Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
especial

Xbox Scorpio ao Pormenor

As especificações técnicas, e as reais capacidades da consola mais poderosa do mercado.


Com a grande revelação das especificações da Xbox Scorpio, ganhámos uma ideia mais clara do que é realmente capaz de fazer a próxima versão da Xbox One. Como já se suspeitava, será a consola mais poderosa do mercado quando chegar no último trimestre do ano, e as informações relativas às especificações técnicas da consola permitem retirar ilações sobre o que poderá fazer para os videojogos da Xbox One.

Primeiro que tudo, é preciso ter a noção de que a Xbox Scorpio faz parte da família Xbox One, ou seja, vai correr os mesmos jogos que a One e a One S. Nada mais, nada menos. Será retrocompatível com os mesmos jogos de Xbox 360 que a One corre, e vai usar as mesmas cópias de jogos da One, de forma semelhante ao que acontece com a PS4 e a PS4 Pro. Quanto ao lado mais técnico, isto é o que sabemos por enquanto, cortesia do Digital Foundry.

Em termos de CPU, a Scorpio vai usar uma versão evoluída do processador Jaguar Core que a Xbox One já tem, com dois grupos Quad Core, com cache L2 de 4MB. Estes processadores personalizados x86 vão ter uma frequência melhorada de 2.3GHz, o que implica um melhoramento de 31% em relação à One original. O objetivo é melhorar a coerência e ligação entre CPU e GPU, atingindo uma latência inferior.

Publicidade:

Uma das novidades mais curiosas da Scorpio é a integração de hardware dedicado ao DirectX12, adaptado diretamente ao processador do GPU. Em termos práticos isto significa que as centenas de instruções normalmente necessárias do CPU para o DirectX12, foram encurtadas para apenas 11. Isto significa que o trabalho do processador em jogos que usam o DirectX12, como Battlefield 1 e Gears of War 4, pode ser reduzido até 50%.

Em termos de processador gráfico, GPU, a Microsoft cumpriu a promessa de chegar aos seis teraflops, divididos em 40 unidades. Em jeito de comparação, a Xbox One tem 12 e a PS4 Pro tem 36, cada unidade unidade com 1172MHz (853 na Xbox One, 911 na PS4 Pro). Por outras palavras, a Scorpio tem uma vantagem de 43% nesta área em relação à One original.

Depois temos a memória RAM, que utiliza 12 módulos de 6.8GHz GDDR5 através de uma ligação de 384bits. Tudo isto implica uma bandwith de 326GB por segundo. Ao todo são 12GB de GDDR5, e desses, oito estarão à total disposição dos produtores de videojogos, ao contrário dos cinco permitidos pela Xbox One original e a PS4 Pro. Por outro lado, a memória reservada para a consola em si também foi elevada, de 1GB para 4GB, permitindo transmitir mais funções (incluindo o dashboard) numa resolução nativa de 4K.

Todo este hardware foi personalizado utilizando como exemplo os jogos que a Microsoft já lançou para Xbox One. Segundo o Digital Foundry, a equipa testou esses jogos na One para perceber o que causava maiores problemas e limitações, e tratou de personalizar o hardware para ultrapassar essas limitações. Terá sido um trabalho de equilíbrio para tentar maximizar os melhoramentos sem sobrecarregar os custos.

Aparentemente a Turn 10, depois de receber um protótipo primário da Scorpio, conseguiu colocar o motor de Forza Motorsport 6 a correr em apenas dois dias, o que significa que a adaptação dos jogos deve tranquila. Essa versão chegou aos 4K nativos de resolução, a correr a 60 frames por segundo (a versão One corre a 1080p e 60 frames por segundo). Nos momentos de maior intensidade do jogo, o máximo de GPU que foi utilizado foi 66.19%, o que significa que 'sobrava' ainda capacidade para puxar mais pelo jogo noutros departamentos (melhor iluminação, texturas, etc). Segundo a Microsoft, a Scorpio será capaz de colocar todos os jogos de 1080p e até 900p da Xbox One a correr em 4K na Scorpio. Quando à qualidade da gravação de vídeo de jogo, foi também melhorada para suportar 4K e 60 frames por segundo.

À semelhança da Xbox One S, a Scorpio também será capaz de melhorar o desempenho dos jogos de Xbox 360 e Xbox One, mas com maior eficácia. Ainda assim, para um real aproveitamento das capacidades da Scorpio as adaptações terão de ser feitas pelos estúdios via atualizações. Um melhoramento com força bruta nunca será tão eficaz como um melhoramento realizado com optimização do estúdio.

Uma das maiores queixas dos jogadores em relação à PS4 Pro é a ausência de suporte para Blu-Rays 4K, ou Ultra HD, algo que a Scorpio vai suportar, à semelhança do que já acontecia com a Xbox One S. Isto significa que podem desfrutar de Blu-Rays UHD, desde que tenham uma televisão capaz de suportar 4K e HDR.

Outros pormenores da consola, como a sua forma, o preço, e a data de lançamento, só devem ser revelados na E3, durante a conferência da Microsoft. Ainda assim, a Digital Foundry afirmou que acredita num lançamento até novembro, e um preço superior ao da PS4 Pro. Considerando que a Pro custa € 399.99, isso provavelmente coloca a Scorpio com um preço mínimo de € 499.99, mas estamos apenas a especular. Agora que a Microsoft vai ter a consola 'mais poderosa' do mercado, fica a pergunta mais importante: o que vão fazer com ela?

Gears of War 4
Forza Horizon 3
Halo 5: Guardians
Publicidade: