Gamereactor Close White
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
antevisões
Insurgency: Sandstorm

Insurgency: Sandstorm

O que esperar da estreia de Insurgency em PS4 e Xbox One.

Facebook
TwitterReddit

O primeiro Insurgency foi lançado no PC em 2014, na altura suportado pelo motor da Valve e Half-Life 2, o Source Engine. Quase quatro anos depois, a New World Interactive está a preparar o lançamento da sequela, Insurgency: Sandstorm, e desta vez optou pelo Unreal Engine 4 da Epic Games para apresentar uma significativa melhoria gráfica. As mudanças não são apenas visuais, e com o novo motor, Insurgency apresenta mapas maiores e uma simulação balística de melhor qualidade. Igualmente importante é o facto de Sandstorm estar também a ser produzido para PlayStation 4 e Xbox One, o que irá marcar a estreia da série nas consolas.

Num evento em Paris tivemos a oportunidade de experimentar Insurgency: Sandstorm, que nos pareceu estar a meio caminho entre algo mais arcade como Battlefield, e uma simulação total como Arma. É um jogo duro, sem dúvida, mas simples o suficiente para apelar a um grande público. A jogabilidade pareceu-nos particularmente imersiva, e em parte isso deve-se à simplicidade de processos. É um jogo descomplicado em relação a outros títulos, ao ponto de não existir uma barra de saúde ou regeneração de energia - um simples bala pode facilmente ditar o vosso fim.

Vão ter acesso a um extenso arsenal para atingirem os vossos objetivos, e a maioria desses objetivos passam por capturar objetivos e dominar o mapa. A essas armas podem também acrescentar vários acessórios, como miras para as espingardas, carregadores, e outras opções que permitem personalizar a experiência de jogabilidade. Algumas classes também têm atributos especiais, que lhes permite chamar apoio aéreo ou de artilharia - e é sempre delicioso criar um pouco de caos no inimigo com um bombardeamento certeiro.

Os controlos são simples, e alguém que esteja habituado ao género não terá problemas em adaptar-se à jogabilidade de Insurgency. Durante o combate podem variar entre três opções de armamento, como uma espingarda, uma pistola, e uma faca, mas considerando o quão letal são as armas neste jogo, é pouco provável que se aproximem o suficiente para darem uso à faca. Embora não tenha um sistema de cobertura como os jogos na terceira pessoa, Insurgency permite inclinar a câmara para dispararem sem se exporem demasiado. De certa forma lembrou-nos de Rainbow Six: Siege, embora mais simples e sem cenários destrutíveis.

Insurgency: Sandstorm

Insurgency: Sandstorm é também um jogo que impõe jogabilidade cooperativa. Uma equipa que trabalhe em conjunto para cumprir os objetivos, em vez de seguir cada um para seu lado, vai ter bem mais hipóteses de sucesso. Por exemplo, no modo em que jogámos tivemos de esperar que os nossos companheiros capturassem um dos pontos do mapa para ressuscitarmos, o que acrescenta à tensão. "Vá lá rapazes, vocês conseguem. Boa!" foi o tipo de pensamentos que percorreram a nossa mente enquanto esperávamos. Estar na situação inversa também acrescenta tensão, pois sabemos que os nossos colegas dependem de nós para voltarem ao jogo.

A atmosfera de Insurgency é pesada e tensa, e em parte isso deve-se aos melhoramentos do departamento sonoro, comparando com o jogo original. A equipa fez um excelente trabalho em termos de recriar sons de balas, que reagem com grande impacto na forma como embatem em vários tipos de objetos e jogadores. Estar debaixo de fogo atrás de uma cobertura é realmente tenso, e era precisamente esse o objetivo da equipa de produção. A interface minimalista é outro factor que contribuiu para a imersão da jobabilidade, e algo que certamente ajudou a transitar o jogo do PC para as consolas.

Se estão habituados a outros jogos do género, podem sentir falta de algumas funções. Aqui não existe nenhuma Killcam, o que significa que por vezes vão perder e não vão saber como ou porquê. No que respeita ao grafismo, Insurgency é muito competente, mas não é nada de espetacular. Não esperem algo muito melhor que Counter-Strike: Global Offensive, por exemplo. Ainda assim, gostámos dos efeitos das explosões e das animações convincentes das personagens.

Quando anunciou Insurgency: Sandstorm, a equipa chegou a referir um modo campanha, mas entretanto mudou de ideias. Para o lançamento já confirmaram que não vai incluir qualquer opção a solo, e mesmo para o futuro, admitem que será difícil cumprir com esse elemento do jogo. Por outras palavras, Insurgency é exclusivamente dedicado à jogabilidade online. Por último convém reforçar que Insurgency é um jogo focado em modos por objetivos, o que significa que algo como Team Deathmatch, onde o o propósito é simplesmente eliminar jogadores adversários, não está em Insurgency.

Insurgency foi muito bem recebido no PC, e agora com esta sequela - e correspondente transição para consolas, a New World Interactive espera conseguir atrair o interesse dos jogadores de PS4 e Xbox One. O jogo será lançado nos próximos meses, em data ainda a definir, e se conseguirem entregar uma experiência polida e sem problemas de servidores nestas duas plataformas, não vimos motivos para que não alcancem o seu objetivo.

Insurgency: SandstormInsurgency: SandstormInsurgency: Sandstorm
Insurgency: SandstormInsurgency: Sandstorm