Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands /
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
Pokémon Ultra Sun/Ultra Moon

Pokémon Ultra Sun/Ultra Moon

Vale a pena regressar a este clássico do saga Pokémon?

  • Texto: Kieran Harris

Quando analisámos Pokémon Sun/Moon há um ano, referimos como esse jogo reacendeu o nosso amor pela série. Gostámos do cenário inspirado no Havai, e de algumas novidades inovadoras, como as formas Alola dos pokémons e os desafios das ilhas. Um ano depois, chegam as versões melhoradas de Sun e Moon, que são a despedida de Pokémon da Nintendo 3DS depois de uma parceria de grande sucesso. Podemos sem rodeios dizer que sim, estas duas versões são superiores, e que devem ser a escolha para quem não jogou os originais de há um ano, mas existem pontos de interesse para quem já os jogou?

Se procuram uma experiência completamente nova, vão ficar desiludidos. Estas versões seguem a base definida pelos originais, e vão enfrentar o mesmo tipo de desafios, os memos treinadores, e o mesmo tipo de diálogo. Ou seja, em grande parte, é uma experiência muito semelhante, mas a GameFreak conseguiu acrescentar alguma variação muito bem vinda. Existem várias mexidas que mudam confrontos, e existem novos golpes Z para experimentarem, além de um número superior de pokémons que está a rondar os 400.

Um dos maiores destaques dos trailers tem sido a estória, e como foi melhorada desde a versão original com uma ameaça maior e o regresso de algumas caras conhecidas. O pokémon Necrozma é o grande vilão desta vez, ameaçando mergulhar o mundo nas trevas e a vida de Lunula e Solgaleo. Outros vilões conhecidos também fazem aparições, liderados por Giovani num grupo conhecido como Rainbow Rocket. Sem entrarmos em pormenores, podemos confirmar que a estória foi de facto melhorada, e o jogo conseguiu agarrar a nossa atenção de forma mais eficaz do que tinha acontecido há um ano. Também apreciámos novas referências, que nos mergulharam numa autêntica viagem de nostalgia.

Ultra Sun e Ultra Moon incluem pokémons da Geração 1, novas criaturas, e até formas Alola, mas também Ultra Beasts. Entre este último grupo está o adorável UB Adhesive, o engraçado UB Burst, e UB Assembly, que parece formado por um conjunto de tijolos. A nova forma Rockruff parece um misto entre as formas Midnight e Midday, mas só estarão disponíveis durante a janela de lançamento. Gostámos das novas formas Alola que estão no jogo, mas gostávamos que existissem mais.

Ao longo do mapa vão encontrar novos autocolantes, que podem trocar por um novo pokémon. Podem descobrir autocolantes em locais tão dispáres como frigorífico de uma personagem, ou no meio de uma fonte de água, por exemplo. É um novo incentivo para explorarem melhor o cenário, e alguns até vão exigir que regressem a locais já visitados depois de apanharem os itens necessários. Um pormenor interessante é a nova Pokémon Battle Agency, que permite alugar pokémons. É uma boa forma de experimentarem criaturas em combate que ainda não apanharam.

Outras novidades incluem o Pokémon Photoclub e um novo mini-jogo de surf às costas de uma Mantine. O modo de fotografia permite tirar uma foto com os pokémons, que podem editar com autocolantes e depois partilhar. É uma distração engraçada, ainda que tenha perdido o nosso interesse depois de algum tempo. Quanto ao mini-jogo de surf, é bastante básico, e embora seja divertido durante alguns minutos, perdemos o interesse rapidamente.

Uma das novidades que mais gostámos é a possibilidade de colecionar todos os pokémons lendários (se tiverem as duas versões do jogo). Podem encontrar estes pokémons em buracos temporais, que são personalizados de acordo com o pokémon que os habitam.

O Rotomdex, que assiste o jogador durante a aventura, também foi renovado com novidades. Uma das novas funções permite desbloquear itens que ajudam o jogador de forma temporária, aumentando as estatísticas dos pokémons ou a frequência com que ganha experiência. O Rotomdex também coloca algumas questões ao jogador durante a aventura, e o seu comportamento varia conforme as respostas, o que é engraçado. A única queixa é que por vezes enche o ecrã com demasiada informação, atrapalhando o mapa.

Um dos motivos para a GameFreak terminar aqui a sua jornada pela 3DS é o facto de ter explorado ao máximo as capacidades da portátil, e é essa a sensação que o jogo transmite. Estas versões têm melhores efeitos, texturas, sombras, e detalhes que as versões originais, que já tinham um excelente aspeto na 3DS. O jogo em geral está mais polido, e é mais fluido em termos de resposta dos controlos.

Ultra Sun/Moon é um melhoramento em termos de mecânicas, design, e até técnicos. A narrativa foi de facto melhorada, e a experiência de jogo geral é bastante superior. Se nunca jogaram os originais, é obrigatório, e embora não seja essencial se os jogaram, é provável que apreciem as novidades. Se estes são mesmo os últimos jogos de Pokémon na Nintendo 3DS, então foi uma merecida despedida em grande.

Pokémon Ultra Sun/Ultra MoonPokémon Ultra Sun/Ultra MoonPokémon Ultra Sun/Ultra Moon
Pokémon Ultra Sun/Ultra MoonPokémon Ultra Sun/Ultra MoonPokémon Ultra Sun/Ultra MoonPokémon Ultra Sun/Ultra Moon
09 Gamereactor Portugal
9 / 10
+
A estória é bem mais interessante nesta versão. Muitos piscares de olho aos fãs antigos, O jogo puxa a 3DS ao seu limite.
-
Algumas funções estão no jogo para encher. Queríamos mais formas Alola.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor