Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor Portugal
análises
Hearthstone: Heroes of Warcraft

Hearthstone: Rastakhan's Rumble

Abriu a época dos caçadores.

A meados de dezembro foi lançada uma nova expansão de Hearthstone, Rastakhan's Rumble, e o entusiasmo foi naturalmente grande entre os jogadores do jogo de cartas da Blizzard, mas agora que o pó assentou, em que estado está afinal Hearthstone? Bem, algo desequilibrado.

Algumas classes, como Druida, Xamã, e Guerreiro, não têm baralhos muito competitivos de momento, sobretudo ligados às novas cartas. Já outras classes, como o Paladino, o Bruxo, e o Caçador, tornaram-se viáveis com uma série de novos baralhos poderosos. O Caçador em particular recebeu uma série de cartas impressionantes, o que causou um aumento de popularidade tremendo na classe. De momento, pelo menos 3 em 5 partidas de Hearthstone são contra caçadores, o que diz bem do desequilíbrio trazido pela expansão.

Existe, contudo, potencial para mais e melhor, porque a expansão tem algumas boas ideias e uma série de cartas impressionantes, que podem tornar Rastakhan's Rumble mais relevante caso a Blizzard ajuste alguns baralhos demasiado populares.

A nova palavra de ordem introduzida pela expansão é Massacre (Overkill). Massacre é uma mecânica que está presente em lacaios e feitiços, e que causa um efeito extra caso o dano causado seja maior que o necessário para matar um lacaio. A carta Flecha com Isca (Baited Arrow) do Caçador, por exemplo, causa 3 de dano, e se fizer massacre, invoca também um lacaio 5/5. Exemplo prático: se lançarem Flecha com Isca num lacaio com 3 ou mais de vida, a carta simplesmente causa o dano, porque não fez massacre. Contudo, se lançarem a carta num inimigo com 2 ou 1 de vida, além de o matar, Flecha com Isca vai também invocar um lacaio 5/5 para o Caçador, já que causou um massacre.

Existem algumas cartas interessantes com massacre, mas são sobretudo usadas de forma separada. Não existem muitas táticas, e ainda menos baralhos, construídos em torno de massacre, o que coloca esta mecânica abaixo de outras como Magnético ou Rapidez, das expansões anteriores.

Outra novidade de Rastakhan's Rumble são os Espíritos. Existe um espírito por classe, lacaios furtivos que, por si só, não fazem nada de extraordinário, mas que podem reforçar outras táticas ou lacaios. Por exemplo, o Espírito do Rinoceronte (Spirit of the Rhino) do Guerreiro garante imunidade a todos os lacaios com Rapidez quando entram em jogo, enquanto que o Espírito do Morcego (Spirit of the Bat) do Bruxo concede +1/+1 a um lacaio aleatório na mão do Bruxo quando um dos seus lacaios no tabuleiro morre.

Tal como acontece com Massacre, os Espíritos são cartas interessantes por si só, mas não estão a ser tão populares quanto esperado. Os efeitos dos espíritos podem garantir alguma vantagem momentânea num ou dois turnos, mas não o suficiente para sustentarem um baralho, o que os torna em cartas razoáveis, mas longe de essenciais.

É também preciso referir os novos "animais" que cada classe recebeu, lacaios lendários com efeitos especiais. O mais popular será Shirvallah, a Tigresa (Shirvallah, the Tiger), do Paladino, um lacaio 7/5 com escudo divino, rapidez, e roubar vida, que custa 25 de mana, mas que custa 1 de mana a menos por cada mana gasto em feitiços. Outro animal popular é Jan'alai, o Falcodrago (Jan'alai, the Dragonhawk), do mago, um lacaio 4/4 que custa 7 de mana, e que invoca Ragnaros, o Senhor do Fogo (Ragnaros, the Firelord), se o mago causou 8 ou mais de dano com o seu poder heróico durante a partida.

Mais uma vez, existem alguns "animais" populares, mas de classes específicas. Os animais de Bruxo, Ladino, e Xamã, por exemplo, raramente aparecem no jogo, e são poucos os baralhos construídos em torno destas cartas. A expansão trouxe também outros lacaios lendários que pouca ou nenhuma utilidade têm tido, como Hakkar, o Esfola-Almas (Hakkar, the Soulflayer) ou Trambik (Griftah), cartas que não vimos serem usadas uma única vez. Mestremojo Zihi (Mojomaster Zihi) e Oondasta são lendários neutros que acrescentam algo ao jogo, mas não com o impacto de outros lendários de expansões anteriores.

Por último há que falar no novo conteúdo singleplayer, O Ringue de Rastakhan. Como nas expansões anteriores, o jogador vai enfrentar bosses com mecânicas alteradas, e baralhos específicos, numa sucessão de combates de dificuldade crescente. Quando perderem, têm de começar tudo de novo. É uma boa distração para quem gosta de jogar a solo, mas sem recompensas reais, o ringue não é mais do que isso - uma distração.

De momento, Hearthstone: Rastakhan's Rumble é uma expansão com boas ideais e cartas interessantes, mas que por motivos de desequilíbrio, só é realmente essencial para algumas classes e alguns tipos de baralhos muito específicos. A Blizzard precisa de melhorar a sinergia de algumas cartas, e de resolver a popularidade exagerada dos Caçadores, se quiser que Rastakhan's Rumble tenha o peso de outras expansões.

Hearthstone: Heroes of Warcraft
07 Gamereactor Portugal
7 / 10
+
Algumas táticas antigas foram revisitadas. Alguns baralhos extremamente fortes. Conceitos interessantes por trás das novas mecânicas.
-
Alguns baralhos, como os Dragões do Guerreiro, são um fracasso. Problemas de equilíbrio. Afluência exagerada de caçadores.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor