Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
The Elder Scrolls Online: Morrowind

The Elder Scrolls Online: Morrowind

Quem regressar a Elder Scrolls Online vai encontrar aqui muito para fazer, mas será este um bom ponto de partida para novos jogadores?

  • Texto: Kieran Harris

Considerado uns dos grandes marcos do género, o terceiro Elder Scrolls trouxe a série para as consolas e trabalhou para revolucionar os RPG de fantasia. 15 anos após o seu lançamento, a Zenimax Online Studios permite aos jogadores regressarem a Vvardenfell graças ao novo capítulo de The Elder Scrolls Online. A expansão Morrowind tem uma grande quantidade de novo conteúdo, incluindo um novo modo de PvP, uma nova classe (Warden) e a maior área explorável desde que o MMORPG foi lançado em 2014.

Durante a viagem até à zona costeira de Vvardenfell, o navio onde seguiam é destruído pelas ondas e acordam atrás de grades, presos por traficantes de escravos. Rapidamente ficam a conhecer Naryu Virian, um assassino habilidoso que vos ensina as ações de combate básicas e cria um plano que vai liberta toda a gente. O tutorial centra-se na vossa fuga, introduzindo as noções-base de gestão de inventário, combate e objetivos das missões, oferecendo sempre uma meta clara que têm de alcançar. Depois de lidarem com o Capitão Svadstar e destruírem o barco, estão livres para se aventurarem em Vvardenfell, explorando masmorras, juntando-se a guildas e abraçando a cultura da região.

A expansão decorre cerca de 700 anos antes de The Elder Scrolls III, muito antes das cinzas vulcânicas terem começado a cair ao longo de Vvardenfell. A missão principal de estória implica ajudar o Lord Vivec, um dos três deuses da terra, que ficou sem os seus poderes após ter sido vítima de uma misteriosa doença. Em paralelo, é necessário impedir que Barr Dau, um asteroide gigante, colida com o mundo. Sem entrarmos em demasiados pormenores, a estória invoca uma sensação de curiosidade e há uma quantidade admirável de detalhes que surgem através de diálogos opcionais com as personagens. As vozes, principalmente de NPCs de menor importância, nem sempre são as melhores, mas os diálogos têm um grau de qualidade muito consistente.

The Elder Scrolls Online: MorrowindThe Elder Scrolls Online: Morrowind

Vvardenfell é a maior região a ser introduzida em TESO, e a sua personalidade vive através de planícies cobertas por cogumelos, vida selvagem mística e de ruínas. O mapa parece ter sido retirado diretamente do Morrowind original, e os veteranos da série vão sentir em casa independentemente dos quase 700 anos de diferença. Dito isto, há diferenças significativas, visto que a Red Mountain ainda não entrou em erupção e várias zonas de Vivec City ainda estão em construção. Mesmo os jogadores que não forem invadidos por uma enorme sensação de nostalgia têm muito para explorar - a expansão oferece a introdução perfeita a Vvardenfell, sem terem de lidar com o combate atabalhoado e a quantidade infindável de texto que assolava o original.

Uma das componentes mais antecipadas da expansão é a introdução de uma quinta classe de personagem, o Warden, que oferece um bom equilíbrio entre habilidade de tank, healer e ataques especiais. Utilizando o poder da natureza, a habilidade distinta do Warden é a possibilidade de invocar um enorme urso pardo para atacar os inimigos. Tal como as restantes classes, o Warden tem três árvores de talentos distintas: Animal Companion, Green Balance e Winter's Embrace. A primeira, Animal Companion, permite-vos enviar enxames de Fetcherflies contra os inimigos e usar Betty Netches para recuperar Magicka.

Green Balance permite-vos curarem-se e aos vossos aliados através de magia, invocado florestas e cogumelos que ajudam na recuperação de energia. A última árvore de talentos, Winter's Embrace, permite-vos usar magia para proteger a vossa resistência física ou para lançar fragmentos de gelo mortíferos. Os jogadores que estiverem de regresso a The Elder Scrolls Online podem experimentar a nova classe graças ao espaço adicional para as personagens, mas é particularmente irritante que seja necessário usar Tokens da Crown Store para editar o nome e a aparência da personagem.

Sendo este um MMO, The Elder Scrolls Online é melhor quando jogado com amigos (jogar a solo não é tão divertido), e há conteúdo suficiente tanto no PvP como no PvE. Um dos destaques do PvP é o modo Battleground: uma batalha caótica de 4v4v4. Estas arenas de combate podem ser facilmente acedidas através de um sistema de espera que vos agrupa a jogadores com um nível de habilidade semelhante, independentemente da fação com quem forjaram a aliança. As batalhas duram no máximo 15 minutos e, atualmente, existem três tipos de jogos: Capture the Flag, Domination e Team Deathmatch. Os mapas oferecem variedade, com uma boa representação dos vários ambientes característicos de Vvardenfell, e todos os modos de jogos estão disponíveis nestes mapas. Todas estas opções oferecem uma forma nova e rápida de subir de nível caso pretendam fazer uma pausa das missões de história que estão disponíveis. Contudo, o PvP só fica disponível depois de chegarem a nível 10 e é exclusivo para os jogadores que possuírem a expansão Morrowind.

Conteúdo PvE também não é algo que esteja em falta, visto que contém o primeiro novo Trial desde o lançamento do DLC da Thieves Guild. Este novo trial está na Clockwork City de Sotha Sil, chama-se Halls of Fabrication, pode ser enfrentado por até 12 jogadores e está repleto de armadilhas mortíferas, bosses mecânicos gigantescos e inimigos exclusivos. Se o completarem com sucesso, ganham acesso a algum do melhor equipamento do jogo. Também podem descobrir livros e documentos adicionais durante a exploração deste rico mundo de jogo. Os combates contra os bosses são memoráveis e são perfeitos para os jogadores que procuram bons desafios. Recomendamos vivamente que os enfrentem com um grupo de amigos ou que se juntem a uma guilda antes de entrarem - a solo, o nível de dificuldade aproxima-se do masoquismo.

Após um lançamento algo complicado, temos sorte de The Elder Scrolls Online não ter acabado no esquecimento, já que Morrowind é um excelente exemplo do potencial que existe dentro do jogo. Regressar às áreas cobertas por cogumelos e às ruínas de Vvardenfell foi uma grande alegria, principalmente com mecânicas de jogo refinadas e um visual mais polido. Apesar de algumas das missões secundárias serem repetitivas, a nova classe, o modo PvP e muitas das novidades fortaleceram aquilo que já era uma experiência bastante sólida. Pelo caminho, Morrowind tornou-se também um excelente ponto de partida para quem só agora está a pensar em entrar no universo de The Elder Scrolls Online. Esta aposta em TESO deixou-nos entusiasmados para descobrir para onde a Zenimax Online Studios nos vai levar a seguir no universo de Elder Scrolls.

The Elder Scrolls Online: MorrowindThe Elder Scrolls Online: Morrowind
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Nova classe Warden. Muito conteúdo e nostalgia. Batalhas PvP melhoraram e são divertidas.
-
Prestação medíocre dos atores. Missões secundárias repetitivas.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor