Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
FacebookFacebook
análise

Pro Evolution Soccer 2015

Estreia muito promissora de PES na nova geração de consolas.

Publicidade:

A estreia de Pro Evolution Soccer 2015 na nova geração de consolas demorou o seu tempo. A Konami não só deixou FIFA 14 reinar isolado durante um ano inteiro na PS4 e Xbox One, como ainda ofereceram quase dois meses de avanço a FIFA 15. Mas a espera valeu a pena. O jogo tem ainda algumas falhas, e a ausência de algumas licenças continua a ser um revés incomodativo, mas pelo menos a jogabilidade apresenta-se na melhor forma dos últimos anos.

Publicidade:

Esta prestação muito positiva de PES não totalmente surpreendente. Durante a Gamescom, o simulador da Konami apresentou-se de imediato em grande forma (até ganhou o prémio de melhor jogo de desporto da feira), boas impressões confirmadas pelas versões de antevisão e demos que nos chegaram mais tarde. O lema da Konami é sempre o mesmo: "conta é no relvado," como quem diz, o que importa é a jogabilidade. Durante os últimos anos, PES não te conseguido estar à altura dessa velha premissa, mas este ano a situação inverteu-se.

Pro Evolution Soccer 2015Pro Evolution Soccer 2015

A grande força de PES está na sensação que a jogabilidade transmite. O jogo tem um ritmo fantástico, com movimentações adequadas dos jogadores e excelente resposta aos comandos introduzidos. Ainda é uma simulação, mas com várias tendências arcade que encaixam bem. Muitos elementos da jogabilidade funcionam adequadamente, mas ainda existem aspetos a melhorar. Alguns momentos são frustrantes, como quando os jogadores deixam passar uma bola quando estava claramente ao seu alcance, ou quanto o botão de corte não funciona tão bem como seria expetável. Por vezes o jogador falha uma intercepção que deveria conseguir, causando falta, o que é particularmente frustrante dentro da área. Não é uma falha muito grave, ou pelo menos não é suficiente para estragar a experiência, mas é o tipo de pormenor que convém corrigir numa atualização futura.

Ao jogarmos Pro Evolution Soccer 2015, não se tornam evidentes grandes novidades da jogabilidade, a não ser talvez o novo sistema para os guarda-redes. Não há uma nova mecânica de dribles, ou uma remodelação completa da inteligência artificial. O que houve, foi um esforço de equilibrar e polir a jogabilidade, e isso resultou numa experiência de jogo bastante agradável, mais do que qualquer outro PES dos últimos anos. Quanto aos guarda-redes, há que reconhecer que estão a funcionar melhor do que as versões anteriores do jogo tinham indicado, com excelentes reações. Ainda existem pequenos elementos a melhorar no seu comportamento, mas no geral é uma excelente estreia deste novo sistema de guarda-redes.

Havia também alguma curiosidade para ver o salto gráfico de PES, desde a geração passada, mas não é tão evidente como seria desejado. O jogo tem bom aspeto, mas não é nada que justifique uma geração de diferença, longe disso. Também convém referir que a qualidade das faces varia bastante. Enquanto alguns dos jogadores mais conhecidos estão quase idênticos, outros não só estão completamente irreconhecíveis, como a própria qualidade gráfica parece ser inferior. Os festejos também deviam ser trabalhados, sobretudo porque parecem colagens incoerentes de várias sequências. Tão depressa está um jogador parado no relvado a festejar, como a seguir está agarrado aos adeptos junto às bancadas.

Essa é a maldição de PES, os pormenores extra-jogabilidade, mas no relvado, com o comando, tudo funciona bem, até o grafismo. As animações dos jogadores são soberbas - fluídas e realistas. E surpreendentemente, até as colisões funcionam maioritariamente bem. Houve claramente trabalho de casa da Konami neste aspeto.

Pro Evolution Soccer 2015Pro Evolution Soccer 2015

Se quase tudo funciona bem dentro de campo, fora dele existem muitas falhas a apontar. Em termos de estádios, por exemplo, PES 2015 só apresenta 14 opções e nem sequer inclui qualquer campo português. Um tremendo revês comparando com a edição anterior, e nem sequer vale comparar com FIFA 15. Em termos de campeonatos, existem vários. As maiores ligas de Europa e América do Sul estão representadas, e campeonatos como França, Espanha e Itália estão totalmente licenciados. Quanto ao campeonato português, apenas Porto, Sporting e Benfica estão licenciados, mas existem casos piores. A grande desilusão é Inglaterra, onde apenas o Manchester United está licenciado. O futebol alemão também tem um misto de licenciados com não licenciados. Quanto ao campeonato brasileiro, ao contrário do que acontece com FIFA 15, está presente em PES 2015 e totalmente licenciado, pelo menos ao nível de clubes.

Onde PES 2015 leva a melhor em relação a FIFA 15 é nas competições, continuando a contar com as licenças oficiais da Liga dos Campeões, da Liga Europa e da Taça Libertadores, na América do Sul.

Outro ponto a favor de Pro Evolution Soccer 2015 está na total localização para português, até na nova geração de consolas, incluindo comentários de Luís Freitas Lobo e Pedro Sousa. Sim, a qualidade dos mesmos deixa algo a desejar - parecem forçados, não têm variedade suficiente e por vezes parecem autênticos disparates comparando com o que se passa no campo - mas sempre é melhor que nada. Quanto à localização geral, cumpre bem.

Um dos elementos que mais nos decepcionou foi o menu de táticas e gestão da equipa, que está mais confuso que no passado. Não é nada muito grave, mas é uma componente do jogo que a Konami já tinha resolvido no passado, e que inexplicavelmente piorou para a nova edição. Quanto à interface no seu todo, parece antiquada e deveria ser retrabalhada por completo. Não são falhas graves, mas tudo junto acaba por prejudicar ligeiramente a experiência geral do jogo.

Pro Evolution Soccer 2015Pro Evolution Soccer 2015

Quanto a modos, a maioria segue a linha do ano passado, sendo que a grande novidade da edição 2015 é My Club. Este modo é uma resposta clara ao Ultimate Team de FIFA (só nos admira que tenham demorado tanto tempo para criaram a sua versão). O modo não funciona à base de cartas, mas de agentes, que vão apresentar opções em termos de jogadores e treinadores. À semelhança de Ultimate Team, é preciso criar um bom espírito de equipa, inclusive em termos de tática. Se o treinador jogar em 4-4-2 e os jogadores preferirem 4-3-3, por exemplo, vão ter problemas. Um modo que parece ter algo potencial, mas que precisará de ser recheado e melhorado nos próximos anos.

Enquanto FIFA 15 teve uma prestação abaixo do que seria esperado, PES 2015 melhorou, e na nossa opinião é o melhor jogo de futebol de 2014. Isto falando meramente em termos de jogabilidade, porque PES 2015 tem ainda muitos aspetos a melhorar em termos de estrutura e pormenores exteriores à jogabilidade. Dito isto, se estão descontentes com FIFA 15 ou se são grandes fãs de PES, a edição 2015 merece definitivamente a vossa atenção.

08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Sensação fantástica da jogabilidade. Animações impressionantes. Três grandes portugueses licenciados. Localização portuguesa.
-
Algumas incoerências gráficas. Poucos estádios (nenhum português). O eterno problema das licenças.
Publicidade: