Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
Wonder Boy: The Dragon's Trap

Wonder Boy: The Dragon's Trap

Um tributo fantástico a um clássico de plataformas.

Pobre Wonder Boy. Finalmente conseguiu derrotar o seu arqui-rival, o Mecha Dragon, mas não sem antes ser amaldiçoado para se transformar num lagarto. Não foi o melhor momento do herói, mas Wonder Boy III: The Dragon's Trap, lançado pela Sega em 1989, foi o destaque desta série de plataformas. Muitos anos depois, Wonder Boy está de volta com uma nova abordagem moderna, mas foi com alívio que reparámos que Wonder Boy: The Dragon's Trap ainda é uma boa aventura de plataformas, mesmo depois de todo este tempo.

Isto é possível porque o jogo original tinha já uma excelente fundação de jogabilidade. Os controlos eram precisos, os conceitos originais, e as mecânicas principais muito sólidas. Nunca ouviram falar de Wonder Boy? É natural. A série tem estado ausente desde a década de 90, mas embora este jogo seja baseado noutro já muito antigo, podem desfrutar das qualidades desta revisão moderna sem um pingo de nostalgia. Aliás, The Dragon's Trap é um excelente ponto de entrada se nunca jogaram um Wonder Boy no passado. Uma opção interessante para os fãs mais antigos, ou até para os mais curiosos, é a função para alternar entre o original de 8 bits para a Master System e a nova versão modernizada com um simples botão. O estúdio implementou um novo estilo desenhado à mão delicioso, que o transforma num jogo perfeitamente atual.

O mesmo método foi aplicado ao sistema sonoro, incluindo a música e os efeitos. Podem alternar entre a versão moderna e a original, que certamente ainda estará enterrada algures na memória dos jogadores mais antigos. A produtora elaborou um remake de boa qualidade, mas ao mesmo tempo nota-se que manteve grande respeito pelo original. Até o antigo sistema de saves, à base de palavras-passe, continua presente no jogo. Se por acaso ainda tiverem uma das palavras-passe antigas à mão, ainda a podem usar no novo jogo. Mas apesar de ser um jogo de 30 anos com nova pintura, existem momentos em que nos esquecemos disso, e é nesses momentos que o jogo está no seu melhor.

Como Wonder Boy, ou na pele da nova Wonder Girl, vão ter a oportunidade de percorrer uma terra perigosa cheia de monstros, com o objetivo de se livrarem da maldição. Durante a introdução, o rapaz ou a rapariga é transformado num lagarto que cospe fogo. Depois, ao longo da aventura, também vão assumir o formato de um rato que pode trepar, uma piranha, um leão, e um falcão. Para avançarem têm de ir alternado entre estas formas animais, cada uma com as suas características peculiares. O jogo foi bem executado nos anos 80, e continua a funcionar nos dias de hoje.

Publicidade:

O elemento que sofre mais com a idade, e que infelizmente se mantém, é o design dos níveis, nem sempre lógico. O mundo de jogo, apesar de ser 2D, é amplo e aberto, e está cheio de segredos - estilo Metroidvania -, mas a ausência de um mapa acaba por complicar imenso a vida do jogador. Terão de confiar no vosso próprio sentido de navegação e memória enquanto percorrem cavernas, florestas densas, e pântanos. Vão encontrar muitos caminhos bloqueados, que podem abrir depois de encontrarem a chave respetiva. O problema? Lembrarem-se do caminho exato e lidar com todos os inimigos que reapareceram. Esta estrutura era inovadora na era da Master System, mas hoje em dia é muito datada, e pode ser ainda mais problemática para quem tiver de parar de jogar durante alguns dias.

Adorámos o facto da Lizardcube ter decidido construir o novo jogo em cima do antigo, permitindo apreciar a versão original em simultâneo com a nova, mas isso trouxe problemas. Para se manterem fiéis ao original tiveram de abdicar da modernização de alguns elementos, como o design dos níveis. É um elemento negativo, que devem considerar, mas que não mancha o que é de resto um excelente trabalho por parte do estúdio.

Se foram fãs de Dragon's Trap durante a década de 80, vão sentir-se em casa com a nova versão. Por outro lado, mesmo que nunca tenham ouvido falar de Wonder Boy, podem desfrutar de uma boa aventura de plataformas com alguns elementos originais. O preço, de € 19.99, também nos parece perfeitamente razoável para o que foi feito. Depois disto, e do excelente trabalho da Lizardcube, adorávamos que a produtora francesa tivesse a oportunidade de criar uma aventura completamente nova de Wonder Boy. Até lá, apreciem este excelente tributo.

Wonder Boy: The Dragon's TrapWonder Boy: The Dragon's Trap
Wonder Boy: The Dragon's TrapWonder Boy: The Dragon's Trap
Wonder Boy: The Dragon's TrapWonder Boy: The Dragon's TrapWonder Boy: The Dragon's Trap
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Arte linda. Mantém-se fiel ao original. Boas mecânicas de jogabilidade. Wonder Girl é uma boa adição.
-
Alguns aspetos do jogo não envelheceram bem.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor
Publicidade: