Gamereactor Close White
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
Bendy and the Ink Machine

Bendy and the Ink Machine

Os bonecos mais assustadores de sempre?

  • Texto: Sam Bishop
Facebook
TwitterReddit

Parece que o estilo dos antigos desenhos animados virou moda nos videojogos, já que depois de Cuphead (e antes disso, Epic Mickey), chegou a vez deste Bendy and the Ink Machine recorrer a esse estilo. O jogo foi originalmente lançado episodicamente, com o primeiro capítulo libertado em fevereiro passado, mas só agora surgiu a edição completa com todos os episódios. Quanto à jogabilidade, funciona na primeira pessoa.

Tudo começa quando entram nos estúdios de Joey Drew Studios, quando um antigo colega de Drew o convida a aparecer para ver algo especial. A questão é que, ao entrarem, tudo está estranho, e não está lá ninguém... ou pelo menos é isso que parece. O título do jogo refere-se à personagem que deu fama ao estúdio, o 'seu Mickey', se quiserem. É por isso que vão encontrar desenhos, cartões, e materiais, relacionados com Bendy. Ao início, apenas o ambiente é um pouco inquietante, mas a sensação de medo surge verdadeiramente quando os desenhos começam a andar.

Durante o primeiro capítulo, os sustos são espaçados, mas eficazes, enquanto procuram resolver puzzles que vos permitam continuar a avançar pelo estúdio. Depois disso, as regras mudam um pouco, com a introdução de armas para o jogador usar. Isto acelera o ritmo de jogo, e permite que entrem em contacto direto com os inimigos. Mas não se habituem muito, porque o jogo tira tão rápido quanto dá estas armas, impedindo que Bendy and the Ink Machine se transforme num verdadeiro jogo de combate.

Os monstros que vão enfrentar são variados, mas há um em particular que vai aparecendo ao longo do jogo que não pode ser morto. Aí terão de procurar esconderijo, um pouco a lembrar jogos como Outlast e Alien: Isolation. Os inimigos mais comuns morrem rapidamente, e não representam nenhum tipo de obstáculo frustrante, excepto quando por vezes parecem difíceis de acertar. Isso não significa que não sejam assustadores, sobretudo pela forma repentina com que costumam aparecer.

Ao empurrar o jogador para um papel mais ativo, com armas, o jogo acaba por sacrificar alguns sustos por ação, mas nunca perde a sua atmosfera tensa. Na verdade, a situação vai tornando-se cada vez mais perturbadora à medida que avançam pelo estúdio. Não é, contudo, um jogo sempre de tensão alta, porque o estúdio sabe bem que, para a tensão e os sustos resultarem, é preciso existir momentos que permitam relaxar, seja na forma de puzzles ou de exploração.

Bendy and the Ink MachineBendy and the Ink Machine
Bendy and the Ink MachineBendy and the Ink Machine

Por manter sempre um ritmo elevado, sem prender o jogador durante muito tempo no mesmo sítio, acaba por terminar relativamente rápido. Demorámos perto de três horas e meia para acabar o jogo, o que é um pouco curto para um jogo de € 24.99. Bendy and the Ink Machine é definitivamente para quem procurar qualidade em vez de quantidade, sobretudo se são fãs de jogos de terror.

O estilo do jogo acaba por contribuir imenso para o horror, já que existe algo sobre estes desenhos antigos que é ligeiramente perturbador, O estúdio sabe disso, e amplificou esse fator para assustar ainda mais os jogadores. Os temas de algumas imagens também acabam por aumentar alguma sensação de inquietação, como minorias mal tratadas. Nada no estúdio, da decoração às pinturas, parece seguro ou engraçado, e existem alguns segredos para descobrirem, mas que não vamos partilhar aqui.

Embora o estilo de arte lembre outros jogos, outro título que parece ter sido uma inspiração é Bioshock. Não só o jogo tem um estilo vintage, como Bioshock, como também utiliza o cenário de forma eficaz para contar a história. Se quiserem aprofundar o conhecimento deste mundo e personagens, também podem recorrer a ficheiros de áudio, contribuindo para ficarem a conhecer melhor os terríveis acontecimentos que se passaram neste estúdio. Outra semelhança é o facto do protagonista, Henry, nos lembrar de Jack, de Bioshock. Ambos são personagens sem face, que são puxados por outras personagens ou eventos para seguirem em frente.

Embora tenha muitos méritos, Bendy and the Ink Machine tem também os seus defeitos. Como já referimos, é curto, sobretudo para um jogo com este preço, e encontrámos alguns problemas técnicos - os loadings são demorados e a fluidez quebra com alguma frequência, pelo menos na consola que jogámos, a Xbox One regular.

Isto não é suficiente para retirar brilho ao que o jogo faz bem. Não só é um dos jogos de terror mais originas dos últimos anos, como consegue aplicar as suas ideias com excelente eficácia. Talvez precisasse de mais algum tempo no 'forno', para que alguns dos seus elementos técnicos fossem polidos, mas isso não é suficiente para o deixarmos de recomendar a quem aprecia um bom jogo de terror.

Bendy and the Ink MachineBendy and the Ink MachineBendy and the Ink Machine
Bendy and the Ink MachineBendy and the Ink MachineBendy and the Ink Machine
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Excelente ritmo e atmosfera. Puzzles variados. Conceito criativo. Estilo de arte único.
-
Quebras de fluidez. Loadings longos. É difícil acertar em alguns inimigos.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor