Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
antevisões
Arms

Arms

Já jogámos o jogo de boxe peculiar da Nintendo Switch.

  • Texto: Mike Holmes

Se formos realmente honestos, temos de confessar que Arms não nos impressionou durante a apresentação da Nintendo Switch. Durante alguns momentos lembrou-nos de uma versão em desenho animado de Ready 2 Rumble, com a introdução de uma estranha mecânica de extensão dos braços. Uma espécie de demo, para mostrar as capacidades dos sensores dos Joy-Con.

Depois de termos experimentado o jogo durante o evento da Nintendo em Londres, não podemos já garantir que os nossos receios não se vão verificar, mas ficámos mais interessados no potencial do jogo. Esta camada extra de complexidade é acrescentada pelas capacidades dos comandos Joy-Con, superiores a de outros comandos com sensores de movimentos. Neste jogo específico não será possível emprestar um Joy-Con a um amigo, porque cada jogador necessita de ter um Joy-Con em cada mão. Os sensores de movimento são sensíveis e específicos, permitindo um grau de controlo sem precedentes neste tipo de comandos. Inclinar o comando para a esquerda, direita, frente ou trás, define o movimento da personagem na arena. Se inclinarem ambos para a frente, vão bloquear ataques inimigos, enquanto que um movimento de soco é replicado pela personagem.

O sensor de movimentos dos Joy-Con é excelente, mas há mais em Arms do que esse pormenor, bem mais complexidade. Depois de termos experimentado as cinco personagem da demo, várias arenas, e verificado algumas das opções ao dispor dos jogadores, acreditamos que há aqui potencial para um jogo multijogador divertido com uma subtileza inesperada.

Sim, por vezes os combates podem cair numa autêntica confusão, mas a jogabilidade de boxe que Arms oferece é algo diferente de todo o que vimos no passado. A mecânica dos braços extensíveis significa que o combate se estende por toda a arena, e não apenas aos dois metros em torno das personagens. Cada lutador pode escolher entre três luvas diferentes, cada uma com diferentes efeitos e velocidades. Algumas luvas regressam mais rápido ao jogador depois de atirarem um soco, enquanto que outras causam mais dano. Ainda mais interessante é a possibilidade para escolher luvas individuais para as duas mãos. Podem ter uma mão esquerda rápida e uma mão direita forte, por exemplo. Este dado acrescenta uma profundidade tática que não esperávamos de Arms.

Publicidade:

Cada ataque pode ser contrariado, e cada movimento tem uma oposição, o que deve permitir alguns combates bastante interessantes entre jogadores de níveis semelhantes. Também podem saltar no ar, e algumas personagens até podem planar durante alguns segundos. Algumas arenas também oferecem oportunidades de interação, como a arena posicionada junto a bar que pode ser usado para aumentar a capacidade de salto.

Para a nossa sessão de jogo optámos por misturar as luvas em todos os combates. Além de conseguirem lançar murros de várias direções, se lançarem os dois braços para a frente ao mesmo tempo podem tentar agarrar o oponente. As personagens também têm acesso a um ataque especial, disponível depois de encherem uma barra de energia, e se este ataque for utilizado corretamente pode mudar o curso ou definir uma batalha.

As cinco personagens da demonstração tinham todas características que as distinguiam. Ninjara pode evitar ataques desaparecendo durante alguns segundos. Mechanica pode planar pela arena. Ribbon Girl é rápida no solo e ágil no ar. Master Mummy cura-se sempre que bloqueia. E por último, Springman, que é uma personagem mais equilibrada. Esperemos que a Nintendo tenha mais lutadores preparados com características criativas.

Divertimos-nos com esta demo de Arms, mais do que esperávamos. Existe claramente mais profundidade e pensamento posto neste Arms do que contávamos ver, e os sensores de movimento dos Joy-Con funcionam bastante bem. A necessidade de cada jogador ter um par de comandos acaba por limitar um pouco a capacidade multijogador local de Arms, e ainda não sabemos que apelo Arms será capaz de oferecer ao jogador solitário, mas existe claramente potencial para este jogo se destacar como uma experiência multijogador singular da Nintendo Switch.

Arms
ArmsArmsArms
ArmsArms
ArmsArmsArms
Publicidade: