Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
análise

The Sexy Brutale

Homicídios, mistérios, e um baile que nunca acaba, são os ingredientes de The Sexy Brutale.

  • Texto: Juan A. Fonseca

Imaginem uma mansão convertida em casino, um baile de máscaras interminável, e empregados com uma fome inexplicável por homicídios. Estes são alguns dos ingredientes do cocktail bizarro que é The Sexy Brutale, um jogo de mistério com um conceito base brilhante e muita personalidade, mas será que isso chega?

As primeiras impressões também contam, e The Sexy Brutale faz questão de agarrar o jogador logo de início. Ao observarmos a forma como as personagens se mascaram, não conseguimos evitar paralelismos com o título algo mentiroso que o jogo tem. Embora intrigante, o início de The Sexy Brutale é também confuso, mas depois de algumas horas tudo começa a fazer sentido.

O jogador vai assumir o papel de Lafacadio Boone, um padre que acorda na mansão que dá nome ao jogo. Os elementos que precedem o início da aventura parecem saídos de um filme noir: uma mulher misteriosa aparece ao padre e pede-lhe um favor, enquanto uma música do anos 50 deixa o tom perfeito para a ocasião. O objetivo? Salvar os convidados no baile de máscara dos empregados homicidas. E porque querem os empregados matar esta gente? Bem, isso terão de descobrir no jogo.

Há outro elemento que ajuda a distinguir The Sexy Brutale, e que dificulta imenso a tarefa do padre em questão - não podem interagir com ninguém. Sempre que estão numa sala, e alguém com uma máscara vos vê, vai tentar caçar-vos. Isto significa que terão de percorrer a mansão com cuidado, enquanto tomam atenção aos pormenores e espreitam por fechaduras. Para impedirem um homicídio têm de descobrir a sua sequência de eventos, e os comportamentos das pessoas antes e depois do homicídio.

Sim, leram bem, as personagens vão morrer independentemente do que façam, mas é aqui que a maldição de Lafacadio entra em cena. Os dias repetem-se, e quando a noite acaba, tudo o que fizeram é perdido, incluindo os itens que recolheram, e têm de recomeçar tudo. A única coisa que muda é naturalmente o vosso conhecimento. Basicamente terão de reviver os eventos até aprenderem padrões, ouvirem conversas, decorarem horários, e descobrirem os passos que as personagens dão ao longo do dia. Só assim podem criar estratégias para salvarem todas as vítimas. É um sistema de tentativa e erro, onde devem repetir soluções até encontrarem a correta. Para evitar momentos mais aborrecidos, também existe a opção para acelerar o tempo, útil quando estão escondidos à espera que algo aconteça, por exemplo.

Publicidade:

Enquanto percorrem várias salas através desta imensa mansão, vão encontrar relógios antigos que são cruciais para o jogo. Quando ativam estes relógios com objetos específicos, passam a reaparecer e a recomeçar o dia a partir desse ponto, o que é útil para poupar tempo. Quando ao centro do jogo, os homicídios, normalmente têm uma solução relativamente simples. Por regra, se tomarem atenção às conversas e às pistas, não deve ser muito difícil descobrir uma forma de evitar um homicídio. Parece ter existido um esforço para não tornar o jogo muito complicado, o que pode desiludir alguns jogadores, mas isto significa que a experiência é menos frustrante.

Também é preciso referir que durante a aventura vão desbloquear novas habilidades, normalmente depois de salvarem alguém. Com estas habilidades conseguem aceder a outros quartos e áreas da mansão, e desta forma descobrir novos detalhes, pistas, e segredos. Existe muito para explorar nesta mansão, incluindo vários colecionáveis escondidos.

O estilo de The Sexy Brutale é outro elemento que o distingue. O tema em si é obviamente macabro, mas isso é equilibrado com um design leve, incluindo personagens com corpos pequenos e cabeças grandes. Em parte lembrou-nos da Rubacava de Manny Calavera, em Grim Fandango, um tom sinistro e macabro enaltecido por um estilo mais suave e elegante. O jogo vive também imenso da componente sonora, com um estilo próximo do jazz, embora com um toque moderno. Os efeitos sonoros são também vitais para a experiência, incluindo por exemplo o barulho de um disparo, e as horas a que se ouve, ou de que direção veio.

The Sexy Brutale engoliu-nos por inteiro. Todo o conceito de um dia que se repete, misturado com o aliciante de tentar salvar os convidados para avançar, é brilhante. O facto de muitos elementos artísticos combinarem bem com o tom e a jogabilidade, apenas reforça o que é uma experiência de jogo excelente. Partilhamos a opinião de que os homicídios podiam ser um pouco mais elaborados, porque nesse aspeto não é um jogo muito desafiante, e em termos técnicos há a lamentar as animações pouco fluídas, e a duração algo curta da aventura.

Como o nome sugere, The Sexy Brutale é um jogo apelativo à vista, que vos irá atrair com o seu design, estilo visual, e personagens, mas é também um conceito brutal, onde a morte e o macabro estão sempre presentes. É um jogo charmoso, cheio de personalidade, e adorámos ver como tudo se resolveu com as nossas ações. Uma recomendação fácil, sobretudo se apreciam mistérios.

The Sexy BrutaleThe Sexy Brutale
The Sexy BrutaleThe Sexy BrutaleThe Sexy BrutaleThe Sexy Brutale
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Resolver os crimes é viciante. Atmosfera excelente. Banda sonora bem enquadrara.
-
Alguns puzzles podiam ser mais desafiantes. Animações pouco fluídas. É algo curto.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor
Publicidade: