Gamereactor follow Gamereactor / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands / 中國 / Indonesia / Polski
Gamereactor Close White
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
Sea of Thieves

Sea of Thieves

Não vai morrer na praia, mas também não é o jogo que esperávamos.

  • Texto: Kieran Harris
Facebook
TwitterRedditGoogle-Plus

Depois de muita antecipação, Sea of Thieves está finalmente disponível para Windows 10 e Xbox One, permitindo que os jogadores embarquem numa aventura pelos altos mares. Com grande foco em exploração e jogabilidade cooperativa num universo partilhado online, Sea of Thieves era visto como um dos exclusivos mais promissores da Microsoft para 2018, mas terá sido capaz de cumprir com o esperado? O potencial está lá, mas de momento a resposta é: não.

Os jogadores vão selecionar o seu pirata de um grupo de personagens muito limitado, para depois poderem começar a sua aventura. Conversando com algumas das personagens na ilha inicial podem arrecadar missões para as três fações do jogo: Gold Hoarders, Merchant Alliance, e Order of Souls. Essas missões envolvem procurar tesouros, capturar porcos e galinhas, e destruir uma série de esqueletos de piratas mortos. Se estiverem a jogar acompanhados, o grupo irá votar na missão a seguir, para depois continuarem a aventura.

Jogar sozinho é uma opção, e Sea of Thieves permite-o, mas além de não ser muito divertido, é bastante perigoso. Sea of Thieves deve ser desfrutado com outros jogadores, e o jogo até tem alguma flexibilidade em como o podem conseguir. Podem escolher vários tipos de embarcações, por exemplo, para um jogador, dois, ou quatro. Cada barco tem forças diferentes, mas também exigências. Um barco grande é bem mais forte que as outras embarcações, mas exige que cada jogador cumpra as suas funções. Içar velas, tomar conta dos canhões, guiar o leme, e assim por diante. Mesmo em combate terrestre contra a inteligência artificial pode ser complicado, já que os esqueletos podem facilmente ganhar vantagem em relação ao jogador solitário. Idealmente vão jogar com amigos, mas se isso não for possível podem usar o emparelhamento, e mesmo que não tenham microfone, podem usar uma série de mensagens rápidas. Não é a situação ideal, mas mesmo assim terão mais hipóteses de sucesso do que a jogar sozinho.

Enquanto cumprem as vossas missões podem ganhar uma série de moedas de ouro, que podem depois gastar em vários itens cosméticos para a personagem e a embarcação. Itens como palas para os olhos e lanternas "iluminadas pelas almas dos mortos". À medida que cumprem os objetivos de cada fação, a vossa reputação aumenta, e isso dá-vos acesso a missões mais avançadas. Como não existe qualquer tipo de evolução da personagem ou do equipamento, as recompensas resumem-se sobretudo a itens cosméticos, o que é francamente escasso. Esta ausência de um sistema de progressão é uma grande desilusão, embora o seu propósito seja claro - manter uma experiência equilibrada para todos os jogadores a todos os momentos.

Ainda assim, sem um sistema de progressão é difícil manter o incentivo para continuar a jogar, uma situação que é ainda mais problemática devido à repetição do jogo. São quase sempre variações do mesmo tipo de missão, variando apenas no número de adivinhas e objetivos que têm de cumprir. Por isso mesmo é fácil ficar com a sensação de que já viram tudo o que jogo tem realmente para oferecer em poucas horas de jogo. A exploração é o grande pilar da experiência de Sea of Thieves, mas a menos que estejam a jogar com um grupo de amigos divertido e empenhado, será difícil manter o interesse.

Sea of Thieves não tem uma estória real para explorar, optando entregar aos jogadores as ferramentas para criarem as suas próprias estórias pessoais, seja na exploração do mapa, ou nas interações com outros jogadores. Quando vêm um barco de outro jogador podem tentar atacar, fugir, ou tentar passarem despercebidos apagando as lanternas durante a noite. Ao eliminarem outros jogadores podem recolher as suas riquezas, mas o contrário também é verdade, o que cria uma grande tensão em termos de combates entre jogadores. É uma mecânica interessante, mas gostámos que houvesse mais intereções entre navios, e mais mecânicas baseadas na invasão de embarcações inimigas.

A exploração é o pilar da experiência de Sea of Thieves. Quando vêm um grupo de gaivotas a rodear o mesmo local, isso significa que está ali um navio afundado, por exemplo. Outro pormenor interessante é o Kraken, cujo aparição foi um dos momentos altos da nossa experiência, mas existem sinais que podem detetar para tentar evitar confrontos. Ao explorarem ilhas podem encontrar tesouros, especiarias, e mapas enfiados dentro de garrafas. Tudo isto são ferramentas criadas para que os jogadores possam eles abraçar a sua aventura, sem rumos muito específicos, e sem uma narrativa linear para seguirem.

Enquanto navegam os altos mares também podem encontrar alguns eventos mundiais criados pela Rare, que são indicados por nuvens em forma de caveiras. Ao encontrarem uma ilha amaldiçoada terão de enfrentar várias ondas de esqueletos inimigos, mas também é muito provável que encontrem outros jogadores, já que estes eventos tendem a atrair atenções. Cabe aos presentes decidirem se vão colaborar ou combater. Estes eventos são interessantes, e esperamos que a Rare possa introduzi-los com maior frequência e variedade.

Sea of Thieves é também um jogo lindíssimo, não apenas ao nível do estilo cartoonesco das personagens, mas também em termos de iluminação e animações marítimas. O mar é lindo, e as ondas estão entre as mais realistas que já vimos. É um jogo cheio de charme, com muitos momentos para os jogadores admirarem, e tem um grau de imersão como poucos jogos. Só por isso, já vale a pena experimentar Sea of Thieves. A única queixa em termos visuais é a mesma que para o resto do jogo - não existe variedade suficiente, com muita reciclagem de ilhas e localizações. Em termos sonoros, Sea of Thieves é também um grande triunfo, com excelentes efeitos de som, desde o bater das ondas ao ranger do navio.

A Rare promete que Sea of Thieves está na sua forma 'base', implicando que irá aumentar expandir e evoluir essa base com atualizações gratuitas. Infelizmente, não sabemos muito bem o que isso é, e aparentemente existe algum conteúdo para os piratas mais evoluídos com estatuto lendário, algo que ainda não alcançamos, mas para já, parece-nos escasso. Como está, nesta sua forma base, sabe a pouco em termos de objetivos, variedade, e motivação para continuar a jogar. Temos confiança de que a Rare irá melhorar a situação, mas não podemos analisar o que ainda não existe.

Sea of Thieves tem um longo caminho pela frente até chegar a um ponto em que seja facilmente recomendável, mas nesta fase já consegue proporcionar uma experiência cooperativa como poucos. De certa forma lembra-nos de No Man's Sky, no sentido em que é um jogo ainda longe do potencial que se lhe reconhece. Esperemos que, como No Man's Sky, Sea of Thieves possa evoluir de forma significativa ao longo dos próximos meses. A Microsoft e a Rare têm algo especial em mãos, mas não seria de todo desaconselhável esperar algum tempo para ver como o jogo irá evoluir.

Sea of ThievesSea of Thieves
Sea of ThievesSea of ThievesSea of Thieves
07 Gamereactor Portugal
7 / 10
+
Visualmente é uma delícia. Grande foco em exploração e jogabilidade cooperativa. Muita liberdade de jogo.
-
Falta variedade em praticamente tudo. É escasso para um jogo a preço completo. Estória e contexto em doses reduzidas. Lançamento problemático.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor