Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands /
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
Football Manager 2018

Football Manager 2018

Um jogo de duas partes distintas...

  • Texto: Beng Lemne

São três da manhã e o cenário é por demais familiar. Estamos a jogar um novo Football Manager, e quem sofre são as horas de sono. Jogar FM continua a ser um vício tremendo, mas este ano tivemos o acréscimo de assistir às reações dos jogadores às novidades da nova edição. É uma série de longa data, com fãs apaixonados, mas as alterações de FM 2018 (ou falta delas) geraram uma divisão na comunidade, pelo menos se as análises e comentários dos jogadores em várias plataformas online servem de exemplo

Em parte, é evidente que existe aqui qualidade, que Football Manager continua a ser um excelente jogo de gestão de futebol, mas também existe uma sensação cada vez maior de que é preciso fazer mais, que Football Manager já precisa de uma revolução. Existem aqui mudanças, algumas significativas, mas concordamos com os jogadores que apontam a uma estagnação, à necessidade de se criar algo diferente e melhor nos próximos anos. Para já, contudo, este é o jogo que temos, e se querem mais Football Manager, vão encontrar o que procuram.

À semelhança do que fizemos no ano passado, escolhemos fazer a primeira época com um bom clube, mas um que não fosse de topo, neste caso, o West Ham United de Inglaterra. Estudámos o plantel, e percebemos que existia bom potencial que podia ser melhorado com alguns retoques. O primeiro ano não foi muito positivo, mas depois de algumas contratações nas janelas de transferências, conseguimos uma prestação superior na segunda temporada. Estávamos agarrados, como aconteceu sempre nos anos anteriores.

Com Football Manager 2018 vão também receber uma cópia de Football Manager Touch, uma versão mais casual do jogo para PC e tablets. O que não está incluído no jogo, e é antes um conteúdo que terão de comprar à parte, é o editor de dados, que custa € 4.49. Não é muito, e nem todos os jogadores vão sentir a sua falta, mas é uma pena que tenha sido excluído. Quanto a modos, existe a carreira offline, o modo online, e o como de criação de clube.

Quando às novidades, comecemos pelo sistema de olheiros. Supostamente é um sistema mais realista, mas não estamos assim tão seguros. A não ser que tenham dos melhores do mundo, o sistema não funciona assim tão bem quanto isso, sobretudo para a atualidade. Honestamente, hoje em dia chega a ser mais vantajoso pesquisar online (e nem estamos a falar de guias) do que usar olheiros no próprio jogo. Outras áreas foram alvo de poucas alterações, como a interação com a imprensa, que mudou pouco durante os últimos anos, e que ainda se torna aborrecida depois de algum tempo. Para dizer a verdade, só continuamos a interagir com esta parte do jogo porque temos receio que o nosso assistente diga algo que possa afetar a moral da equipa. Podemos dizer o mesmo do sistema de treinos, uma área do jogo que exige micro-gestão, mas que pode ser aborrecida. Dito isto, ainda é um sistema útil para aperfeiçoarem um jogador, ou tentarem moldá-lo a uma posição onde possa render melhor.

Football Manager é um jogo que prima pelo realismo, mas não podemos deixar de relatar um evento que nos tirou por completo da experiência. Em março de 2018, José Mourinho decidiu colocar Zlatan Ibrahimovic à venda, com apenas três meses por cumprir no contrato. Um dos jornalistas pediu-nos para comentar a situação, ao qual respondemos que teríamos interesse em contar com o serviço do avançado sueco. Jose Mourinho decidiu então responder, afirmando que seria preciso uma fortuna para lhe 'roubarmos' Zlatan. Como devem calcular, existem vários fatores errados neste evento. Mourinho nunca faria isto a Zlatan, com apenas três meses no contrato podíamos simplesmente fazer uma oferta ao jogador e esperar pela janela de transferência, e o pedido para a transferência era menos de 1 milhão de libras. Felizmente não acontecem muitas situações deste género, mas quando acontecem, quebram rapidamente a ilusão.

O motor gráfico 3D das partidas foi melhorado, mas continua a não ser particularmente bonito, e pior que isso, continuam a ocorrer momentos de alguma estranheza durante os jogos, como jogadores que param depois de perderem a bola, ou remates diretos à baliza assim logo após o pontapé de saída. Também aqui há ainda muito por onde Football Manager 2018 pode melhorar.

Apesar destes defeitos e queixas, Football Manager 2018 continua a ser impressionante em termos de base de dados. É expansiva e altamente detalhada, e talvez seja este o principal motivo para a Sports Interactive resistir a mudanças mais profundas. Isso implicaria provavelmente ter de mexer na forma como o jogo interpreta os dados dos jogadores, o que poderia ser arriscado. Seja como for, esta base de dados é fenomenal, e continua a alimentar um jogo de gestão que é extremamente realista e viciante durante a maior parte da experiência.

Existem outros eventos a assinalar. Por exemplo, quando o jogo começou, o Qatar perdeu o seu direito a anfitrião do Mundial de 2022, algo que pode ou não acontecer na vida real. À semelhança do Brexit, é algo que o jogo aborda em termos de potencial, do que pode vir a acontecer, sem saber se será assim mesmo ou não. Outra ocorrência foi o facto de um jogador se ter assumido publicamente como homossexual, algo que pode ter várias implicações no balneário, e na forma como o clube gere a situação, mas que só acontece com jogadores fictícios, ou seja, é algo que só começa a aparecer com o decorrer das temporadas. Outra área que foi alterada diz respeito às lesões dos jogadores. É algo que agora pode ser gerido com melhor eficácia e pormenor, menos entregue à chance, e com trabalho, podem conseguir evitar lesões de jogadores que têm esse historial.

Depois de mais de 50 horas de jogo, estamos confiantes de que podemos analisar e classificar Football Manager 2018. Apesar de alguns problemas (incluindo quebras para o ambiente de trabalho), adorámos jogar FM completamente imersos no jogo, ou a fazer multi-tasking com outras tarefas em modo janela. Continua a ser altamente recomendável para amantes do género, e um simulador de grande detalhe e capacidade. Pena que esteja, cada vez mais, algo estagnado no tempo. É um bom jogo, mas começa a ser preciso mais para ser especial.

Football Manager 2018Football Manager 2018
Football Manager 2018Football Manager 2018Football Manager 2018
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Continua viciante. Melhoramentos relacionados com a condição física dos jogadores. Base de dados estupenda. Motor gráfico melhorado, Dinâmicas são uma boa introdução.
-
Não tem tantos melhoramentos quanto gostaríamos. Interações com a imprensa são aborrecidas. Alguns problemas técnicos.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor