Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor Portugal
análises
Yo-kai Watch 3

Yo-kai Watch 3

Dois tornaram-se um com o terceiro jogo de Yo-kai Watch.

  • Texto: Marcos Catalán
Yo-kai Watch 3

Criado como uma resposta a Pokémon, sobretudo na área dos videojogos, Yo-kai Watch acabou por conquistar o seu público, não só no Japão, mas também além-fronteiras. O problema, contudo, é que os jogos saem com dois anos de atraso na Europa, o que significa que este Yo-kai Watch 3 acaba por surgir na Nintendo 3DS durante uma fase em que a consola está claramente em declínio, com todas as atenções viradas para a Nintendo Switch.

Ainda assim, se são fãs de Yo-kai Watch e ainda têm a Nintendo 3DS, este terceiro capítulo apresenta pontos de interesse suficientes para merecer a vossa atenção. O facto de ser também um jogo bastante fácil e acessível, torna-o igualmente apto para novatos que queiram experimentar este RPG inspirado por Pokémon, embora esse mesmo factor possa ser um defeito para quem estava à espera de um desafio mais sério.

À semelhança do que acontece com os jogos Pokémon, também Yo-kai Watch costuma ser lançado em edição dupla (como Pokémon Sun e Pokémon Moon, por exemplo), e assim foi com Yo-kai Watch 3 no Japão. Para este lançamento na Europa, contudo, a Level 5 juntou os dois jogos num só pacote, misturando assim Tempura e Sushi, os nomes das duas edições no Japão. O resultado surpreendeu-nos, com uma história que alterna entre protagonistas e localizações de forma bastante suave.

Pela primeira vez na série, os jogadores vão deixar Springdale (a cidade de Nathan) para trás. Nathan, a sua família, Jibanyan, e Whisper, mudaram-se para a cidade fictícia de Peanutsburg, nos EUA. Aqui, contudo, vai encontrar novos yo-kais (monstros inspirados no folclore japonês) que estão a criar todo o tipo de sarilhos. Ao todo podem encontrar e colecionar mais de 600 destas criaturas, embora aqui o processo envolva criar um laço de amizade, e não a mera captura. Mas nem tudo se resume aos yo-kai, já que uma nova cidade implica também uma nova escola e novos colegas.

Yo-kai Watch 3 marca uma série de mudanças na série. Além do novo contexto a nível de cidade, escola, e colegas, vão também encontrar um novo sistema de combate. As batalhas agora passam-se numa grelha de três contra três, e à medida que navegam a grelha, os yo-kai podem recolher itens de energia e saúde. Os ataques continuam a ser automáticos, mas podem intervir para ativar um poderoso ataque especial. Para isso, contudo, têm de realizar um de vários mini-jogos, e nem todos são garantia de vitória.

No outro lado do globo, em Springdale, vão encontrar a outra personagem jogável, Hailey Anne Thomas, que é a substituta de Katie dos jogos anteriores. Isto significa que já não podem escolher o sexo da personagem, e em vez disso jogam com uma masculina e outra feminina, cujas histórias acabam por se cruzar. Cada personagem tem no entanto a sua própria equipa de yo-kais, o que pode ser algo maçudo de gerir.

Enquanto a história de Nathan segue um percurso mais tradicional, virado para os yo-kais e para várias tarefas medianas, a narrativa em torno de Hailey acaba por ser bem mais original e interessante. Hailey é uma personagem muito animada e descontraída, que terá de lidar com alguns elementos... curiosos, incluindo extra-terrestres.

Quanto a Nathan, pode explorar Peanutsburg a pé ou de bicicleta, e tal como Springdale, esconde vários segredos e pormenores. Infelizmente, não o suficiente para tornar a exploração numa atividade verdadeiramente recompensadora. Podem encontrar yo-kais em vários locais, escondidos debaixo de carros ou nas bocas de incêndio, por exemplo, mas também vão encontrar portais místicos com desafios e zonas de pesadelo de onde terão de escapar (envolve descobrir uma chave sem serem descobertos). É um jogo com muita variedade, mas é também direcionado a jogadores mais jovens, pelo que a dificuldade é bastante reduzida.

Uma grande novidade são as expedições, que já tinham aparecido em Yo-kai Watch: Blasters. É um modo que permite explorar masmorras com um estilo visual diferente do resto do jogo, e onde controlam os yo-kai diretamente com combate em tempo real. Yo-kai Watch 3 está recheado de conteúdo, e vem também perfeitamente adaptado às características da Nintendo 3DS, apresentando excelente capacidade visual considerando as limitações de hardware da portátil. As cidades estão cheias de detalhe, os yo-kai são inspirado, e tudo tem um aspeto descontraído e divertido.

Quanto à banda sonora, está em linha com o que já tinha sido feito no passado, talvez em demasia, já que re-usa músicas e efeitos sonoros. Ou seja, o departamento sonoro não é necessariamente mau, mas ao terceiro jogo, já começa a cansar ouvir sempre os mesmos sons e músicas. Uma palavra ainda para a qualidade da tradução, tanto a nível de diálogos, como dos nomes dos próprios yo-kais. Por vezes a tradução dos jogos japoneses para inglês é sofrível, mas não é o caso com Yo-kai: Watch 3.

Em resumo, vão encontrar aqui a melhor das três aventuras de Nathan. É a maior, a mais diversa, e a que inclui o sistema de combate mais refinado. A nível técnico e sonoro, não apresenta uma grande evolução em relação aos dois jogos anteriores, mas os dois campos cumprem a sua função - ainda que a banda sonora já seja repetitiva, como referimos. O facto de incluir uma segunda personagem adorável, com uma história tão distinta, é outro grande ponto a favor de Yo-kai Watch 3, e se são fãs da saga, vão encontrar aqui muitas razões para passarem várias horas com a Nintendo 3DS.

Yo-kai Watch 3Yo-kai Watch 3
Yo-kai Watch 3Yo-kai Watch 3Yo-kai Watch 3
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Dois jogos num só. Excelente ponto de entrada para novatos.
-
Excessivamente fácil e linear. Demasiados itens obsoletos. História demoram demasiado tempo a fundirem-se.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor