Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
antevisões
Warhammer 40,000: Dawn of War 3

Warhammer 40,000: Dawn of War 3

Passámos algum tempo de qualidade com Eldar, Orks, e Space Marines, no multijogador de Dawn of War 3.

  • Texto: Matti Isolato

É tudo uma questão de simples matemática para a Relic Entertainment, e no caso deste novo jogo, 1 mais 2 é igual a 3. O terceiro capítulo de Dawn of War reúne elementos do primeiro e segundo jogo para criar o que nos parece ser o mais espetacular Warhammer 40,000 até à data. Foi essa a sensação com que ficámos depois de algumas horas com o jogo, quando visitámos os escritórios da produtora, e depois de conversarmos com o designer Caro Mastretta.

Dawn of War 3 será lançado com três raças de raiz, e cada uma terá vários heróis à sua disposição. Space Marines, Orks, e Eldar têm todos as suas próprias campanhas de história, mas esse elemento foi deixado de parte para este evento específico. A Relic convidou-nos para nos dedicarmos em exclusivo ao modo online de Warhammer 40,000: Dawn of War 3, e experimentámos combates de 1 para 1, 2 para 2, e 3 para 3. Como não ultrapassámos nenhum tutorial antes de jogarmos, o primeiro jogo tornou-se mais numa batalha com as mecânicas da jogabilidade do que necessariamente contra o adversário.

O modo onde passámos mais tempo foi no de 2 contra 2, a jogar num mapa relativamente compacto. Cada equipa começa em lados opostos do mapa, com muitos objetivos para capturarem pelo meio. Algumas "bandeiras" produzem energia e pontos necessário para invocar ou melhorar unidades, enquanto que outros conferem pequenas quantidades de pontos de herói, usados para invocar personagens poderosas. Ao início do jogo vão escolher a raça que vão controlar e ainda três heróis que podem invocar, cada um com custos e poder diferentes. Os mais baratos podem ser invocados mais rapidamente e frequentemente, enquanto que outros são bem mais poderosos, mas como são tão caros, devem ser usados para o assalto derradeiro ao inimigo. O herói que escolhem vai determinar os objetivos que devem procurar no campo de batalha.

A Relic introduziu algumas mecânicas que impedem que os jogadores tentem derrubar a base inimiga nos primeiros momentos, já que para isso terão de cumprir primeiro alguns objetivos primários. Para destruírem a base precisam de aceder a um núcleo que está protegido por uma arma automática, e para destruírem a arma têm primeiro de neutralizar o seu gerador. Tudo isto fica posicionado longe das bases, o que tende a criar áreas de combate no mapa. É uma medida curiosa que acaba com os jogadores mais apressados, dando preferência a táticas de ataque continuado ou a táticas de grandes assaltos já na parte final da partida.

Dawn of War 3 é definitivamente mais micro que macro. Terão de ter muita atenção às vossas unidades, já que existem várias unidades com habilidades especiais que têm de ativar, com rajadas de mísseis, jetpacks, e granadas de atordoamento. A produção de recursos não depende das construções do jogador, mas da conquista de pontos de produção, e defender esses pontos para a ser uma função principal para a vitória - tal como o será tentar conquistar pontos ao adversário. É a velha história do cobertor curto - podem tapar a cabeça, mas vão destapar os pés. O jogo obrigou-nos a prestar atenção a vários focos do mapa, e não nos pareceu que os recursos fossem suficientes para construir exército intermináveis de unidades. Segundo a Relic, a média dos confrontos online estará nos 30 minutos.

Publicidade:

Jogámos um pouco com as três raças, e os Space Marines pareceram-nos ser a mais acessível de início, o que é natural. O leque de unidades disponível é equilibrado, e o facto das unidades serem projetadas a partir de uma estação espacial significa que podem ser facilmente posicionadas no mapa. A Relic disse-nos que os Orks são a raça mais difícil de dominar, mas pelas horas que passámos com o jogo, dedicamos esse papel aos Eldar. Os Orks são grandes, feios, e maus, e são sobretudo dedicados à força bruta. Podem causar dano a sério, mas não são particularmente resistentes. Uma característica útil dos Orks é a sua capacidades para recolher os restos das batalhas para se melhorarem.

Os engenhosos Eldar pareceram-nos o tipo de classe ideal para estratégias de ataque e fuga. Embora tenham escudos renováveis, quando esses escudos se esgotam tornam-se bastante vulneráveis. As suas capacidades de teletransportação são excelentes, mas construir uma rede de unidades de teleporte e ao mesmo tempo suportar as investidas inimigas pareceu-nos algo esmagador, pelo menos pelo tempo que passámos com o jogo.

Dawn of War 3 é também um jogo bonito. As unidades talvez não tenham o detalhe das unidades de Dawn of War 2, mas o aumento considerável na escala do jogo compensa bem esse factor. Quando o mapa começa a encher com unidades, explosões, laseres, e outros efeitos especiais, passa claramente a sensação de que isto é um jogo e Warhammer 40,000. Também é um campo de batalha muito barulhento, como se pede desta licença. Uma decisão que distingue imenso Dawn of War 3 dos antecessores é a ausência da função de retirada, que permitia às unidades passarem diretamente para a sua base quando estavam em perigo. Isso arrastava imenso as partidas, já que era difícil destruir eficazmente as unidades inimigas.

Tanto no modo campanha, como online, também vão desbloquear pontos de experiência e caveiras. Estes pontos permite personalizar alguns elementos das unidades, mas também oferecem várias opções cosméticas - completas com uma ferramenta para pintar os exércitos. Embora o processo de entrada no jogo tenha sido algo desconfortável, sobretudo porque não tivemos acesso a um tutorial, saímos dos escritórios da Relic com grandes expetativas para Dawn of War 3.

E também gostámos de saber que a Relic pretende oferecer suporte total às modificações dos jogadores, algo que os fãs bem merecem depois de ter permitindo ao primeiro Dawn of War sobreviver tanto tempo graças a modificações não oficiais. Embora as parecenças com StarCraft seja inevitáveis, Dawn of War 3 parece estar a ganhar uma forma muito interessantes para fãs do género de estratégia em tempo real.

Warhammer 40,000: Dawn of War 3Warhammer 40,000: Dawn of War 3Warhammer 40,000: Dawn of War 3
Warhammer 40,000: Dawn of War 3Warhammer 40,000: Dawn of War 3Warhammer 40,000: Dawn of War 3
Publicidade: