyssal Geysers e muito mais, incluindo 30 horas de conteúdo (e mais ainda se quiserem mesmo explorar tudo a fundo).

O que vimos até agora indica que estas 30 horas poderão ser tão divertidas como o jogo de base e também como o capítulo Morrowind de 2017, que apresentou um novo mapa e imenso conteúdo novo. Aqui temos um mundo muito diferente, construído com elegância e graciosidade, repleto de High Elves altivos e as torres altaneiras de um mundo de fantasia, mas que escondem algo muito mais sombrio. Foi isso que mais nos apelou na história de Summerset, que vai chegar em versão completa em junho.

The Elder Scrolls Online: SummersetThe Elder Scrolls Online: SummersetThe Elder Scrolls Online: Summerset