Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Dutch
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
especial

TOP 5: Melhor Jogo de Exploração / Puzzles 2016

Cinco jogos que nos obrigaram a andar horas a fio e a dar uso à massa cinzenta.

Nota de redação: As classificações nas categorias indicam a qualidade dos jogos somente nesse campo específico, e não como um todo. O facto de um jogo estar acima de outro numa categoria específica não significa que seja melhor ou pior.

5º Pokémon Go
Plataformas: iOS, Android

"Pokémon Go tem muito por onde pode melhorar, mas é uma boa base para algo que pode evoluir imenso ao longo do tempo. Considerando o fenómeno em que se está a tornar, o futuro do jogo parece mais que assegurado. Esperamos ver mais gerações de pokémons no futuro, mais opções de personalização para as personagens, e até a hipótese de enfrentar outros treinadores que conhecemos na rua. De resto, também é preciso limar alguns dos problemas mais frequentes do jogo, como falhas na leitura do GPS, quebras de ligação, e alguns bugs de jogabilidade."
Ler análise completa.

Publicidade:

4º Layers of Fear
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

Publicidade:

"Layers of Fear decorre maioritariamente na primeira pessoa e tem alguns pontos em comum com um dos maiores filmes de terror de sempre - The Shining (O Iluminado), de Stanley Kubrick. À semelhança da personagem interpretada por Jack Nicholson nesse filme, o protagonista de Layers of Fear é um artista obcecado em criar a obra prima perfeita, uma pintura que o transforme no maior pintor de todos os tempos. Uma tarefa impossível, obviamente, que acaba por empurrar o protagonista para a loucura. Será esse percurso, de ambicioso para completo demente, que os jogadores vão descobrir ao longo do jogo."
Ler análise completa.

3º Abzû
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Também existe um elemento de história, que é contado de uma forma aberta à interpretação. No centro está a nossa relação com o tubarão-branco, mas também conta a história de quem somos enquanto mergulhador e num sentido mais alargado é sobre nós próprios e o nosso relacionamento com a natureza e os oceanos. É uma narrativa que pode ser desfrutada neste tipo de traços largos, mas há muita coisa para interpretar e decifrar para quem preocurar respostas mais definitivas. Os murais de inspiração egípcia são um belo pormenor neste aspeto porque permitem que o jogador vá decifrando a história ao seu ritmo. Existem aqui grandes momentos que não vamos estragar."
Ler análise completa.

2º The Turing Test
Plataformas: PC, Xbox One

Publicidade:

"O jogo não esconde qual é a base da experiência, e logo de início mostra ao que vão. The Turing Test é um jogo de puzzles na primeira pessoa, um pouco na linha de Portal e The Talos Principle. Para avançarem no jogo devem resolver uma série de puzzles tridimensionais, e tal como Portal, vão fazê-lo com um dispositivo que parece uma arma. Esta 'arma' consegue absorver e disparar bolas de energia, uma ação necessária para abrirem portas e avançarem nas secções de plataformas."
Ler análise completa.

1º The Witness
Plataformas: PC, PS4, Xbox One

"Mas o que é afinal The Witness, e como se joga? Bom, tudo se passa numa perspetiva na primeira pessoa, e devem resolver puzzles bidimensionais traçando linhas de uma ponta de um ecrã dentro do jogo, até ao ponto assinalado. Cada ecrã inclui um com uma solução particular, e para resolverem esses puzzles terão de tomar atenção a alguns detalhes no ecrã, ou procurar pistas no ambiente à vossa volta. É difícil ser muito mais específico que isto sem estragarmos surpresas, mas vamos deixar pequenos exemplos: num puzzle têm de desenhar a linha sem tocarem nas sombras que cobrem o ecrã, noutro têm de conseguir isolar certos símbolos expostos no ecrã, e assim sucessivamente. Cada área da ilha pretende estimular diferentes capacidades cerebrais do jogador."
Ler análise completa.

Publicidade: