Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
especial

Comando PS4 Revolution Pro - Análise

Vale a pena investir neste comando profissional da Nacon?

Já está à venda em Portugal o comando Revolution Pro da Nacon, para PlayStation 4, um comando que embora fabricado por uma empresa externa, é licenciado pela Sony. A Upload Distribution é a distribuidora oficial do comando em Portugal, e partilhou uma unidade com o Gamereactor para análise. Em baixo podem ler as nossas impressões do comando depois de mais de uma semana de testes.

Algo que é evidente ao olhar para o Revolution Pro, é a sua semelhança com o comando Elite de Xbox One. Enquanto o DualShock 4 (comando original da PS4) tem os analógicos dispostos ao centro e praticamente lado a lado, o Revolution Pro tem o analógico esquerdo quase junto ao canto superior esquerdo, enquanto que o analógico direito é ligeiramente mais central e fica mais abaixo - como se fizessem uma linha na diagonal. Esta é a mesma disposição dos comandos Xbox. De igual forma, os botões direcionais (D-Pad) ficam por baixo do analógico esquerdo, enquanto que os botões frontais (X, Quadrado, Triângulo, Círculo) ficam por cima e à direita do analógico direito.

Todos os botões do DualShock 4 estão presentes no Revolution Pro, incluindo o painel tátil, o botão PlayStation, o botão Options, e o botão Share para partilha de conteúdo. Nos 'ombros' podem encontrar R1 e R2, e L1 e L2, além dos botões analógicos que servem como R3 e L3. Até aqui, nada de extraordinário, mas o Revolution Pro tem várias particularidades extra, como os quatro botões de atalhos. Estes botões estão localizados nas costas do comando, junto ao suporte das mãos, e podem ser definidos para atalhos de funções de jogos. Para isto precisam de aceder a uma aplicação oficial de PC, mas já lá vamos.

Publicidade:

O Revolution Pro tem dois modos de funções, alternáveis num interruptor nas costas. O primeiro modo é a base por defeito de um comando PS4, onde os botões fazem exatamente as mesmas funções. Contudo, o segundo modo permite personalizar as funções de todos os botões através de uma aplicação descarregável no PC. Podem mudar o R1 para o X, por exemplo, e a vossa única limitação é o botão PlayStation - esse é intocável. Com esta aplicação podem aceder a uma série de outras funções, como ajustar a sensibilidade dos analógicos e dos gatilhos, ou mudar a cor da luz emitida pelo comando.

Outra particularidade do comando é a possibilidade de acrescentar pesos em dois compartimentos no fundo do comando, um de cada lado. O peso original do comando, sem pesos, é razoável, mas existem jogadores que gostam de sentir o seu comando pesado e sólido. Com estes pesos podem alterar esse elemento do comando, e ajustá-lo de várias formas. Quanto aos compartimentos em si, têm de ser abertos com uma pequena chave que acompanha o comando, para que não se abram por acidente. Uma vez fechados, os compartimentos passam perfeitamente despercebidos.

O comando em si oferece uma boa sensação nas mãos. É sólido, o material é de boa qualidade, os gatilhos R2 e L2 são realmente gatilhos de boa qualidade (e não botões), e a ergonomia é adequada. Os analógicos são também feitos com suporte de metal e incluem acabamentos distintos. Enquanto o analógico esquerdo é côncavo, o analógico direito é convexo, impedindo que o dedo escorre no analógico esquerdo, enquanto que o dedo direito pode fugir do analógico para ir aos botões mais facilmente. O direcional em si suporta oito direções, mas é talvez o elemento que menos impressionou no comando, sobretudo porque a sua disposição redonda implica a perca de alguma precisão - essencial para jogos de luta.

O Revolution Pro tem ainda duas ausências que devem ser consideradas - nomeadamente a ausência da barra de luz e dos speakers externos. Em vez da barra de luz, existe um anel de luz em volta do analógico direito, mas esse anel tem efeitos meramente cosméticos. A barra de luz do DualShock 4 é usado como processo de leitura quando está a ser usada a câmara PS4, algo que não será reconhecido com o Revolution Pro. Quanto aos speakers, isso significa que o comando não é capaz de reproduzir sons exteriores, mas tem um jack para fones de ouvido e headsets, permitindo comunicar sem problemas com amigos, ou usar o comando como saída de som para os fones (podem definir isto no menu de comandos da PS4, inclusive para o DualShock 4). Por último há que referir que o Revolution Pro não é wireless. O comando tem de estar sempre ligado por cabo à PlayStation 4, um cabo muito resistente de três metros que liga à consola via USB.

Com um preço entre os 100 e os 110 euros, o Revolution Pro não é de certeza um comando para todas as carteiras, e não precisa de o ser. O DualShock 4 é um comando de boa qualidade, e se são jogadores relativamente casuais, é muito provável que esse comando chegue para as vossas exigências. No entanto, se procuram um grau de personalização avançado, material de qualidade superior, ou uma disposição semelhante ao do controlo da Xbox, o Revolution Pro é uma compra a considerar.

A luz é ajustável, tal como as funções dos botões e dos "atalhos" traseiros.
Existem várias configurações de peso para experimentarem,
Publicidade: